Geologia e Ambiental

31 de agosto de 2010

A fumaça que esconde o fogo


Por Carmen Figueiredo em 31/08/2010

Fonte: Amazonia.org.br 
Foi na virada de 1997 para 1998 que o mundo assistiu pela primeira vez a um incêndio florestal de grandes proporções na Amazônia.  O fato ocorreu em Roraima e provou-se que em situações climáticas atípicas, um grande incêndio florestal era possível.  Em 1998 o Parque do Araguaia também foi atingido por um incêndio florestal, como agora em 2010.
Naquela ocasião, o fenômeno El Niño ficou famoso e logo foi transformado no vilão da destruição.  Atualmente, tanto El Niño como o La Niña são passíveis de previsão, uma vez que têm sua origem na alteração da temperatura das águas do Pacífico, onde existe um monitoramento efetivo e constante.  Outras situações climáticas, porém, são complexas de prever.  Dessa forma, optar por focar a prevenção em variáveis climáticas resulta em um atuação atrasada, lançando uma proibição de uso de fogo depois que o fogo já tomou grandes proporções e não é possível controlar, vide o corrido no Acre em 2005.
A questão é que anomalias climáticas, na verdade, definem apenas o grau de suscetibilidade maior ou menor que uma determinada região pode ter ao fogo.  Mas não são as responsáveis pelos incêndios.  São apenas mais uma das variáveis a serem consideradas em um mapa de risco.

Ao Mar!



Entre o Brasil e a África existe mais do que um oceano. Há potássio, ouro e diamante, entre outros minerais valiosos que exigem empenho tecnológico e conhecimento técnico para saber aproveitá-los.

As riquezas submarinas da costa brasileira recebem, agora, os holofotes do cenário internacional após a descoberta do pré-sal, onde a Petrobras se prepara para extrair petróleo a uma profundidade de até 7 mil metros.
"A consciência de que temos muitos recursos minerais no mar ganhou bastante visibilidade com o pré-sal. Está mais do que na hora de o Brasil dar ênfase a essa questão estratégica que é conhecer melhor a plataforma continental e a área internacional marítima", observa Thales de Queiroz Sampaio, da Secretaria de Geologia e Mineração do Ministério de Minas e Energia (MME).
Sampaio coordena o Programa de Avaliação da Potencialidade Mineral da Plataforma Continental (Remplac), que reserva R$ 150 milhões para aproximar Estado e universidades em torno do tema mineração submarina.
"Vamos investir muito mais dinheiro nos próximos 20 anos do que podemos imaginar hoje", indica.
O aporte será para identificar a viabilidade econômica e traçar as linhas dos desafios técnicos de exploração, por exemplo, areia e cascalho para a indústria de construção civil — recursos encontrados em larga escala a uma profundidade média de 30 metros entre o Espírito Santo e o Maranhão.
Já outros minerais mais valiosos como o diamante existente na costa baiana demandarão expertise tecnológica mais apurada, visto que estão a um quilômetro sob o nível do mar — área dominada pela Petrobras que pode ceder tecnologia.
O mesmo vale para o zircônio encontrado no litoral sul da Bahia - insumo caro e bastante empregado no revestimento de reatores nucleares.
A ilmenita usada na construção de partes de aviões e naves espaciais também recebe atenção. Assim como, o calcário usado pelo setor químico e farmacêutico.
Além do potássio que fabricantes de fertilizantes precisam importar para atender a demanda crescente de um país voltado para o agronegócio. 
Os recursos estão em uma região com 4,5 milhões km², distribuída ao longo de 370 km da costa mar adentro — a chamada Zona Econômica Exclusiva (ZEE), ou Amazônia Azul.
Parte do potencial submarino já foi mapeado pela Marinha, que equipou um navio para a missão com repasse de R$ 10 milhões cedidos pela Finep.
A embarcação recebeu um multifeixe, aparelho que faz o mapeamento do solo marinho (batimetria), identificando o que há no fundo do mar.
"Existem recursos em solo marinhos além das 200 milhas náuticas (370 quilômetros da costa e estamos desenvolvendo atividades para essa área", adianta Carlos Roberto Leire, da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Cirm) - órgão encabeçado pelo MME e Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) que conta com a participação de 18 universidades federais e estatais.

Recuperação de APPs

O Plenário do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) aprovou em sua 99ª. Reunião Ordinária, realizada nestes dias 25 e 26 de agosto, a resolução sobre metodologia de recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APPs). As emendas ao texto foram discutidas e aprovadas na manhã de quinta-feira (26).O texto da resolução já havia sido aprovado pelas Câmaras Técnicas de Gestão Territorial e Biomas e de Assuntos Jurídicos e aguardava o pedido de vistas de duas entidades da sociedade civil organizada, Ecojuréia/SP e Mira-Serra/RS. No texto foram definidos diversos procedimentos que também incentivam a restauração e a recuperação das APPs. Segundo estimativas do Departamento de Apoio ao Conama - DConama, que reuniu em 2006 17 levantamentos referentes à APPs nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, cerca de 43% do total dessas áreas pesquisadas se encontravam degradadas. "A resolução será um instrumento na mão do produtor rural para que ele possa fazer a recuperação das áreas de preservação permanente sem burocracia", explicou o diretor do Departamento de Florestas do Ministério do Meio Ambiente, João de Deus Medeiros. A idéia é que aconteçam, voluntariamente, ações de restauração e recuperação de APP.
De acordo com o texto aprovado, a recuperação de APP poderá ser feita por três métodos: condução da regeneração natural de espécies nativas; plantio de espécies nativas; e plantio de espécies nativas conjugado com a condução da regeneração natural de espécies nativas.
Informação via email do CONAMA

30 de agosto de 2010

Programa de doutorado em educação em ciências e matemática

Aprovado este ano, o programa de doutorado em educação em ciências e matemática será desenvolvido através da associação de instituições de ensino superior (IES) da Amazônia Legal brasileira, estruturadas na Rede Amazônica de Ensino de Ciências e Matemática (Reamec)

A Reamac abrange os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. O início das atividades do curso de doutorado está previsto ainda para 2010, com seleção para 30 vagas.

O assunto está na pauta do Fórum Nacional do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), em 2 e 3 de setembro, em Belém (PA).

A professora Marta Maria Pontin Darsie, da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), e João Carlos de Souza Maia, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Mato Grosso (Fapemat), farão uma apresentação da Reamec para os presidentes das FAPs, no segundo dia de trabalho da reunião.

O objetivo da rede é a formação de pesquisadores e de professores na área de educação e ensino de ciências e matemática, visando ao fortalecimento da área na Região Amazônica. A meta é formar 150 doutores até 2018 na Amazônia Legal, por meio de ação acadêmica colaborativa entre as IES e os doutores existentes na região.

As atividades acadêmicas e de gestão do curso serão desenvolvidas em três universidades polos: Estadual do Amazonas (UEA), Federal de Mato Grosso (UFMT) e Federal do Pará (UFPA).

