Geologia e Ambiental

29 de janeiro de 2014

Informações sobre o novo código

No Nossa Terra, Nosso Minério você acompanha todas as informações sobre o novo código da mineração.

Estrada do Paredão em obras

Autor MC
"Trabalhadores" na Estrada do Paredão em obras

28 de janeiro de 2014

Pra lá e pra cá com dinheiro público

Aquele ex-secretário que vivia aqui prometendo asfalto, obras etc. e que desincompatibilizou pra tentar uma vaga na AP está de novo nas benesses do governo estadual: virou assessor, com nomeação retroagindo ao início do ano.
É o que denuncia a coluna RD do Diário do Pará.

Mas isso nem assusta depois do "investimento" que o Brasil está fazendo no porto de Mariel. Lá em Cuba!

Confirmado: o Navegapará naufragou!

Com a abertura de licitação para "Contração de Empresa especializada em Execução dos Serviços de Internet via rádio para atender as solicitações das Secretarias e Fundos Municipais de Itaituba/Pa" foi levado a efeito o que todos (da Prodepa ao usuário) já sabiam: o Navegapará - o maior programa de inclusão digital do Brasil (segundo a propaganda do portal) - naufragou.

Ainda bem que a Prefeitura acordou a tempo de reparar os danos causados pela péssima atenção do programa em Itaituba.

Mais essa: Projeto exige concessão pública para explorar riqueza na Amazônia

Um ocupante da Casa da Noca Federal, sem ter nada pra fazer, resolveu apresentar um projeto que monopoliza os recursos naturais na Amazônia.

O deputado Zveiter - deve ser parente dos que tomam conta do STJD há décadas - propõe que se estabeleça o monopólio da União na exploração das riquezas da Amazônia: os recursos naturais – encontrados na terra e nos rios da região – só poderão ser explorados mediante contratos de concessão, precedidos de licitação e remunerados com o pagamento de royalties.
Será que alguma "grande" está por trás dessa?

Leia mais sobre a babaquice do deputado do RJ aqui.

Licitações em Itaituba



PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAITUBA
NÚMERO DE PUBLICAÇÃO: 640698
FUNDOS E SECRETARIAS MUNICIPAIS DE ITAITUBA/PA
AVISO DE LICITAÇÃO
PREGÃO PRESENCIAL Nº. 011/2014.
Objeto: Contração de Empresa especializada em Execução dos Serviços de Internet via rádio para atender as solicitações das Secretarias e Fundos Municipais de Itaituba/Pa.-
Tipo: Menor Preço por Item.
Data: 07/02/2014.
Horário:09h.
PREGÃO PRESENCIAL Nº. 012/2014.
Objeto: “Aquisição de materiais de laboratório para atender as demandas da Coordenação Municipal de Controle de Endemias. (conforme termo de referência).
Tipo: Menor Preço por Item.
Data: 07/02/2014.
Horário:14h.
LOCAL PARA INFORMAÇÕES e RETIRADA DO EDITAL: Sala de Licitações e Contratos, Av. Maranhão, s/n, Bairro Bela Vista, Prédio da DICOM – Diretoria de Compras, Itaituba/PA das 08h às 14h.
Itaituba/PA, 27 de janeiro de 2014.
Kleber dos Anjos de Sousa - Pregoeiro

Nova foto premiada

autoria MC
Ferro-velho em Itaituba
Contaminação do nível freático, acúmulo de lixo e outros tipos de poluição ambiental são comuns em ferro velho.

27 de janeiro de 2014

Comentarista anônimo analisa atuação das dragas no Tapajós

Um comentarista anônimo envia uma análise ponderável sobre a atuação das dragas no Tapajós.
Parece ser conhecedor do assunto e atuante na área.
Assim vejamos o que diz nosso especialista (sem correção ortográfica ou gramatical):
Dizem que as Dragas de 18" em operação no tapajós produzem 2 quilos por mês.

Uma Draga de sucção de 18" de diametro, trata no máximo 70.000 m³/mês. Com a produção é de 2.000 gramas de ouro, Significa que o Teor recuperado está em torno de 30 miligramas por m³ (pouca coisa, quase nada).

O sistema convencional de tratamento em Dragas se compõe de:
Trommel;
Classificador/desagregador;
Jigagem primária;
Jigagem secundária;
Jigagem terciária;
Concentrador Knelson para apuração final.

Com o sistema "garimpeiro" de Carpete, è perder "ouro" e dinheiro. (podem redragar novamente que conseguirão a mesma produção) o que comprovará que a " eficiencia" da concentração deixa a desejar.

em uma comparação grosseira é como um sistema de alimentação, que tem apenas a boca e o "CÙ", sem o estomago e o intestino para a fazer a digestão, o processamento e melhor aproveitamento.

Assim os monstrengos que operam no madeira e no tapajós, EMBORA PAREÇAM uma obra prima da engenharia moderna, não passam de uma engenhoca bem rudimentar. A BOMBA LANÇA O MATERIAL succionado DIRETO no SLUICE, nas famosas caixas, já usadas nas corridas de ouro da australia, canada e estados unidos nos idos de 1860, de baixissimo poder de RETENÇÃO DE OURO FINO.

