Geologia e Ambiental

28 de fevereiro de 2010

Hora do Pantera Beber Água...

O Remo empatou com o Águia por 3 a 3.
Em Santarém, o Pantera ganhou do Paysandu por 3 a 2.
O Independente também ganhou pelo Santa Rosa por 2 a 0.
O Ananindeua bateu o Cametá por 2 a 0.

Classificaram-se para as semifinais Remo, Independente, Paysandu e São Raimundo.
O Pantera se classificou na última rodada. Agora vai ficar assim:

  • No próximo sábado, Independente e Paysandu jogam em Tucuruí.
  • No domingo, Remo e São Raimundo jogam em Belém
E quem arrisca um palpite para a final do turno?
Que tal Pantera Negra x Independente? 
Zebra total?

Sei lá...

Que Segurança!

Uma quadrilha integrada por aproximadamente dez homens armados roubou, na tarde de segunda-feira passada, 64 quilos de ouro da Reinarda Mineração Ltda. O minério, toda a produção do dia, estava no cofre da mineradora que explora ouro nos municípios de Floresta do Araguaia e Rio Maria, localizados no sudeste do Estado do Pará. Fortemente armados e todos encapuzados, os bandidos renderam funcionários da empresa na estrada que liga os dois municípios e os levou até a mineradora, rendendo, então, os seguranças e tomando-lhes suas armas.

Fonte: O Liberal

Uma ilha no Amazonas

Paulo Paixão


Comprida e estreita,
Entre o rio e um lago,
Como se estivesse perdida e intocada...

E o fora porque estivera no fundo
Do rio de inverno: cheio, transbordante.
Agora, as águas baixaram.
Aparecera para o sol (era verão)
E para a vida...

Solitária, encimada por capinzais,
Silenciosa..., isto é, às vezes, quando
A natureza se acalmava.

Uma casa toda de palha velha
Driblava o tempo.
Era a morada de um pescador.

Lá fiquei noites e dias, ora
Assoberbado, ora amedrontado....
Olhava o rio das cobras grandes e
Das piraíbas enormes de cima
Do barranco, recebendo sensações
Tantas: o cheiro das águas, de estrume
De gado, dos arbustos aromáticos...
A corrida desenfreada dos ventos
Sobre o leito do rio, as copas das árvores
E sobre o nosso corpo, massageando-nos,
Enlevando-nos e instando-nos a contatar
Com os santos e com a poesia...

À noite, conquanto as chatices dos carapanãs,
O brilho da lua e das estrelas descobriam o
Vasto campo e faziam das maresias do rio
Diamantes, espelhos resplandecentes para
O encanto de Iara e o chororô dos poetas.
O caboclo Zizito chegou da pescaria
Com cambadas de acaris e curimatãs
E os assou contando estórias de visagens e
Aparições...
E ainda que descrente de tais mitos,
Dormi atemorizado, chegando a acordar
Várias vezes, com as batidas do vento na porta
E o marulhar dos banzeiros de encontro às
Barrancas.

Amanheci vendo a revoada de pássaros
Atravessando a ilha numa cantoria
De despertar os bichos subterrâneos como
As formigas e os sapos.
Pude, então, perceber com nitidez a música de
Deus na voz dos pássaros, do vento, do rio, da
Mata...

Ouvi de dentro de mim o som do êxtase, o
Som de mim; a minha individualidade, o corpo
Do meu pensamento, enfim, aquilo que o Nosso
Deus nos garantiu sermos: a sua imagem
E semelhança!  

Seja responsável

Do Ecodebate:

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, entregou ontem (24) a 21 gestores de estados e municípios termos de convênios que garantem a elaboração de planos de gestão para o tratamento dos resíduos sólidos urbanos.
Os planos de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (Pgirs) têm o objetivo de organizar a gestão dos resíduos dentro das particularidades regionais, econômicas, geográficas, ambientais e sociais, com a meta de promover o desenvolvimento sustentável do ambiente urbano.
O Ministério do Meio Ambiente (MMA) destinará para cada município ou consórcio, formado por grupos de pequenos municípios, uma verba em torno de R$ 400 mil.

Leia mais aqui.


Esperança

Na comunidade do Caracol, município de Trairão, a população vive e convive com a esperança das obras das hidrelétricas projetadas para o rio Jamanxin.

As "novas" de que a construção iniciaria neste ano já começaram a correr por lá, propaladas pelas equipes de levantamentos preliminares.