(Assessoria de Comunicação da Fapespa)

Karosakaybu: o deus Munduruku


Do blog de Telma Monteiro:


Os Munduruku no I Encontro dos 4 Rios
Foto: Telma Monteiro

E Karosakaybu fez, com seu poder de deus, surgir o paraíso no rio Tapajós. Adicionou um local especial com cachoeiras e corredeiras, palco sagrado para os cantos e danças das lindas mulheres Munduruku.

Telma Monteiro

"Aximãyu’gu oceju tibibe ocedop am. 
Nem wasuyu, taweyu’gu dak taypa jeje ocedop am." 

Na vasta Mundurucânia, no alto Tapajós, habita o deus criador do mundo, Karosakaybu, segundo os Munduruku.[1] 

Um deus tão poderoso que transformaria homens em animais e protegeria os Munduruku da escassez de caça e de pesca. A harmonia com a natureza seria assegurada com tão importante protetor.

Caciques Munduruku
Chegou o dia em que ousaram profanar esse território sagrado. E o véu místico formado por centenas de cânticos e rimas que ecoavam nas pedras e nas águas foi arrancado pela pressão dos engolidores da floresta e perdeu-se nos escaninhos da história.  Então, o silêncio desceu sobre o lugar sagrado e a inocência dissipou-se nas espumas.  Ritos e cerimônias já não são mais ouvidos e espalhados pelo rio poderoso e belo. 

Ainda hoje os Munduruku contam suas histórias no esforço de manter vivo um elo com suas crenças e valores ameaçados pela realidade do mundo moderno: as hidrelétricas planejadas para o rio Tapajós.

Vão em busca da utopia para tentar adicionar um tanto de sonho às ambições dos jovens sem destino delineado. A insegurança é o inimigo contra o qual, hoje, os Munduruku têm que lutar. 

Carta de protesto da etnia Munduruku ao Presidente da República contra a construção de cinco mega hidrelétricas na bacia do Rio Tapajós  

Missão São Francisco do Rio Cururu 06 de novembro de 2009

Exmo.  Senhor Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva Exmo.  Senhor Ministro das Minas e Energia, Edson Lobão e demais Autoridades responsáveis pelo setor energético do Brasil.

Nós comunidade indígena, etnia Munduruku, localizada nas margens do Rio Cururu do Alto Tapajós, em reunião na Missão São Francisco, nos dias 5 e 6 de novembro, viemos por meio deste manifestar à vossa excelência nossa preocupação com o projetof ederal de construir cinco barragens no nosso Rio Tapajós e Rio Jamanxim.
Para quem vai servir?  Será que o governo quer acabar todas as populações da bacia do Rio Tapajós?  Se apenas a barragem de São Luis for construída vai inundar mais de 730 Km².

E daí?  Onde vamos morar?  No fundo do rio ou em cima da árvore?

Aximãyu’gu oceju tibibe ocedop am.  Nem wasuyu, taweyu’gu dak taypa jeje ocedop am. (não somos peixes para morar no fundo do rio, nem pássaros, nem macacos para morar nos galhos das árvores).  Nos deixem em paz.  Não façam essas coisas ruins.  Essas barragens vão trazer destruição e morte, desrespeito e crime ambiental, por isso não aceitamos a construção das barragens.  Se o governo não desistir do seu plano de barragens, já estamos unidos e preparados com mais de 1.000 (mil) guerreiros, incluindo as várias etnias e não índios.

Nós, etnia Munduruku queremos mostrar agora como acontecia com os nossos antepassados e os brancos (pariwat) quando em guerra, cortando a cabeça, como vocês vêem na capa deste documento.  Por isso não queremos mais ouvir sobre essas barragens na bacia do Rio Tapajós.  Por que motivo o governo não traz coisas que são importantes para a vida dos Munduruku, para suprir as necessidades que temos, como educação de qualidade, ensino médio regular, escola estadual, posto de saúde, etc.

Já moramos mais de 500 anos dentro da floresta amazônica, nunca pensamos destruir, porque nossa mata e nossa terra são nossa mãe.

Portanto não destruam o que guardamos com tanto carinho.

Das guerras, as cabeças do inimigo como troféu. Nas flautas e nos cantos ainda guardam a forma de encantar os animais nas florestas e encontram o último resquício da magia da sua história. Restam os Xamãs, únicos que podem invocar as Mães da Caça numa súplica contra os seres que querem ameaçar os animais.


[1] Segundo relato etnográfico, Mello (2006)

Pronto! Das páginas dos jornais

Pesquisa Ibope aponta Simão Jatene na frente


O candidato Simão Jatene (PSDB) aparece na frente na corrida pelo Governo do Estado, segundo a primeira pesquisa Ibope de intenção de voto no Pará. Na avaliação estimulada, o tucano aparece com 43% das intenções de voto, contra 33% da adversária Ana Júlia Carepa (PT).


Em terceiro lugar está Domingos Juvenil (PMDB), com 6%. Os candidatos Fernando Carneiro (PSOL) e Cleber Rabelo (PSTU) aparecem empatados na quarta colocação, com 2% da preferência do eleitorado paraense. Os votos brancos, nulos ou indecisos somam 14%. A margem de erro máxima estimada da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou menos. Isso indica que Jatene pode ter entre 40% e 46% e Ana Júlia, entre 30% e 36%.


A pesquisa foi encomendada pela TV Liberal. O Ibope ouviu 812 eleitores com mais de 16 anos entre os dias 24 e 26 de agosto nas regiões Nordeste, Baixo Amazonas, Marajó, Sudoeste, Metropolitana e Sudeste do Pará. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará, sob o protocolo nº 14954/2010, e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o número 26140/2010.


Entre os pesquisados estavam eleitores com grau de escolaridade até a 4ª série do ensino fundamental; 5ª a 8ª do ensino fundamental; ensino médio e superior. Participaram pessoas de ambos os sexos, com renda de até um salário mínimo; entre um e dois salários mínimos; e superior a dois salários mínimos.

No caso da pesquisa espontânea, em que não são apresentados ao entrevistado os nomes dos candidatos, Simão Jatene conta com 29% das intenções de votos, contra 18% de Ana Júlia. O candidato Domingos Juvenil tem 4% e os demais têm 1% da preferência entre os paraenses. Os votos brancos, nulos ou indecisos totalizam 47%. Se contabilizados apenas os votos válidos, o candidato tucano seria eleito no primeiro turno, com 51% das intenções de votos, contra 38% da candidata petista.

A pesquisa feita pelo Ibope mostra ainda o índice de rejeição dos candidatos. Um total de 41% dos pesquisados apontou que não votaria em Ana Júlia de jeito nenhum. No caso de Simão Jatene, 21% reprovam o candidato. Já Domingos Juvenil possui uma rejeição de 14%, seguida de 11% para Cleber Rabelo e 10% para Fernando Carneiro.


Segundo o Ibope, a maior rejeição de Ana Júlia foi registrada em Belém (47%). Da mesma forma, ocorre com o cadidato tucano, que é menos cotado entre os eleitores da capital paraense, com 26% de rejeição.