Como as fontes do ouro do tapajós devem ser as rochas intemperizadas e lavadas de seus tributaários, tropas, pacu, são jose, jamanxim, rato, crepori e outros, ou seja é ouro que sofreu um longo transporte, por consequencia deve ser fino, pela longa distancia que percoreu da fonte até o leito do tapajós.
Alguém do ramo  quer opinar?
O médico? O padre? O repórter? O advogado? O político? O sindicalista? Um garimpeiro? Algum pesquisador?

Fiscal tem poucos, mas os amigos do rei/rainha...

Uma reportagem em O Globo mostra que só existem 3.200 agentes públicos para a fiscalização nos três principais órgãos de vigilância e proteção: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), Fundação Nacional do Índio (Funai) e Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio). Isso significa que cada fiscal é responsável por 579 km² — área equivalente à metade da cidade do Rio de Janeiro.
Uma outra reportagem no blog do Parsifal Pontes deslinda, através de reportagem da Veja que existe o absurdo:  "se somar os cargos de confiança de toda a estrutura orgânica da Federação brasileira (União, Estados e municípios), o camelo passa no buraco da agulha: presidente, governadores, prefeitos e membros do Poder Legislativo nomeiam livremente, segundo cálculos da OCDE, garimpados nas fontes do IBGE, cerca de 800 mil pessoas".Tem mais: o escritor e historiador Célio Turino, no artigo “Reduzir cargos de livre nomeação para melhorar a Gestão Pública”, aumenta a conta: segundo ele, se agregarmos à estrutura acima citada os cargos de livre nomeação nos partidos políticos, que são pagos com o erário através do fundo partidário (R$ 294 milhões em 2013), o contingente sobe para 1,5 milhão de pessoas. 

Traduzindo em miúdos: é melhor ser amigo do rei que ser servidor federal.
 

Piabas e Pirabas

Parsifal Pontes trouxe à baila os termos acima, seguido pelo Diário do Pará.
Pirabas sofre uma investigação do Ministério Público do Pará em cima das licitações sob suspeita de fraudes.
O blogueiro e o jornal alertam que enquanto o MP fica direcionando os holofotes para Pirabas - uma piaba no troca-letras - deveriam dirigir o foco para a RMB (Região Metropolitana de Belém) onde as fraudes são mais evidentes e "mais maiores" do que a piabinha Pirabas.
Claro que o ex-todo poderoso O Liberal discorda veementemente e incita a fiscalização do MP a todos as prefeituras sob a égide do PMDB.

Um sujo falando do mal lavado. Ou vice versa.


O 9 vai estar em todos celulares

Após o acréscimo do 9 nos números de celulares dos estados do Sul e Sudeste, também os estados da região Norte vão ter este dígito, acrescido à esquerda do atual número.
Esta situação foi definida pela ANATEL para ter início em novembro deste ano.

Dicas para trabalhar 3

Continuando a ajudar os ocupantes da Casa da Noca, aqui vai nova dica para trabalhar continuamente:
  • Recentemente em programa de rádio, o presidente da CN se queixou que a grana que lhes é repassada não dá pra pagar as despesas. Como depende de valor referente a arrecadação da PMI sugiro que comecem a verificar onde está o gargalo da arrecadação própria.Ou começar a verificar se os tributos estão sendo arrecadados de forma completa, sem o famoso "arredondamento". Assim vai aumentar a sua parte também. Certo? De nada...

26 de janeiro de 2014

Terminais Hidroviários são reprovados no Pará

Uma pesquisa encomendada pela ANTAQ, através da UFPa, nos anos de 2011 e 2012 e concluiram que o Pará trata mal seus usuários, com o padrão de atendimento médio em torno de 22%.
Como dizem que fizeram levantamento em 64 terminais de passageiros no Pará - se passaram por Itaituba ninguém sabe e ninguém viu - a coisa está só confirmando o que já sabemos e reclamamos há trocentos anos: acesso, área para estacionamento de veículos, instalações e serviços, área de prestação de serviços públicos, salas de embarque e área de atracação tem resultados desanimadores.
A matéria sobre o assunto está no Diário on line.

Foto Premiada: Estrada do Paredão e seus inquilinos

cedido pelo leitor MC
Os inquilinos da Estrada do Paredão

25 de janeiro de 2014

Propaganda política antecipada

O PSD (leia-se governo do estado) está bancando o colunão Repórter 70, de O Liberal?

De repente, não mais que de repente começaram a pipocar na coluna diversas notícias de Itaituba, promovendo as "viagens" da D. Eliene à Belém, Brasília e "oscambau". Promove obras futuras no aeródromo de Itaituba, hidrlétricas e a instalação dos portos, mas não diz que só vai ficar uma merreca dos tributos por aqui e um montão de problemas sociais.
Afora o que já temos de problemas infraestruturais e se tornaram insolúveis pela inércia da administração.

24 de janeiro de 2014

Serra Pelada, Gold Stone etc.