Mas ainda não combinaram com os "russos" sobre as licenças ambientais necessárias para esses trabalhos.

Haja Calor!

As altas temperaturas em janeiro deste ano fizeram com que o consumo de energia elétrica crescesse 9,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados ontem pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O consumo nacional de energia na rede totalizou 33.718 gigawatts-hora (GWh).
A classe comercial registrou alta de 8,7% e a residencial, de 7,5% – maior valor histórico para um  mês de janeiro registrado entre os consumidores residenciais.
Já o consumo industrial subiu 13,2%, totalizando 13.772 GWh. Além do forte calor, a expansão na demanda por energia também pode ser explicada pela baixa base de comparação com janeiro de  2009, quando o país enfrentava os efeitos da crise financeira internacional.
Segundo a EPE, a região Sudeste concentrou 57% do consumo total de energia do país. A demanda na classe residencial nesta região – que possui 26,6 milhões de consumidoresresidenciais – chegou a 53% do consumo residencial nacional. Nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, a alta nesta classe de consumo foi de 16%. “Devido às elevadas temperaturas registradas nos estados do Sudeste durante todo o mês de janeiro, o consumo residencial médio mensal na região atingiu 186 kWh”,  informou a EPE.

A demanda por energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) registrou novo recorde ontem, quando chegou a 70.954 megawatts (MW), às 14h44, de acordo com boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A marca anterior havia sido verificada no dia 4 de fevereiro, quando a  demanda atingiu 70.654 MW.
Segundo o Operador do Sistema, às 14h44, houve recorde no consumo das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que atingiu 44.190 MW. No Nordeste o novo pico de demanda foi, de 10.115 MW, às 14h32.
Fonte: Setorial News

Movimento Anti Corrupção

O Movimento Anticorrupção na Engenharia foi lançado dia 22/02, durante a 5ª edição do Encontro de Lideranças, em Brasília. O evento é promovido pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), que abrange mais de 800 mil profissionais e 200 mil empresas.

O objetivo é, não apenas conscientizar as pessoas, mas propor medidas que levem ao aperfeiçoamento dos processos de contratação e fiscalização de obras e serviços na área tecnológica, aumentando a transparência no setor público e privado, aprimorando as leis e encorajando empresários e profissionais liberais a abrirem mão de práticas corruptas.

Dados da Transparência Internacional indicam que, atualmente, a perda devido à corrupção na Engenharia chega a U$ 5 trilhões em todo o mundo, o que corresponde a cerca de 10% dos projetos de infraestrutura. Por outro lado, segundo o Relatório Global de Corrupção 2009, empresas com programas de combate à corrupção e normas éticas sofrem até 50% menos corrupção e estão menos sujeitas a perder oportunidades de negócios.

26 de fevereiro de 2010

Petrobrás: novas descobertas

Do Setorial News:

A Petrobras anunciou ontem a descoberta de duas novas reservas de petróleo, uma no présale outra no pós-sal da Bacia de Campos, após a perfuração de um único poço, o 6-BR-63ARJS, localizado na área de concessão de produção de Barracuda, a 100 km do litoral do Rio de Janeiro. Segundo estimativas da empresa, os reservatórios somam volume de 65 milhões de barris de óleo recuperável.
“Uma das acumulações descobertas foi em reservatórios carbonáticos do pré-sal, a 4.340 metros de profundidade. Estimativas preliminares indicam a presença de petróleo leve (28º API), com volumes recuperáveis de, aproximadamente, 40 milhões de barris, em reservatórios com boa produtividade,confirmada pelos testes realizados”, informou a estatal em nota.
A outra descoberta está em reservatórios arenosos do póssal, com estimativas de 25 milhões de barris.Como já há infraestrutura de produção e escoamento instalada na área, a Petrobras informou que “estuda apossibilidade de interligar o poço 6-BR-63A-RJS à plataforma P-43, que já opera no Campo de Barracuda.”

Silêncio e Tristeza

Comentário oportuno de um leitor do Agonia:
"As falas dos comunistas brasileiros são uma tristeza. 
O silencio, uma lástima.
 Onde andam os defensores da democracia e da liberdade que silenciam sobre a morte do ZAPATA ?"

Lula consegue rir das palavras sem sentido do presidente (?) de Cuba, Raul Castro, de que nunca torturaram ou mataram ninguém por lá...