O levantamento foi feito através do modelo de amostragem, utilizando conglomerados em três estágios. No primeiro deles, os municípios foram selecionados probabilisticamente através do método PPT (Probabilidade Proporcional ao Tamanho), com base na população de votantes de cada município. Já no segundo estágio são selecionados os conglomerados com PPT sistemática, conforme a população de 16 anos ou mais, residentes nos setores. Por último, em cada conglomerado foi selecionado um número fixo de eleitores.


Presidência
- A pesquisa Ibope também avaliou a opinião dos eleitores paraenses em relação à Presidência da República. No Pará, a presidenciável Dilma Rousseff (PT) detém 52% das intenções de voto, contra 31% de José Serra (PSDB). A candidata Marina Silva (PV) está em terceiro, com 9% da preferência. Zé Maria (PSTU) foi apontado por 1% dos eleitores do Estado. Os candidatos Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Plínio de Arruda (PSOL) e Rui Pimenta (PCO) não foram indicados. Os votos brancos, nulos ou indecisos totalizaram 6% entre o eleitorado paraense.

Os números do Ibope mostram que 79% dos eleitores de Ana Júlia devem também votar em Dilma, assim como 40% dos eleitores de Simão Jatene querem ver a candidata petista na Presidência da República. No caso de José Serra, 14% dos eleitores de Ana Júlia e 49% dos eleitores de Jatene preferem o presidenciável tucano. A candidata Marina Silva detém 4% dos eleitores da candidata petista ao governo do Estado e 9% dos eleitores de Simão Jatene.
Fonte: Portal ORM

Pesquisa Liberada

Todo mundo já sabe que a última pesquisa do Ibope no Pará estará nas ruas hoje pela manhã, pois foi liberada para divulgação pelo juiz Osmane dos Santos.
Os jornais O Liberal e Amazônia já informaram que publicarão detalhes da pesquisa mais falada dos últimos meses.

Entãos estamos atentos para sua divulgação!

29 de agosto de 2010

Uma aula de história: O futuro do PT




Postado por Ronaldo Brasiliense   
O PT nasceu de cesariana, há 29 anos. O pai foi o movimento sindical, e a mãe, a Igreja Católica, através das Comunidades Eclesiásticas de Base.
Os orgulhosos padrinhos foram, primeiro, o general Golbery do Couto e Silva, que viu dar certo seu projeto de dividir a oposição brasileira.

Da árvore frondosa do MDB nasceram o PMDB, o PDT, o PTB e o PT... Foi um dos únicos projetos bem-sucedidos do desastrado estrategista que foi o general Golbery.
Outros orgulhosos padrinhos foram os intelectuais, basicamente paulistas e cariocas, felizes de poder participar do crescimento e um partido puro, nascido na mais nobre das classes sociais, segundo eles: o proletariado.
O PT cresceu como criança mimada, manhosa, voluntariosa e birrenta. Não gostava do capitalismo, preferia o socialismo. Era revolucionário. Dizia que não queria chegar ao poder, mas denunciar os erros das elites brasileiras.
O PT lançava e elegia candidatos, mas não "dançava conforme a música". Não fazia acordos, não participava de coalizões, não gostava de alianças. Era uma gente pura, ética, que não se misturava com picaretas.
O PT entrou na juventude como muitos outros jovens: mimado, chato e brigando com o mundo adulto.
Mas nos Estados, o partido começava a ganhar prefeituras e governos, fruto de alianças, conversas e conchavos. E assim os petistas passaram a se relacionar com empresários, empreiteiros, banqueiros.
Tudo muito chique, conforme o figurino.
E em 2002 o PT ingressou finalmente na maioridade. Ganhou a presidência da República. Para isso, teve que se livrar de antigos companheiros, amizades problemáticas. Teve que abrir mão de convicções, amigos de fé, irmãos camaradas.
A primeira desilusão se deu entre intelectuais. Gente da mais alta estirpe, como Francisco de Oliveira, Leandro Konder e Carlos Nelson Coutinho se afastou do partido, seguida de um grupo liderado por Plinio de Arruda Sampaio Junior.
Em seguida, foi a vez da esquerda. A expulsão de Heloisa Helena em 2004 levou junto Luciana Genro e Chico Alencar, entre outros, que fundaram o PSOL.
Os militantes ligados a Igreja Católica também começaram a se afastar, primeiro aqueles ligados ao deputado Chico Alencar, em seguida, Frei Betto.
E agora, bem mais recentemente, o senador Flávio Arns, de fortíssimas ligações familiares com a Igreja Católica.
Os ambientalistas, por sua vez, começam a se retirar a partir do desligamento da senadora Marina Silva do partido.
Afinal, quem do grupo fundador ficará no PT? Os sindicalistas.
Por isso é que se diz que o PT está cada vez mais parecido com o velho PTB de antes de 64.
Controlado pelos pelegos, todos aboletados nos ministérios, nas diretorias e nos conselhos das estatais, sempre nas proximidades do presidente da República.
Recebendo polpudos salários, mantendo relações delicadas com o empresariado. Cavando benefícios para os seus.
Aliando-se ao coronelismo mais arcaico, o novo PT não vai desaparecer, porque está fortemente enraizado na administração pública dos estados e municípios. Além do governo federal, naturalmente.
É o triunfo da pelegada.
Lucia Hippolito

Explicando sobre "Medrou?"

Recebi e estou compartilhando com os leitores sobre a postagem "Medrou?":

A Frente Popular Acelera Pará gostaria de esclarecer que a pesquisa eleitoral do Ibope sobre as intenções de votos ao governo do Pará foi impugnada porque a forma como a consulta seria feita, segundo o próprio registro, comprometeria a transparência e a veracidade dos resultados da pesquisa. A falha principal da pesquisa, que foi encomendada pela TV Liberal, se refere à não apresentação da amostra espacial do levantamento, além da quantidade de eleitores e número de entrevistados que estaria comprometido. Três exigências da lei eleitoral foram desrespeitadas: o instituto responsável não informou à Justiça os municípios em que foi realizada a coleta de dados, não apresentou cópia do questionário aplicado aos entrevistados e, ainda, não informou com clareza o período em que a pesquisa foi feita.
Então tá.

Falando nisso tem um blogger/cientista/anarquista/político que tá fazendo falta nesta época de eleiçoes medrosas e cheia de salamaleques: Juca Arruda.

Palavras de Hoje e Sempre

"São loucuras da vida deste mundo: querer amigo sem lealdade; ter a vida eterna sendo adúltero; o amor das mulheres com aspereza; querer para si com prejuízo alheio; querer ser sábio sem estudo e sendo folgazão".
Do livro Calila e Dimna.