A Serra Pelada foi um grande passo para mostrar que a fraude pode se tornar uma realidade. Vejamos os últimos passos da Collossus: 
A Colossus Minerals, que implanta projeto para produção de ouro em Serra Pelada, foi notificada pela TSX (Toronto Stock Exchange) que as ações ordinárias (negociadas com o símbolo CSI), as notas não seguradas vinculadas a ouro (unsecured gold linked notes - CSI.NT) e as garantias de compras de ações da empresa (CSI.WT.B), bem como todos os outros títulos deixarão de ser negociados na bolsa canadense, já que a companhia não atende aos requerimentos necessários para continuar sendo listada. Também foi anunciado pela Colossus que J. Alberto Arias renunciou ao cargo de diretor do conselho. Assim, John Frostiak permanece como o único diretor da empresa. (Brasil Mineral)
Aí aparece uma outra fraude chinesa que alavancou os preços das ações da Allied Nevada bem assim: 
Um press release informou ao mundo que uma mineradora chinesa, a Gold Stone Mining, estava lançando um hostile takeover sobre a Allied Nevada Gold Corp. Neste caso, a Gold Stone Mining estaria investindo 780 milhões de dólares na compra de  uma empresa que tem o valor de mercado de 500 milhões, o que iria alavancar as ações da Nevada, a empresa alvo. E foi exatamente isso que aconteceu, a Nevada subiu no primeiro dia 7% e continuou subindo até hoje, mais de 60%, graças a Gold Stone a aos analistas que colocaram a ação da Nevada como buy.
A Gold Stone Mining, segundo o que se falava, era uma grande mineradora chinesa, registrada em Hong Kong, que tinha 3 minas de ouro na China e que valia 15 bilhões de dólares.
Após a subida imediata das ações da Nevada o mercado recebeu um outro press release dizendo que a Gold Stone Mining pedia desculpas mas a notícia da aquisição hostil tinha sido feita em erro sem um aconselhamento adequado. (Geologo)
E os investidores estão com a cabeça queimando pra se livrar dos problemas causados por estes investimentos.
E os chineses? Bem, aí é outra história que vem sendo ensinada há mais de quatro séculos pelo povo do Reino Médio...

João e Kim

João e Kim nasceram em 21 de junho de 1970, dia em que o Brasil ganhou a Copa do México. Os pais de Kim eram professores; os de João também. Kim sempre estudou em escola pública; João também. Kim ama futebol; João adora. Kim é da classe média de seu país; João também. Os pais de Kim já se aposentaram; os de João também. Kim e João trabalham na mesma empresa, uma multinacional líder mundial em tecnologia. Kim é engenheiro e ganha R$ 7.100,00 por mês. João não chegou a terminar o ensino médio, ganha R$ 1.900,00 por mês. Kim trabalha na sede da multinacional e é chefe do chefe de João, que trabalha aqui no Brasil.
 
Onde os caminhos de Kim e João se separaram? A cegonha deixou Kim na Coréia do Sul, João no Brasil. Em 1960, a renda per capita na Coréia era metade da brasileira. Em 1970, eram parecidas. Hoje, na Coréia, ela é três vezes maior do que a nossa.
 
Como as vidas de centenas de milhões de Kims e Joãos tomaram destinos tão diferentes em poucas décadas? Educação, educação e educação.
 
O país dos Kims investiu no ensino público básico, de qualidade e acessível a todos. O governo coreano gasta quase seis vezes mais do que o brasileiro por aluno do ensino médio. Na Coréia, um professor de ensino médio ganha o dobro da renda média local; no Brasil, menos do que a renda média. Com isso, os Kims estão sempre entre os primeiros lugares nos exames internacionais de estudantes de ensino fundamental e médio – muitas vezes, em primeiro lugar. Os Joãos, melhor nem falar.
 
Só após garantir uma boa formação básica e bom ensino técnico, os coreanos investiram em ensino universitário. Ainda assim, a Coréia tem 3 universidades entre as 70 melhores do mundo. O Brasil não tem nenhuma entre as 150 primeiras. Hoje, a Coréia do Sul é, em todo o mundo, o país com maior percentual de jovens que chega à universidade – mais de 70%, contra 13% no Brasil. De quebra, o país dos Kims forma 8 vezes mais engenheiros do que nós em relação ao tamanho da população de cada um. Tudo isso com um detalhe: a Coréia gasta menos com cada universitário do que o Brasil, mas forma 4 vezes mais PhDs per capita do que nós.
 
Para cada won gasto com a aposentadoria do pai de Kim, o governo coreano gasta 1,2 won com a escola do seu filho. No Brasil, para cada real gasto pelo governo com a aposentadoria do pai de João, ele gasta apenas R$ 0,10 com a escola do Joãozinho.
 