Parsifal 4.0: Uma Resposta

O deputado federal Zé Geraldo teceu hoje, na Câmara Federal, críticas ao PMDB do Pará.

Cobrou dos deputados estaduais “mais agilidade e responsabilidade para a aprovação do empréstimo de R$ 366 milhões”.

Lamenta ele que o PMDB “não esteja contribuindo no processo de aprovação do empréstimo”.

Zé Geraldo notou que o PMDB é um partido importante no Pará, com uma significativa bancada, a presidência da Assembléia e da Comissão de Finanças.

O governo do Pará já deve ter satisfeito os interesses do deputado Zé Geraldo, pois, há duas semanas, a governadora Ana Júlia foi ameaçada, por ele, de prévias dentro do PT, pelo fato de lhe querer tirar as tetas do INCRA dos lábios.

Mas, se o deputado pensa que este tipo de chantagem funciona com o PMDB está redondamente enganado: do lado de cá ele dá com a cara na parede.

Talvez, ainda falte atender algo ao deputado e seu grupo, e o governo precise do empréstimo de R$ 366 milhões para fazê-lo, por isto os arroubos cívicos em dar uma mão, com a outra pronta para receber.

O PMDB serve ao Pará e não ao PT e muito menos a Zé Geraldo que pode pensar que o PMDB é um agregado subalterno, pronto para votar qualquer coisa em troca de cadeiras vazias, como, aliás, vazia já está a cadeira que deverá sentar Everaldo Martins, o novo chefe do gabinete civil, tomado de assalto por Zé Geraldo, talvez achando que lá ficaria o cofre.

E agora deputado Zé Geraldo? Mais uma carta ameaçando prévias porque o governo esvaziou a casa civil?

O PMDB ajudou substancialmente na aprovação de autorização de empréstimos que já somam mais de R$ 2 bilhões ao governo: onde estão as obras essenciais que este montante ergueria?

O Pará continua sem ver o resultado do dinheiro e o PMDB não vai se pautar por discursos desta igualha para tomar decisões.

O deputado Zé Geraldo não tem autoridade moral para chamar os deputados estaduais do Pará de irresponsáveis pelo fato de eles não quererem ceder aos caprichos do governo.

O que a governadora está dizendo a quem ela chama em gabinete é a promessa de pulverizar o numerário em prendas que não são essenciais ao Pará, mas apenas substanciais ao governo e ao PT.

E os interesses deste incauto governo do PT, não têm sido coincidentes com os interesses do Pará.

É só ver a situação da saúde, educação e segurança pública no Estado, para constatar que o governo não usa de forma eficaz o que o povo lhe deposita nos cofres em forma de impostos.

Não seriam responsáveis o PMDB e os deputados estaduais, se corressem a dar mais dinheiro a quem não soube tomar e aplicar, mais de dois bilhões de reais já concedidos.

Se o deputado Zé Geraldo quer fazer o jogo de cobrança de responsabilidades, pode vir quente: o PMDB está fervendo e com bastante lenha embaixo da panela.

Inclusive, faz parte da lenha as vultuosas verbas do INCRA no Pará, onde o deputado Zé Geraldo tem assento em uma das cabeceiras da mesa.

23 de fevereiro de 2010

Se a moda pegar...

Fiscais da Operação Barreira Fiscal, realizada pela Secretaria de Estado de Governo do Rio para combater a sonegação fiscal, fecharam, no início da tarde desta segunda-feira (22), um posto de combustíveis na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, que vendia álcool adulterado. O estabelecimento vai ter a inscrição estadual cassada, além de receber multa da Agência Nacional de Petróleo (ANP), que participou da ação.
 Se a moda pegar no Pará vai ter gente dizendo que não sabia...

Mudança Climática

A mudança climática está acabando com as plataformas flutuantes de gelo em torno da Península Antártica, permitindo que os cientistas prevejam o que poderia acontecer se outras plataformas de gelo do continente desaparecerem, disse na segunda-feira o Departamento de Pesquisas Geológicas dos EUA (USGS).
O gelo já apresentou tamanho recuo que a ilha Charcot, durante muito tempo conectada à península por uma ponte de gelo, voltou a ficar realmente ilhada no ano passado, segundo uma cientista do USGS. 
O USGS foi o primeiro instituto a provar que todas as frentes de gelo na parte sul da península recuaram no período de 1947 a 2009, sendo que as mudanças mais dramáticas se deram desde 1990.
Um estudo do fenômeno pelo USGS, em colaboração com o Departamento Britânico de Pesquisas Antárticas e com assistência do Instituto Scott de Pesquisas Polares e do Instituto Federal de Cartografia e Geodésia da Alemanha, foi publicado em fevereiro no endereço http://pubs.usgs.gov/imap/i-2600-c/; uma nota à imprensa foi divulgada na segunda-feira.
 