Sabedoria de Calila e Dimna

Emprestado pelo Ivo Lubrinna, o Ivo Preto, o livro Calila e Dimna mostra uma sabedoria milenar, abrindo caminhos de experiencia e diplomacia na ciência política.
Um trecho é essencialmente precioso para chefes políticos e gerentes empresariais:
"O soberano não deve manejar com negligência uma coisa tão importante como é o poder, que tantos cobiçam e tão poucos conquistam, e que não pode conservar-se senão com a energia unida ao talento, nem pode ser recuperado uma vez perdido. O soberano deve, pois, manejar sua autoridade com a máxima aplicação. E, se assim não proceder, viverá mergulhado nessa incessante intraquilidade em que vive o macaco, a quem inquieta o ruído mais leve. O poder é tão sério como instável.Quem o conquista deve saber conservá-lo e defende-lo, pois, como dizem, é tão efêmero como a somba que passa sobre as folhas do nenúfar; tão frágil quanto a amizade do nobre e do mau; tã perigoso como a víbora que vive à espreita; tão movediço como o vento que nunca pára; tão pesado como a presença do biltre; tão fugaz como a gôta d'água deixada pela chuva.Quanto aos proveitos que dele tira o soberano, a nada parecem mais do que o fabuloso tesouro que o homem sonha possuir e se evapora ao despertar."
Agora imaginem em que século vou devolver este livro? ...rsrsrs

28 de agosto de 2010

O ultimo colibri



Quero mais uma vez olhar esta florzinha esquecida...
Este colibri diminuto, que me arranca
Suspiros...
Quero ouvir sons, os mais diversos,
Que soem em notas melódicas...
Como a leveza suave de uma
Folha caída...

Quero ver-te sempre linda menina...
Sorrindo...zombando...escorregadia...
Eu feito menino...arquitetando sonho impulsivo...
Rindo da vida, do mundo...

Quero ver o sol nascendo...morrendo...
E um último grito na floresta.
Quero o que resta de bom
Do que foi gerado há bilhões de anos...

O vento sussurrando...
O Ray Charles cantando
Uma canção do passado
E um coração solitário, apaixonado...

Quero o murmúrio do riacho...
Por que o acho singular.
Quero o som longínquo
De almas que se foram
Deixando a saudade...

Quero mais um dia na terra...
E partir só quando existir um último
Colibri beijando uma flor.

                            De Paulo Paixão

Chance para Itaituba

A Fiagril, que fornece serviços para o setor agrícola no estado do Mato Grosso, tem planos de instalar um terminal portuário no Pará, aproveitando os avanços logísticos que têm ocorrido no médio norte de Mato Grosso, principalmente na BR-163. A informação é do jornal ExpressoMT.

O investimento previsto para a criação do terminal portuário é de cerca de R$ 100 milhões. Embora o local de instalação ainda não tenha sido definido, cogitam-se as regiões de Santarém e Itaituba como as favoritas para a implantação do projeto.


As discussões sobre a construção de portos tem sido feroz, particularmente desde a elaboração do Plano Geral de Outorga (PGO) da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Com o PGO, o Governo Federal tenta controlar a construção de novos portos no litoral brasileiro.


No caso da Fiagril, o projeto de expansão, que inclui dobrar a capacidade de armazenagem de grãos e construir uma indústria de esmagamento de soja, deve consumir R$ 250 milhões nos próximos cinco anos, valores dos quais esperam ter grande retorno.

O colapso do PSDB

De uma dica feita por Jota Ninos:
 

Por Vladimir Safatle
Há algo de melancólico na trajetória do PSDB. Talvez aqueles que, como eu, votaram no partido em seu início, lembrem do momento em que a então deputada conservadora Sandra Cavalcanti teve seu pedido de filiação negado. Motivo: divergência ideológica.
De fato, o PSDB nasceu, entre outras coisas, de uma tentativa de clarificação ideológica de uma parcela de históricos do MDB mais afeitos às temáticas da socialdemocracia européia.
Basta lembrarmos dos votos e discussões de um de seus líderes, Mario Covas, na constituinte. Boa parte deles iam na direção do fortalecimento dos sindicatos e da capacidade gerencial do Estado. Uma perspectiva contra a qual seu próprio partido voltou-se anos depois.
A história do PSDB parece ser a história do paulatino distanciamento desse impulso inicial. Ao chegarem ao poder federal, os partidos socialdemocratas que lhe serviram de modelo (como os trabalhistas ingleses e o SPD alemão) haviam começado um processo irreversível de desmonte das conquistas sociais que eles mesmos realizaram décadas atrás. Um desmonte que foi acompanhado pela absorção de suas agendas políticas por temáticas vindas da direita, como a segurança, a imigração, a diminuição da capacidade de intervenção do estado, entre outros.
Este movimento foi reproduzido pelo governo de Fernando Henrique Cardoso.
Assim, víamos uma geração de políticos que citavam, de dia, Marx, Gramsci, Celso Furtado e, à noite, procuravam levar a cabo o “desmonte do estado getulista”, “a quebra da sanha corporativa dos sindicatos”, ou “a defesa do Estado de direito contra os terroristas do MST”.
O resultado não foi muito diferente do que ocorreu com os partidos socialdemocratas europeus. Fracassos eleitorais se avolumaram, resultantes, principalmente, de uma esquizofrenia que os faziam ir cada vez mais à direita e, vez por outra, sentir nostalgia de traços ainda não totalmente extirpados de discursos classicamente socialdemocratas. No caso alemão, o SPD acabou prensado entre uma direita clara (CDU, FDP) e uma esquerda renovada (Die Linke).
No caso brasileiro, esta eleição demonstra tal lógica elevada ao paroxismo. Assistimos agora ao candidato do PSDB ensaiar, cada vez mais, um figurino de Carlos Lacerda bandeirante; com seu discurso pautado pela denúncia do aumento galopante da insegurança, do narcotráfico, do angelismo do governo com o terrorismo internacional das Farcs e, agora, o risco surreal de “chavismo” contra nossa democracia. Um figurino que não deixa de dar lugar, vez por outra, a uma defesa de que é de esquerda, de que recebeu palavras carinhosas de Leonel Brizola, de que vê em Lula alguém “acima do bem e do mal” etc.
Nesse sentido, o caráter errático de sua campanha não é apenas um traço de seu caráter ou um problema de cálculo de marketing.
Trata-se do capítulo final da dissolução ideológica de uma sigla que só teria alguma chance se tivesse ensaiado algo que o PS francês tenta hoje: reorientação programática a partir de um discurso mais voltado à esquerda e (algo que nunca um tucano terá a coragem de fazer) autocrítica em relação a erros do passado.

Medrou?

Sob a alegação de inconsistencias nas informações, a coligação da candidata Ana Júlia impetrou uma liminar contra a divulgação das pesquisas contratadas ao IBOPE, pela TV Liberal.
O juiz Osmane dos Santos, que atua como magistrado auxiliar de propaganda no TRE, concedeu a liminar e, por enquanto, não sabemos (???) qual é a intenção de votos no Pará.

27 de agosto de 2010

Reunião no Trairão

Está sendo realizada a reunião do Conselho Consultivo da Flona Trairão, na cidade de mesmo nome.
A Flona Trairão engloba uma área de quase 260.000 hectares nos municípios de Rurópolis, Trairão e Itaituba.

Deverá ser apresentado por lá, pelo SFB, como será o edital da concessão da Flona Crepori, que esteve apresentando ontem em Itaituba para o prefeito e vereadores, que não compareceram no plenário da Câmara - exceção feita ao vereador Peninha - deixando os analistas do Serviço Florestal Brasileiro com a sensação (já conhecida entre nós) de que o interesse parlamentar da "Casa da Noca" local é pessoal.