No ano que vem (2014), os pais de Kim virão para a Copa do Mundo no Brasil. A mãe de João já tinha falecido, mas seu pai quis muito ir à Copa da Coréia e do Japão em 2002, mas não tinha dinheiro para isso. Há um ano, ele está fazendo uma poupancinha e ainda está esperançoso em ser sorteado para um dos ingressos com desconto para idosos para ver um jogo da Copa de 2014, nem que seja Coréia do Sul x Argélia. Como os ingressos com descontos são poucos e concorridos, as chances de Seu João são baixas. Se conseguir, quem sabe ele não se senta ao lado do Sr. e Sra. Kim. Pena que Seu João não teve a chance de estudar inglês. Eles poderiam conversar sobre os filhos…
 
Economista, apresentador do programa Manhattan Connection da Globonews e presidente da Ricam Consultoria.

Conferencia de revisão do Plano Diretor: Convite e não Convocação

Para não melindrar os ocupantes da Casa da Noca, o Núcleo de Execução Municipal do Plano Diretor de Itaituba está convidando (e não convocando) para participar da 1a. Conferencia de Revisão do Plano Diretor.
Data: 29/01/2014
Horário: 08h e 30 min.
Local: Auditório da FAI
Tema: Discutir e validar as propostas do Plano Diretor.

23 de janeiro de 2014

Entender quem tira e quem põe: cantiga do escravos de jó!

A Advocacia-Geral da União (AGU), por meio da Procuradoria-Regional Federal da 1ª Região (PRF1) e da Procuradoria Federal junto ao Departamento Nacional de Produção Mineral (PF/DNPM), obteve liminar em Medida Cautelar Inominada ajuizada no TRF da 1ª Região, assegurando que fosse atribuído efeito suspensivo ao recurso especial interposto contra acórdão proferido em apelação cível que deu provimento ao recurso do MPF para determinar o cancelamento/indeferimento de pleitos de títulos minerários nas áreas do entorno das Reservas Indígenas Roosevelt, Aripuanã, Parque do Aripuanã e Serra Morena, localizadas em Rondônia e habitadas pelos indígenas Cinta-Larga.

Na medida cautelar, os procuradores federais afirmaram que o DNPM acatou a sentença proferida na ação civil pública ajuizada pelo MPF que determinou o cancelamento/indeferimento de pleitos de títulos minerários dentro das áreas indígenas dos Cinta Larga, mas o TRF da 1ª Região deu provimento ao apelo do parquet para determinar ao DNPM que cancelasse todos os requerimentos de pesquisa  e lavra mineral incidentes em um raio de 10 Km no entorno dessas terras indígenas, indeferindo de plano qualquer requerimento incidente sobre essas áreas.

Diante disso, apontaram que a AGU interpôs Recursos Especial e Extraordinário e ajuizou a medida cautelar para que fosse atribuído com urgência o efeito suspensivo ao recurso especial a fim de evitar grave dano à exploração minerária na área de entorno do Território Indígena, que perfaz mais de 896 mil hectares, defendendo que a mineração é atividade econômica de longo prazo e de altíssimo risco, e que, por isso, demanda segurança jurídica, sendo dever da União assegurar as relações decorrentes da atividade de mineração e a máxima utilização dos recursos minerais.

Os prejuízos para União advindos de uma medida dessa natureza tem valor estimado em R$ 1,9 bilhão. E a perda não é somente financeira. O maior prejuízo é por conta da perda de credibilidade do país perante os investidores”, afirmaram os procuradores da AGU.

Ademais, argumentaram que se decisão do TRF for executada provisoriamente resultará na paralisação de pesquisas e lavras que já estão em andamento e, por conseguinte, gerará impactos da ordem social e econômica que serão irreversíveis, uma vez que na área do entorno da TI Cinta Larga existem 71 autorizações de pesquisa, uma de concessão de lavra e quatro permissões de lavra garimpeira, além de 61 de requerimentos de pesquisa, 12 requerimentos de pesquisa de lavra garimpeira, 18 áreas colocadas em disponibilidade, um licenciamento e dois requerimentos de lavra, que se forem cancelados causará grandes prejuízos aos atuais detentores de direitos de exploração nessa área e paralisará investimentos futuros em outras áreas, bem como levará ao desemprego cerca de 800 trabalhadores diretos e mais de 3.200 indiretos.

Por fim, aduziram que o acórdão recorrido valeu-se de uma interpretação analógica para aplicar o conceito da zona de amortecimento de unidades de conservação às reservas indígenas e, com isso, proibir a atividade minerária no entorno da TI, interpretação esta que foi indevida porque os escopos de proteção do direito ambiental e do indígena não se confundem, além do fato de que os dispositivos do artigo 15 da Lei nº 9.985/2000 e 37 do Decreto nº 99.274/90, que tratam da zona de amortecimento das unidades de conservação, não proíbem, de forma absoluta, a realização de atividades econômicas nessas áreas, de modo que a analogia acabou por proibir algo que a próprias normas utilizadas como modelo não proibiram, subvertendo o sentido dessas e criando regra própria para o caso da TI dos Cinta-Larga, o que não poderia ser admitido.

A PRF 1ª Região e a PF/DNPM são unidades da Procuradoria-Geral Federal (PGF), órgão da Advocacia-Geral da União (AGU).