A BATALHA DO TAPAJÓS




Postado por Ronaldo Brasiliense   
Sex, 27 de Agosto de 2010 11:42 
Terceiro maior colégio eleitoral do Pará - perde apenas para Belém, a capital, e Ananindeua - Santarém, no oeste do Pará, a Pérola do Tapajós, será palco, hoje, 27, de uma batalha decisiva pelo voto do eleitor do Baixo-Amazonas.
O ex-governador Simão Jatene (PSDB), candidato ao governo pela coligação Juntos com o Povo, faz uma carreata hoje à tarde na cidade, que pretende se transformar no maior evento da campanha dos tucanos nessa região.
Simão Jatene conta com dois trunfos: a presença do advogado tributarista santareno Helenilson Pontes em sua chapa, como vice, e a reconhecida liderança dos deputados Lira Maia (DEM), duas vezes prefeito de Santarém, e Alexandre Von (PSDB), um dos mais atuantes parlamentares da região.
Ana Júlia conta com o apoio da prefeita do município, Maria do Carmo Nartins Lima, mas terá dificuldades por enfrentar alta rejeição em todo o oeste do Pará, região que foi abandonada nesses três anos, sete meses e 27 dias de sua administração.
Ana Júlia fará um comício à noite.
E depois teremos as visitas em Itaituba.
Nenhum dois dois candidatos fez muita coisa pela região, além de promessas mal cumpridas.
Tá na hora de escrever as suas futuras ações para ir relembrando ao longo de seus possíveis governos.

26 de agosto de 2010

Agora resta Governar com Discrição e Profissionalismo

Os recursos impetrados por Sílvio de Paiva macedo foram rejeitados pelos ministros do TSE.
O tribunal, por unanimidade, desproveu o agravo regimental, nos termos do voto do Relator.

Agora é a vez de Valmir Climaco governar o município.

Roselito escapa?

Num momento em que o Congresso discute a reforma do Código Eleitoral e a sociedade pressiona para que se garanta a idoneidade dos candidatos a cargos eletivos, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu que a Lei da Ficha Limpa, além de ser aplicável às eleições deste ano, alcança a todos os candidatos já condenados por um colegiado de juízes. O entendimento dos ministros deve dificultar a situação de candidatos já condenados em decisões colegiadas que concorrem, por exemplo, a vagas no Senado Federal.
Haverá um milagre nesta situação?

Decisão Monocrática

Foi tentada uma liminar para suspender os efeitos do Acórdão que cassou os mandatos de MARIA GORETE DANTAS XAVIER e LUIZ MAGNO DA SILVA, respectivamente ex-prefeita e ex-vice prefeito de Aveiro.
O Ministro Hamilton Carvalho, em decisão monocrática, negou o seguimento, conforme abaixo:
Ação cautelar inominada ajuizada por Maria Gorete Dantas Xavier e Luiz Magno Souza Lima, respectivamente, prefeita e vice-prefeito do Município de Aveiro/PA, visando suspender, até o julgamento de embargos de declaração, o cumprimento do acórdão do Tribunal Regional Eleitoral do Pará que, mantendo sentença, lhes cassou os diplomas e aplicou multa à autora, por violação ao artigo 41-A da Lei nº 9.504/97.

A petição veio instruída com cópia dos autos do processo que tramita na origem e instrumentos de mandato.

Os autores, salientando a importância de sua manutenção nos cargos até decisão definitiva, afirmam que as provas que embasaram o acórdão regional se mostraram insuficientes, o que evidenciaria a fumaça do bom direito e o perigo na demora.

Por fim, pedem a concessão de liminar para que sejam mantidos nos cargos.

Todavia, no contexto em que se apresenta, a ação cautelar é prematura porque não esgotada a jurisdição do Tribunal a quo, visto que os embargos de declaração se encontram pendentes de julgamento. Incidência, na espécie, dos enunciados 634 e 635 da Súmula do Supremo Tribunal Federal.

Pelo exposto, nego seguimento à ação cautelar, com fundamento no artigo 36, § 6º do Regimento Interno do Tribunal Superior Eleitoral.
Assim vai ser empossado o presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Manoel Pereira de Oliveira, o "Sales", que era o "primeiro-damo" local.
Os desdobramentos de sua assunção ao cargo - provisoriamente - serão conhecidos amanhã mesmo.
Se os mesmos secretários e diretores serão mantidos nos cargos ou serão enviados para seus locais de origem? Amanhã saberemos.

Encontro dos 4 Rios

Está rolando aqui em Itaituba um evento que foi denominado "Encontro dos 4 Rios".
Este seminário pretende discutir sobre a construção de hidrelétricas, eclusas e hidrovias nos rios Tapajós, Madeira, Xingu e Teles Pires.
O local é no Parque de Exposições de Itaituba, a partir das 08:00 horas.

O velho vinil

De Paulo Paixão


Thê, thê, thê...xi, xi, xi...
Faz a agulha no velho vinil.
Depois..., uma guitarra chora
Uma canção de despedida...

Uma voz rouca e aveludada
Explode em emoção...
Te amo, te amo, te amo...
Volta, vem me dar calor
Vem aquecer-me,
Que o inverno chegou...

A bateria repica compassada...
Amassa a dor persistente
E um piano jorra borrifadas
De poesias ondulantes...

O violino arremete a imaginação
Para uma paragem desértica,
Onde os prantos se perdem
Entre os gemidos do silêncio...

As lágrimas rolam de um rosto
Roto de saudade
E de pesar...

De uma taça, as espumas
Borbulham queixas
Que uma boca amarga
Sufoca entre tragos
Cada vez mais afoitos...

E agora, a guitarra,
A voz rouca de veludo,
A bateria e o violino
Encravados no velho vinil
Recolhem-se ao seu fado
E o rosto roto de pesar
Cerra seus olhos...
O sonho acabou...


O Valor de uma enrolada Vale

Por Mônica Ciarelli

O nome da mineradora Vale foi incluído no Cadastro de Inadimplentes do
Governo Federal (Cadim), uma espécie de SPC da União, pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). A mineradora é acusada de não recolher corretamente a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Naturais (CFEM), os royalties do setor, referentes às minas no Complexo de Carajás, no Pará. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do DNPM.

A inclusão de uma empresa no Cadim impede a participação em licitações e também a obtenção de financiamentos. Em nota, a Vale contestou a decisão do DNPM, alegando que há divergências entre a interpretação da legislação pela companhia e pelo DNPM. "A Vale tem recolhido os valores incontroversos de forma regular e exercido seu direito de defesa contra cobranças que considera indevidas", afirmou a companhia, em nota.


Segundo fontes, o argumento da Vale para tentar retirar rapidamente seu nome do Cadim se baseia também no fato de a discussão em torno do pagamento dos royalties ainda não ter chegado à última instância. Por isso, o DNPM estaria errado na inclusão do nome no cadastro. Em abril, a mineradora foi condenada pela 1ª Vara do
Trabalho de Parauapebas (PA) a pagar R$ 100 milhões em danos morais e R$ 200 milhões por "dumping social". A Justiça entendeu que a empresa reduziu custos com seus funcionários de maneira artificial para conseguir vantagens competitivas na venda de seu produto.

A empresa foi acusada de impedir
empresas terceirizadas de registrar em suas planilhas de custos o pagamento das horas em que os trabalhadores gastavam para chegar às minas da companhia no Complexo de Carajás, no Pará. A legislação brasileira determina que esse período deve ser remunerado, pois nele os trabalhadores já estão à disposição da contratante.

Os R$ 100 milhões que a Vale foi condenada a pagar a título de danos morais serão revertidos às comunidades lesadas, "por via de projetos derivados de políticas públicas, de defesa e promoção dos direitos humanos do trabalhador", de acordo com a sentença. Já os R$ 200 milhões por "dumping social" devem ser pagos ao Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT).
**********************************************

Aqui, o que a Vale diz sobre as multas do DNPM.

Enfunando as Velas

A candidata do PT ao cargo mais alto do país - residente da República - já avança para vencer no primeiro turno.

A pesquisa Datafolha prevê que Dilma tem 49% de votos e Serra caiu (de novo) para 29%. Se a eleição fosse hoje, Dilma teria 55% dos votos válidos (os que são dados apenas aos candidatos) e venceria no primeiro turno.
 A pesquisa está registrada no TSE sob o número 25.473/2010.

Isto significa que a campanha de Serra está sendo um fiasco.

Ficha Limpa

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram nesta quarta-feira (25) que a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10) vale para condenações por órgãos colegiados ocorridas antes da sanção da norma, em 4 de junho. Por maioria dos votos - cinco a dois - venceu a tese de que as novas regras de inelegibilidade não são pena, mas sim critério para aprovar a candidatura.

A decisão ocorreu quando os ministros retomaram o julgamento do recurso do candidato a deputado estadual no Ceará Francisco das Chagas Rodrigues Alves (PSB). Por maioria dos votos, o TSE barrou hoje a candidatura do primeiro recurso de um candidato com registro indeferido com base nas novas regras de inelegibilidade. Ele foi barrado pelo Tribunal Regional Eleitoral local (TRE-CE) por ter condenação por compra de votos em decisão transitada em julgada em 2006. Sua defesa argumenta que ele já cumpriu as sanções determinadas na época do julgamento em 2004. Na oportunidade, ele foi condenado a perder o mandato de vereador e a pagamento de multa.
Fonte: Congresso em Foco

25 de agosto de 2010

Começa a Confusão

O presidente da Cooperativa Mista dos Garimpeiros de Serra Pelada, Coomigasp, Gessé Simão de Melo, convocou uma Assembléia Geral para o próximo sábado, 28, para tratar da aprovação de aditivos do processo de parceria com a empresa Colossus, propostos pelo governo federal, através do Ministério do Meio Ambiente. De acordo com Gessé Simão, já foram realizadas pré-assembléias com todas as 15 delegacias regionais dos estados que fazem parte da cooperativa, com o intuito de dar celeridade ao início da extração de minérios no garimpo de Serra Pelada.

A empresa canadense Colossus firmou parceria com a Coomigasp para a extração mecanizada de ouro no distrito de Serra Pelada. Desde que a parceria foi firmada, iniciou-se uma grande celeuma relativa aos direitos dos garimpeiros e o quantitativo que seria repassado para os filiados. Por conta do impasse, filiados do Sindicato dos Garimpeiros de Serra Pelada, Singasp, querem a criação de um Conselho Gestor para dirimir questões relativas à administração patrimonial do garimpo. A idéia é fazer uma administração conjunta, com a participação do Governo Federal e Estadual, juntamente com o município de Curionópolis.

De acordo com a diretoria do Sindicato, a administração de todas as finanças de Serra Pelada, hoje sob o controle da Caixa Econômica Federal, e ainda o ouro guardado no Banco Central e na Casa da Moeda passariam a tutela do Conselho Gestor, que deverá usar o dinheiro para suprir as necessidades das cooperativas e em projetos de manejo a serem implantados no garimpo. Por outro lado, a Associação dos Garimpeiros de Serra Pelada, Agasp, continua denunciando, através de suas lideranças, que os garimpeiros estão sendo ludibriados pelos governos e por grupos que defendem apenas interesses particulares.

Para a classe garimpeira, a mineradora está tentando instalar seus funcionários sem considerar o impacto do projeto no cotidiano da comunidade. Atualmente, cerca de 7 mil pessoas residem no Distrito de Serra Pelada, pertencente ao município de Curionópolis.
Fonte: O Liberal

Um Problema para Julgamentos em Itaituba

A partir de agora, antes de decidir sobre o processo criminal, o juiz deverá consultar a Defensoria Pública, além do Ministério Público. Isso é uma das diretrizes estabelecidas na Lei 12.313/10 - Lei de Execução Penal (LEP), sancionada no último dia 19 de agosto.

Além de incluir a Defensoria Pública na lista de órgãos da execução penal, a nova LEP fomenta a prestação de serviços de assistência jurídica, integral e gratuita, pela instituição, dentro e fora dos estabelecimentos penais, estabelece a necessidade de prestação de auxílio estrutural, pessoal e material à Defensoria Pública, em todas as unidades da Federação, além de reservar espaço próprio à instituição dentro dos estabelecimentos penais.
Para os advogados criminalistas vai ser um prato bem cheio aqui em Itaituba, uma vez que não temos Defensores Públicos nesta comarca. Significa dizer que os julgamentos poderão ser invalidados. Certo, senhores advogados?

A Troca

Rozza Paranatinga, o apresentador que melhor mostra a propaganda em um canal de notícias em Itaituba, vai mudar de casa.
Ontem à noite, em contato com o apresentador, o mesmo me disse que sai da Tv Eldorado - Band -no próximo dia 10 de setembro e estréia na Tv Cidade Dourada - RedeTV - em outubro.
Nos comunicou que a sua saída está atrelada a uma progressão profissional e, inevitavelmente, muita grana.

Sucesso, caboclo!

Vai clarear...

Está registrada sob o protocolo de número 14954/2010 pesquisa de intenção de votos para o governo do Estado e para o Senado no Pará.

Foi contratada pela Televisão Liberal LTDA.

Será feita pelo IBOPE Inteligência Pesquisa e Consultoria Ltda.

Serão ouvidos 812 eleitores em vários municípios.

A expectativa é de que a emissora divulgue os números no sábado à noite.

Os detalhes do registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estão aqui.
 Fonte: Blog da Repórter
 

Fiscalização: Ajuda de Cima

Além das ações ambientais conciliadoras que a SEMMAP vem executando normalmente - e sendo hostilizada por quem não quer se ajustar ao bem estar geral - agora tem a "ajuda" providencial de uma equipe de fiscalização da SEMA/Pará, "completinha da silva".

Por enquanto estão se dedicando aos degradadores hídricos, do rio Tapajós e redondezas. Logo, logo vão chegar aos mesmos locais em que já estivemos e causar mais rebuliço entre os avacalhadores presentes.

24 de agosto de 2010

AVEIRO: A questão é...

Enquanto muitos esperaram a decisão de quem, quando e onde seria O Escolhido para herdar o trono de Aveiro, alguns mais precavidos estão fazendo as confabulações necessárias para as eleiçoes já definidas pelo TRE, conforme decisão preliminar do tirular da 34a. Zona Eleitoral.