 Essa e outras notícias podem ser consultadas no site da PRF 1ª Região: www.agu.gov.br/prf1

AS SAFRAS DE DEPÓSITOS DE OURO DO TAPAJÓS.




Este escrito foi realizado em 2007, por um profissional da área que teima em se manter anônimo, por detestar ter seu nome vinculado a uma produção deste quilate. Como eu o conheço há longo tempo - fomos colegas de faculdade - e sei de sua competência e limitações vou considerar o que ele me escreveu: "Diga que é de domínio popular".
Aproveitem...

Ao longo dos últimos trinta anos foram divulgados, na imprensa e no seio da comunidade geológica, diversas descobertas de dezenas de depósitos de ouro na região do TAPAJÒS.
A primeira safra ocorreu nos anos oitenta, quando a CPRM licitou e vendeu os famosos BLOCOS TAPÁJOS, ou BTs, nos quais foi alardeada a existência de minas de ouro na forma aluvionar, com milhões de metros cúbicos mineralizados e teores médios de até 1g/m3 (um grama por metro cúbico), muito acima da média de aluviões lavrados no mundo.
Diversas empresas que adquiriram as áreas, após executarem trabalhos de pesquisa concluíram que as informações eram fantasiosas.
Na década de noventa, nos idos de 95, 96, 97 diversas empresas consideradas como JUNIORES, com sede em diversos países (Canadá, Austrália, Estados unidos, Inglaterra, Hong-kong) declararam nos meios de comunicação, a descoberta de vários depósitos auríferos, com dezenas, alguns com centenas de toneladas de ouro, os CHAMADOS WORLD CLASS, que entrariam em produção em curto prazo. Os anos se passaram, e as minas não foram implantadas. O que permite que se conclua, que os tais depósitos na realidade não existiam, a não ser na mente dos responsáveis ou irresponsáveis, pelas alardeadas descobertas.
Com a subida do preço do ouro no mercado internacional, estando na casa dos setecentos dólares a onça, recomeça o anúncio da nova safra de descobertas de dezenas de depósitos de ouro no tapajós, por coincidência novamente, pelas denominadas companhias pequenas, ou juniors company, das quais, a maior parte completamente desconhecida pelos profissionais da comunidade geológica.
O jornal o LIBERAL de domingo, dia 12 de agosto de 2007, anunciou que no Tapajós várias empresas pequenas, avaliaram depósitos de até 60t (sessenta toneladas) de ouro. Os números regrediram, quando comparados com os anúncios de centenas de toneladas, declaradas na década de noventa, e nunca confirmadas.
Uma JAZIDA MINERAL, não é um número isolado. Dizer que se encontrou 100 toneladas de um bem mineral, seja ele qual for, não significa absolutamente nada; é apenas um número desprovido de qualquer valor.  Jazida é um termo que traz embutido conotação econômica, para que uma quantidade de bem mineral seja considerado uma jazida, tem que estar definidos os parâmetros que permitam seu aproveitamento econômico, para tanto, tem que se conhecer com precisão entre outros: tonelagem, volume, teor médio, relação estéril/minério, situação geográfica, caracterização tecnológica do minério, disponibilidade de tecnologia para extração e beneficiamento, localização precisa na crosta, rocha encaixante etc.
As noticias de descobertas no TAPAJÒS, de depósitos de sessenta toneladas de ouro é mais um caso de um número sem valor algum, para demonstrar que o que estamos afirmando tem fundamento, basta ver que:
É espantoso, mas a quantia total de ouro no mundo é surpreendentemente pequena, a estimativa é que o mundo produziu 1.428.571 quilogramas de ouro por ano durante 200 anos. Esse número talvez seja um pouco maior, mas ao imaginar que os astecas e os egípcios produziram uma quantidade considerável de ouro durante um longo período, é bem provável que esse número não esteja muito longe do produzido (1.428.571 quilogramas x 200 anos = 285.714.200 quilogramas).
O volume das águas dos oceanos possui 5.480.000 toneladas de OURO, é isso mesmo, cinco milhões, quatrocentos e oitenta mil toneladas de ouro, (os oceanos apresentam volume de 1.370.000.000 Km³ , área de 361.700.000 Km², e teor médio de 4 microgramas /m³),  o correspondente a 19,18 vezes a todo o ouro produzido pela humanidade ao longo de sua existência de milhares de anos.
Caso alguém declare que descobriu 5.480.000 toneladas de ouro nos mares não estará mentindo, porém, estará a uma distancia insuperável, de ter avaliado uma JAZIDA de OURO, uma vez que o teor médio de OURO nas águas dos oceanos é de apenas 4 microgramas por metro cúbico, isto é 0,000.004 g/m³, o que torna impossível seu aproveitamento econômico com as tecnologias de hoje.
Estes números demonstram que as declarações de descobertas de toneladas de ouro, sem que tais números estejam acompanhados de parâmetros econômicos, que permitam uma avaliação mesmo rudimentar das possibilidades de extração devem ser recebidas com cautela, pois pode ser que se trate de ouro semelhante ao marinho, que existe, porém não é recuperável com lucratividade, ou seja, nada vale.
O tempo como senhor absoluto da verdade se encarregará de demonstrar se estamos frente a uma nova safra de depósitos de ouro no Tapajós que não passam de alarme falso, como as outras já ocorridas.
Para que servem essas declarações BOMBASTICAS DE DESCOBERTAS DE CENTENAS DE TONELADAS DE OURO que não se confirmam, ainda é uma indagação sem resposta, porém que são intrigantes – ah! isso são - essas coisa não acontecem por acaso, alguém deve estar tirando proveito dessas descobertas fantasmas.
A quem será que isso está beneficiando? Ao país e a mineração nacional certamente não é, pois nada foi acrescentado ao patrimônio mineral nacional e muito menos ao mercado, haja vista que nada foi produzido a não ser BOATARIA.
     