Por enquanto assume a prefeitura o presidente da Câmara local, o "Sales", que dorme (ou dormia) em berço esplendido da ex-prefeita. Dizem a boca pequena que suas primeiras providências serão exonerar o atual tesoureiro, o Louro e o secretário de Administração, o Cezane.

Mais tarde veremos quem serão os candidatos ao cargo mais elevado do município.

Que hombridade, Jatene!

Critiquei aqui a atitude da Coligação Juntos com o Povo, o PSDB e o candidato Simão Jatene pela tentativa de censura imposta ao blog da Franssinete Florenzano.

Agora elogio, da forma mais efusiva, a atitude de Jatene ao demonstrar que não deve se pautar pela censura para ser entendido pela população.
Vejam abaixo seu discurso:
“Pela minha história e meus princípios, mesmo sendo correta a atitude da assessoria jurídica, solicitarei que a mesma, caso possível, desista da ação”, afirmou o candidato ao governo do Estado pelo PSDB, Simão Jatene, sobre a decisão da Justiça eleitoral de mandar a assessora Franssinete Florenzano retirar de seu blog pesquisa eleitoral não registrada no TRE. “Mesmo quando Governador, jamais me utilizei da censura para calar quem quer que fosse”, disse Jatene.
E a resposta da blogueira sobre a atitude:
"Quero comunicar a todos que o candidato Simão Jatene, da Coligação Juntos com o Povo, protocolou pedido de desistência da representação contra mim no TRE-PA, o que não significa que a ação acabou. O pedido ainda tem que ser homologado em juízo..."
E prosseguiu, com um apelo à amiga governadora: "A governadora Ana Júlia Carepa deveria refletir acerca disso e também retirar a ação contra o jornalista Carlos Mendes.  A Rádio Tabajara FM permanece lacrada. Tal como esta blogueira, Carlos Mendes não é um empresário. Trata-se de um profissional com décadas de exercício de profissão, que deve ter o direito à informação respeitado."
E o Paraense ressalta:
Apesar do apelo, a censura à rádio Tabajara persiste.

Vamos pro pau!

Cansada de apanhar do grupo de comunicação de seu ex-mentor e sócio na administração do Estado, o deputado federal Jader Barbalho, presidente regional do PMDB, a governadora Ana Júlia Carepa (PT) decidiu partir para a briga contra seu ex-guru.
 
A coligaçção Acelera, Pará, que embala o sonho de reeleição de Ana Júlia - reprovada por 53% do eleitorado do Pará, segundo o IBOPE -, entrou com representação na Justiça eleitoral contra o jornal Diário do Pará e contra as rádios e a emissora de televisão do grupo RBA de Comunicação, pertencente à família Barbalho.
 
"Agora é guerra", comemorou um dos principais conselheiros de Ana Júlia, antecipando que, enfim, a governadora deve exonerar todos os indicados por Jader Barbalho que permanecem na administração do Estado em cargos de comando na Junta Comercial do Pará, no Hemopa, na Ceasa, na Loterpa e em cargos de assessoria especial na Governadoria do Estado.

Ação Ambiental

Uma ação ambiental do IBAMA, com apoio dos analistas do ICMBio, deflagrada nesta tarde/noite na estrada e localidade de Barreiras fez a captura de 54 quelônios.

Foram apreendidos dois veículos que carregavam os proibitivos animais. Um deles é de um vereador local, que ficou com medo da imprensa e da "ficha suja".

23 de agosto de 2010

Um Repto

Este blogger (escritor de blog) está lançando um repto a todos os candidatos às Assembléia Legislativa e Câmara Federal, por esta região (vide relação ao lado em votação), para que mandem suas propostas de trabalho, se eleitos forem.

Por isso, a partir de hoje, todos tem o prazo de 10 (dez) dias para enviar para este blogger seus desafios em legislar para o bem desta região.

O endereço eletrônico é agoniaouextase@gmail.com.

As propostas que forem enviadas serão publicadas aqui.
As que não vierem serão motivo de postagem sobre o desafio.
O prazo final é 02 de setembro de 2010.
A publicação será em 03 de setembro de 2010.
Vou estar aguardando.

*******************
Em tempo: repto significa desafio.

Que vergonha, Jatene!

Numa atitude ridícula e mesquinha, a Coligação Juntos com o Povo, encabeçada pelo ex-governador e candidato Simão Jatene e o resto do PSDB  pediu e foi deferida uma liminar para que o Blog da Franssinete apagasse uma postagem em que a mesma comenta uma sondagem interna do PT.
A referida liminar segundo a blogueira foi "concedida pela juíza auxiliar do TRE-PA, Ezilda Pastana Mutran, ao arrepio da legislação eleitoral e da liberdade de imprensa, princípio corolário do regime democrático vigente no Brasil e expressamente garantido na Constituição Federal".

Decisão que afastou a Prefeita de Aveiro pelo TRE

Acórdão 23.299/2010:
Decisão Plenária
Decisao em 17/08/2010
Acordam os Juízes Membros do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, à unanimidade, rejeitar as preliminares de violação do devido processo legal, contraditório, ampla defesa, desigualdade de "armas", quebra de isonomia, quebra de igualdade processual, impossibilidade do pedido de utilização de prova emprestada, preclusão do pedido de utilização de prova emprestada, impossibilidade de utilização da prova juntada sem a oitiva dos recorrentes e violação ao art. 397 do CPC. No mérito, negar provimento ao recurso, para manter a sentença recorrida, determinando o afastamento imediato dos ora recorrentes dos cargos de Prefeita e Vice-Prefeito do Município de Aveiro, bem como determinar o cumprimento desta decisão a partir da publicação do acórdão, nos termos do voto do Relator.
 Publicada no Diário de Justica Eletronico em 23/08/2010, nas páginas 02 e 03.

22 de agosto de 2010

ABAS promove XVI Congresso de Águas Subterrâneas

O XVI Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, o XVII Encontro Nacional de Perfuradores de Poços e a V FENÁGUA - Feira Nacional da Água serão realizados no Centro de Convenções Governador Pedro Neiva de Santana, situado na Avenida Jerônimo Albuquerque - Sítio Rangedor - Altos do Calhau em São Luis do Maranhão, no período de 31 de agosto a 3 de setembro de 2010.

21 de agosto de 2010

Programas Noturnos em Itaituba

Nesta noite temos vários programas bacans em Itaituba. Vejamos:

  • O Italual, que vai acontecer na praia do Paraná-mirim, com muita diversão para todos os gostos;
  • Aniversário do Waldeci Nascimento:

Eu vou primeiro pro aniversário deste caboclo. Depois...cama, com certeza!

Quem acredita?

Do Globo Amazônia, em São Paulo

O manejo sustentável de madeira e a coleta de castanha-do-Pará em unidades de conservação estaduais e nacionais da Calha Norte (PA) têm potencial econômico para gerar R$ 4,4 bilhões no período de 20 anos, entre 2011 e 2030. A previsão é de estudo coordenado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e divulgado nesta quinta-feira (19).