22 de janeiro de 2014

A bagunça começou a tomar ares de BAGUNÇÃO 2014 - Capítulo V

Após audiência do Ministério Público Estadual nesta terça-feira, o promotor que investiga o caso Heverton, Roberto Senise, concluiu que a decisão do STJD que rebaixa a Portuguesa feriu o Estatuto do Torcedor e precisa ser anulada.
Senise chamará representantes da CBF para uma reunião na próxima semana, na qual pedirá que assinem um Termo de Ajustamento de Conduta, cancelando o julgamento da Justiça Desportiva. Caso a determinação não seja cumprida, o MP entrará com uma ação civil pública contra a entidade que comanda o futebol brasileiro.
Fonte UOL Esporte

Lamentavelmente esses senadores querem punir os protestos na Copa como terrorismo!

De autoria dos senadores Marcelo Crivella (PRB/RJ), Ana Amélia (PP/RS) e Walter Pinheiro (PT/BA), o PL 728/2011, cuja votação está sendo apressada no Congresso, prevê limitações ao direito à greve, além de considerar atos de manifestações, sob determinadas circunstâncias, terrorismo.
De acordo com a ementa - parte do texto em que se resume a proposta -, o projeto
define crimes e infrações administrativas com vistas a incrementar a segurança da Copa das Confederações FIFA de 2013 e da Copa do Mundo de Futebol de 2014, além de prever o incidente de celeridade processual e medidas cautelares específicas, bem como disciplinar o direito de greve no período que antecede e durante a realização dos eventos, entre outras providências".
Leia mais aqui.
O comentarista Daniel Augusto de Almeida  assim se manifestou sobre o assunto:
Eventos da FIFA criam um Estado dentro de outro Estado.

Este tipo de PL demonstra a preocupação em proteger este novo e temporário Estado a qualquer custo, mesmo que para isso direitos estabelecidos por nossa Carta Magna sejam ignorados.

É lamentável que pessoas com esta mentalidade ocupem cargos o qual denominam-se representativos. Representam os interesses de quem? Do povo, seus eleitores e pagadores de seus salários que não!

Representam unicamente os interesses daqueles que nos fazem gastar fortunas com elefantes brancos e que nos deixarão apenas um legado questionável, enquanto o real lucro originado por este evento Copa do Mundo de Futebol será por eles levado quase que na totalidade de nosso país para seus cofres.

Lamentável é o termo que resume tudo isso.

Pra lembrar: em Rurópolis tem o quipropró de Jacareacanga

Está ocorrendo na Comarca de Rurópolis, a audiência de instrução e julgamento da ação que pede a cassação do prefeito de Jacareacanga, Raulien Queiroz.

Será mais um na lista dos cassados ou daqueles que conseguiram se livrar da penalidade?

Não custa lembrar que, após 1 ano de mandatos, mais de 100 prefeitos já foram cassados em todo o Brasil.

Isto sim é um diamante!

Um diamante azul de 29,6 quilates, um dos mais raros e mais cobiçados do mundo com um preço de possivelmente dezenas de milhões de dólares foi descoberto em uma mina sul-africana pela Petra Diamonds.
A mineradora afirmou que o "excepcional" diamante do tamanho de uma bolota pequena o suficiente para caber na palma da mão foi descoberto na mina Cullinan, perto de Pretória.
A mina, propriedade da empresa desde 2008, foi o local onde em 1905 foi descoberto o Diamante Cullinan, descrito como o maior diamante bruto já recuperado, de 3.106 quilates.
Também foram encontrados outros diamantes notáveis na mina. Incluindo um diamante azul Cullinan de 25,5 quilates, achado em 2013 e vendido por 16,9 milhões de dólares, e um diamante achado em 2008, conhecido como a Estrela de Josephine, vendido por 9,49 milhões de dólares.
O diretor Johan Dippenaar disse à Reuters que a última descoberta do diamante azul pode ultrapassar descobertas recentes.
"Com alguma margem... essa é provavelmente a pedra mais significante que nós, em termos de pedras azuis, descobrimos", afirmou.
"As pedras no último ano estão vendendo bem, acima dos 2 milhões de dólares por quilate. Isso não é citação minha, são atualizações de mercado", disse, antes do primeiro comunicado do primeiro semestre da empresa.
A Petra Diamonds deve divulgar dados sobre produção e vendas para os seis meses até 31 de dezembro na quinta-feira, mas eles não levarão em conta a descoberta de janeiro.
O analista Cailey Barker da corretora Numis avalia que o diamante pode custar entre 15 milhões e 20 milhões de dólares em um leilão.