A análise do potencial econômico na região, localizada em um dos maiores corredores de biodiversidade do mundo, considera valores mínimos de geração de receita, uma vez que baseia-se na área disponível atualmente para concessão florestal. Apenas 12% do território, ou 850 mil hectares, foi destinada a esse fim até o momento. Se a área for duplicada para 24%, segundo o relatório, a geração de receita bruta poderá ser de R$ 8,6 bilhões no mesmo período.

A acumulação de capital por meio do manejo controlado na área, localizada no noroeste do Pará, superaria a economia atual da região, segundo a análise, excluindo a renda gerada pela atividade mineral de extração de bauxita.

Foto: MPEG/ Divulgação

Apenas 12% da região, área equivalente a 850 mi hectares, é destinada à concessões florestais. (Foto: MPEG/ Divulgação)





A pesquisa também estima que a exploração adequada de madeira e a coleta de castanhas-do-Pará possam criar 8.986 empregos diretos e indiretos, a partir de 2013. Segundo o relatório, também é possível incorporar outras atividades econômicas na região, como o turismo, a mineração e o pagamento de ativos ambientais por meio do mecanismo de Redd (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação)

Se o mesmo padrão de exploração econômica projetado para a Calha Norte fosse aplicado em outras unidades de conservação na Amazônia, a receita bruta gerada chegaria a R$ 26,4 bilhões entre 2011 e 2030, de acordo com o Imazon.

A previsão foi calculada considerando que 20% da área coberta por florestas estaduais e nacionais na Amazônia, equivalente a 5,4 milhões de hectares, pudessem ser destinadas à exploração sustentável de madeira.

Pesquisas?

Não se sabe por que razão ainda não foi feita (oficialmente) nenhuma pesquisa eleitoral no Pará.

O Jota Ninos nos aconselha a ler um artigo do Dornélio da Silva sobre o assunto.
Eu, curioso e leitor voraz, já fui lá e degustei as letras na página da Doxa Comunicação.

Que tal ir lá também? Então aqui vai o link:

Ele pediu pra avisar!

Hilton Aguiar mandou o seguinte email (ipse litere)para os blogueiros da região:

"Este é o Acordão que deferio o meu registro de candidatura. Divulgue essa noticia."

 Tá feito!

Vamos todos cantar de coração...

Hoje o Clube de Regatas Vasco da Gama comemora 112 anos de fundação.

Eu sou um dos felizes vascaínos pelo Brasil!

Manchetes

Neste sábado são seguintes as notícias nem tanto alvissareiras.

No Portal ORM:
No Diário do Pará: 

20 de agosto de 2010

Crime Ambiental

Muitos moradores de Jacareacanga vieram se queixar ao poster - que é eleitor daquele município, apesar de ser morador de Itaituba - que, nas obras de ampliação (que o prefeito local e seus seguidores chamam de construção) da Creche local a madeira que está sendo utilizada é castanheira (Bertholletia excelsa), uma espécie florestal que é considerada vulnerável pela União Mundial para a Natureza (IUCN) e, no Brasil, aparece na lista de espécies ameaçadas do Ministério do Meio Ambiente.
Como os analistas do ICMBio estavam por lá em reunião do Conselho Consultivo das Flonas aconselhei-os a dirigir a denúncia aos mesmos.
Veremos o que ocorrerá por lá. 

Fundo Florestal destinará mais de R$ 2 milhões para projetos florestais sustentáveis

O Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal (FNDF), gerido pelo Serviço Florestal Brasileiro, lança, nesta quinta-feira, dia 12, as primeiras chamadas para a seleção de projetos a serem apoiados com recursos do fundo. A estimativa é destinar R$ 2,2 milhões, em 2010, para ações de fortalecimento do manejo florestal.
O diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Antônio Carlos Hummel, considera que o início das operações do FNDF torna completa a estratégia promovida pela Lei de Gestão de Florestas Públicas, ao disponibilizar um fundo específico para apoio ao setor florestal. "A cooperação do FNDF com o Fundo Nacional do Meio Ambiente [FNMA], com a Diretoria de Florestas do Ministério do Meio Ambiente e com o ICMBio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade] foi fundamental para uma adequada concepção das chamadas e demonstra a sintonia dos diversos órgãos em torno deste novo instrumento de fomento", afirma.
Os projetos poderão ser apresentados por instituições públicas e privadas sem fins lucrativos. O prazo para entrega das propostas vai até 12 de setembro e o resultado da seleção sairá em 8 de outubro.
Ao todo são quatro chamadas, estabelecidas de acordo com as prioridades do Plano Anual de Aplicação Regionalizada para 2010, que contou com a recomendação do Conselho Consultivo do FNDF. As áreas escolhidas envolvem as regiões de atuação de três das quatro unidades regionais do Serviço Florestal. "São locais onde nossas equipes podem acompanhar e dar apoio direto às estratégias", explica o coordenador do FNDF, João Paulo Sotero.
Duas chamadas promovem as melhores práticas de produção de sementes e mudas de espécies florestais nativas para restauração da Mata Atlântica na região Nordeste. Os projetos beneficiarão os produtores de sementes e produtores de mudas com programas de capacitação e assistência técnica.
Outras duas chamadas apoiam o desenvolvimento do manejo florestal, em áreas de assentamentos na Caatinga do estado do Piauí e em Reservas Extrativistas (RESEXs) na região Norte. Nestas chamadas, o foco é aprimorar ou incrementar as atividades de manejo florestal, por meio da capacitação e assistência técnica.
A estratégia proposta neste primeiro ano da atuação do FNDF envolve o lançamento de chamadas para selecionar os beneficiários. Em seguida, eles serão apoiados por intermédio da participação em processos de capacitação e de assistência técnica, contratados por licitação pública para atender especificamente às demandas das comunidades.
Segundo o gerente de Fomento do Serviço Florestal, Marco Conde, este procedimento promove uma grande simplificação no acesso ao fornecer às comunidades serviços especializados especialmente contratados para apoio a suas atividades. "Com isso evitamos os processos de transferência de recursos e o peso dos seus procedimentos administrativos, que oneram principalmente as organizações menos estruturadas", afirma Conde.
FNDF - O Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal foi instituído pela Lei de Gestão de Florestas Públicas (11.284/2006) e regulamentado em maio deste ano com a publicação do Decreto Nº 7.167/2010. Sua principal fonte de recursos é a arrecadação com as concessões florestais, mas já neste ano conta com o apoio de parceiros.
Dos R$ 2,2 milhões disponíveis para as chamadas, além dos recursos originados nas concessões florestais também foram agregados recursos do Fundo Nacional do Meio Ambiente, da Diretoria de Florestas do Ministério do Meio Ambiente, do Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade e de emendas parlamentares.
De acordo com Sotero, com a ampliação das áreas de florestas públicas destinadas à concessão para manejo florestal, prevista para 2015, o orçamento do FNDF deve elevar-se para R$ 20 milhões por ano.
Acesse as informações sobre as Chamadas 2010

Informações
Divisão de Comunicação - Serviço Florestal Brasileiro
(61) 2028-7277 / 2028-7293
comunicacao@florestal.gov.br