(Reportagem de Costas Pitas)

Aproveitar o estudo da CPRM na área de riscos geológicos é essencial

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgou na última sexta-feira (17/1), o balanço dos mapeamentos de áreas de risco no Estado do Pará. O trabalho está sendo realizando por profissionais da instituição que atuam na Superintendência Regional de Belém. Desde 2012, os pesquisadores percorreram 29 municípios, setorizando áreas de risco alto e muito alto. Entre as cidades mapeadas estão Belém, Altamira, Marabá, Óbidos, Santarém, Parauapebas, Anapu, Eldorado dos Carajás, Itaituba e Vitória do Xingu.  Outros seis terão o estudo até o final do ano, totalizando 35 municípios no Estado. (Fonte: MundoGeo)
A CPRM também estará oferecendo cursos de capacitação para Defesas Civis Municipais que busca transmitir conceitos, critérios e metodologias relacionadas ao diagnóstico, mapeamento e planejamento de intervenções, visando à prevenção de desastres naturais ou induzidos, principalmente movimentos de massa e inundações.
Atenção Defesa Civil de Itaituba: se não se considerarem os sabe-tudo em prevenção é bom participar, em maio, do segundo curso, em Parauapebas, que vai reunir representantes das Defesas Civis de 30 municípios do Pará.

21 de janeiro de 2014

Essa nem o prefeito de Jacareacanga sabe: os garimpeiros vão se transferir de Rondonia pro Tapajós!

A coluna, sempre mal informada e tendenciosa do Repórter 70, estampa uma nota provocativa:
 Goela abaixo

O que se diz é que a solução que o governo federal arrumou para realocar garimpeiros que ocupam a região a ser alagada pela futura Hidrelétrica do Jirau, em construção no rio Madeira, Rondônia, será a transferência para uma área de 10.000 hectares, equivalente a dez mil campos de futebol, no município de Jacareacanga, oeste do Pará. Mas o inusitado não está só nisso: os garimpeiros de Rondônia ocuparão parte da Reserva Florestal Mundurucânia. A proposta do Planalto tem sinal verde do DNPM. O fato remete ao ex-governador Hélio Gueiros que reagiu com estardalhaço à ideia do governo federal de depositar lá mesmo em Jacareacanga, resíduos do césio 137, provenientes de Goiânia. Bem, não é a mesma coisa, mas a ação predatória dos garimpeiros que exploram a região de Itaituba atualmente já não é bastante para tirar o sono das autoridades?
Primeira resposta é de que o sono das autoridades repousa em berço esplêndido, senão já teriam montado a prometida Regional da Secretaria de Meio Ambiente, cantada em prosa e verso em todas as reuniões do e com Colares, em Itaituba.
Segunda resposta é que o articulista do Repórter 70 não precisa cansar sua cabecinha em tentar resolver nossos problemas locais. Afinal sempre são contra o Tapajós!

Independente se a coisa tem fundamento, as várias tentativas que conhecemos de transferência de GARIMPEIROS de um local para outro nunca deu certo.

No vencimento do primeiro prazo estabelecido para a paralisação de Serra Pelada, foi aventada a possibilidade de transferir para o Tapajós e morreu no nascedouro.

No garimpo do Cumaru e da Serra das Andorinhas, Goiaba, Babaçu e Mamão também se cogitou conduzi-los para outros cantos, não funcionou.

Quem tem a mínima idéia do comportamento de garimpeiros,sabe que no momento em que falarem em tira-los de um local, eles logo criarão a certeza de que é porque tem ouro que não se acaba mais, que irão espoliá-los para entregar para alguma empresa, de preferência dirão que é a CVRD, e que os levarão para um local sem ouro algum. Fincarão pé e não irão. Aí vão aparecer políticos, sociólogos, ONGs, Pastoral da Terra e do Ar, índios e tudo mais para defende-los.

Assim, para conduzi-los para algum canto tem que agir como o FLAUTISTA DE HAMELIN: alguém com aspecto de garimpeiro espalhar o boato, a mentira  de BAMBURRO, com "puxada" de quilo, eles irão até para o INFERNO. 

Pois é "seu" Ivo...

Uma das muitas histórias de Itaituba:
Ivo Lubrinna de Castro, o famoso e não formoso Ivo Preto, mineiro de Valadares conta que quando veio das Minas pro Pará queimou todas as pontes pra não voltar mais pra lá. Aqui tornou-se garimpeiro e célebre por uma frase: "É a coisa mais fácil do mundo você transformar qualquer pessoa em garimpeiro. Mas você não consegue fazer o contrário. Depois disso nunca mais consegui ser um homem normal".
Dono do garimpo Piririma, na bacia do Rato, ficou conhecido pela sua atuação na força tarefa que não deixou o mercado do ouro desaparecer, como consequência da decisão da Constituinte, que queria dar fim ao IUM e efetivar o ICMS, como cobrança do tributo. Seria o caminho aberto para o contrabando ainda mais acentuado do ouro no país!
 Durante estas reuniões e sessões, as empresas contrárias à tributação única e com IOF de 1% fizeram um lobby contrário à aprovação da lei. Conseguiram montar alguns obstáculos importantes, como formar um grupo de falsos garimpeiros que iam aos gabinetes dos congressistas dizer que a lei só servia aos interesses dos banqueiros. No dia da votação, um dos lobistas dos falsos garimpeiros, conhecido como Parazinho, bateu boca com Ivo Preto. Desta discussão, Ivo deu um murro no Parazinho que o jogou a alguns metros de distancia e ainda aproveitou a ocasião para, literalmente, mastigar a sua falsa carteira de garimpeiro.
Fonte: A Redescoberta do Ouro

Quem for podre que se quebre...

A máxima "quem for podre que se quebre" está imperando no reino de D. Eliene.
Contam que existe uma briga de poder entre seus homens (e mulheres) de confiança, como segue:
  • A secretária de Educação, que acompanhava a prefeita até pra sessões de relaxamento e massagem, neste momento está sendo preparada pra virar churrasquinho;
  • a SEMMAP, menina dos olhos dos ambientalistas e dos nem tanto, está sendo disputada a tapas e pontapés pelo pessoal do ouro;
  • a SEMINFRA procura uma bússula pra trabalhar. Mas ali nem GPS de última geração dá jeito com estes dirigentes;
  • A SEMAGRA? Ora, o homem do chapéu não entende dos porcos;
  • A SEMDAS fica dependendo da boa vontade do pastor, que não solta dinheiro pra ninguém, mesmo com ordem de D. Eliene;
  • A Procuradoria Jurídica é um escritório de advocacia.
 E tudo se reflete nas obras públicas e privadas (entenda-se como obras dos particulares e não como sentina).

20 de janeiro de 2014

Por que Ituiutaba e não Itaituba?

Contam que um jovem promissor subgerente de uma agência do Bradesco em Belo Horizonte foi chamado por seu superior e lhe foi oferecida a oportunidade de gerente geral da agência de Itaituba, que naquela época tinha um movimento financeiro enorme.
Sem pensar duas vezes o jovem aceitou e foi correndo contar a novidade a sua noiva, que morava em uma cidade de Minas Gerais, se dispondo a casar imediatamente.
Feito isso, ele retornou a São Paulo e foi arrumar seus bregueços e acertar a transferencia para a SUA nova agência.
No departamento de pessoal foi apanhar sua passagem para a cidade destino. Surpreso ficou quando lhe entregaram uma passagem aérea. Baixou a vista para a ordem de transferencia e leu a cidade: Itaituba/Pará!
"Não!", arquejou desamparado. "Eu entendi Ituiutaba"!
Bom, não se sabe o fim dessa estória, mas a confusão dos nomes poderia ser benéfica agora, se esta notícia ocorresse em Itaituba e não em Ituiutaba:
A Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (Facip), que faz parte da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), realiza um trabalho em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, de mapeamento do pontos de descarte de lixo na cidade. O estudo mostra que a situação é preocupante e que a população tem uma boa parcela de responsabilidade no problema.
Durante o mapeamento foram identificadas nove áreas na cidade que, além do grande volume de resíduos, recebem materiais que causam risco para a saúde pública e o meio ambiente. Um relatório será produzido com os resultados do estudo e repassado ao poder público do município.
Fica a sugestão para as nossas faculdades encaminharem os alunos concluintes para trabalhos que sejam de profundo interesse coletivo do município.
 

Todos os moradores da Cidade Baixa?

Dia desses a imprensa televisiva mostrou uma reportagem sobre a interdição de obra, pela SEMMAP, de uma construção na 16a. rua com a Justo Chermont.
Alegava-se, na ocasião, que o responsável estaria construindo em local de fácil inundação.
Trabalho perfeito!
Mas, o mesmo procedimento será levado a efeito aos moradores da cidade baixa que moram em zonas de alagamento?

Desculpa esfarrapada

O presidente da Câmara anunciou, pomposamente, que a falta de pagamento da parcela patronal do INSS não é motivo pra bloqueio total do FPM de Itaituba.
Papai Noel também voa no trenó, viu presidente?

18 de janeiro de 2014

Quem sabe seremos "premiados"

Ora, ora...será que ele também não viria em Itaituba pra ver a "zona aeroportuária" daqui? Bem que a gente merecia isso também.
moreira

Moreira Franco vai percorrer o país na semana que vem para vistoriar os aeroportos com obras atrasadas para a Copa. São eles:  Fortaleza e Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Manaus e Cuiabá.
Por Lauro Jardim

17 de janeiro de 2014

Proporcionalmente...

As chuvas estão aumentando de intensidade e os buracos nas ruas também, apesar da operação tapa-buracos da prefeitura se tornar cada vez menos eficiente.
Se tudo aumenta - juros, alimentação, salário mínimo etc. - porque os buracos não?
Ô, raça pra reclamar...