Tá Provado

A prova de que o vereador não foi só passear em Brasilia.
Até o deputado Lira maia ficou em segundo plano.
E cadê o presidente da Câmara local?

Tá chegando a hora...

O primeiro projeto com o conceito de usina-plataforma será aplicado no Complexo Hidrelétrico do Rio Tapajós, com usinas no Amazonas e no Pará, e tem previsão para ser leiloado em 2011, com início de operação em 2016, segundo o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann. “Há um esforço muito grande para agilizar esse processo”, disse.
De acordo com o secretário, a Eletrobrás está realizando os estudos para a viabilização do projeto, que tem como principal objetivo permitir a exploração do potencial hídrico daRegião Amazônica provocando um baixo impacto ambiental. “O impacto é bastante minimizado, porque depois de pronta a usina, você precisa somente dos operadores e do pessoal de manutenção, que vai eventualmente à usina, dependendo do nível de automação”, explicou, dizendo que o conceito é o mesmo das plataformas de petróleo em alto mar. “É uma forma de explorar a riqueza e evitar uma devastação na região”, acrescentou o secretário.
Zimmermann destacou que a soma do potencial de dessas hidrelétricas se aproximará ao porte da usina de Itaipu (14 mil MW), com o diferencial de ter apenas 1,9 mil Km² de área inundada num total de 200 mil Km² de área de preservação.
Ele ressaltou ainda que para a transmissão da energia gerada pelas usinas-plataforma, poderão ser construídas torres mais altas, que passem por cima da floresta, com o mínimo de desmatamento, caso os estudos ambientais apontem essa necessidade.

Ainda não está explicado, né Arraia, como se dará o baixo impacto durante a construção desta "beleza" arquitetônica. E quando se fala de impacto não é só a ambiental, mas o social e o econômico.
Agora se já vão fazer o leilão, quem poderá impedi-los de ir em frente? O Lula já disse que não se deterá mediante a extinção de uma simples borboletinha, imagine de pessoas no Pimental?

Licença maternidade

Como existem controvérsias por parte de alguns empregadores é bom que se saiba que a Lei 11.170/2008 - que prorroga a licença maternidade -foi regulamentada pelo Decreto 7.052/2009 e já está em vigor desde 25/01/2010.

Assim, as empresas poderão aderir ao programa que permite a ampliação da licença-maternidade de 4 para 6 meses. A concessão do benefício é uma opção da empresa, que poderá abater a despesa do Imposto de Renda.

Depois da adesão, a funcionária tem um prazo de 30 dias após o nascimento da criança para requerer a ampliação. Ela tem direito ao salário integral. A medida também vale para casos de adoção. O objetivo é garantir o aleitamento e o bom desenvolvimento do bebê.

Durante os quatro primeiros meses da licença, o salário é pago pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e os outros dois pela empresa. A despesa que a empresa tiver com a licença-maternidade nos dois últimos meses poderá ser descontada na hora da declaração anual do IR. Segundo a Receita, a medida representará redução de R$ 414 milhões na arrecadação em 2010. Para aderir ao programa, a empresa precisa se cadastrar no site da Receita na internet. A funcionária deve pedir o benefício diretamente à empresa.

Nenhuma Novidade

O Espaço Aberto publica o relato, mas não se vê nenhuma novidade na notícia:


Mais de 60% de juízes ausentes nas comarcas do interior e aproximadamente 35% na capital. Este foi o saldo da blitz realizada na manhã desta terça-feira (22), em 147 varas das 153 existentes em todo o Estado do Pará. Vinte e um advogados - conselheiros da OAB-PA, que participaram da reunião, visitaram as comarcas da capital e do interior do Estado, para verificar in loco a freqüência dos magistrados.
A operação, que contou com o apoio dos presidentes das 17 subseções da OAB-PA chegou a um número alarmante. Das 147 comarcas visitadas, em 104 municípios, 89 não possuem juízes. Sem falar das 39 cidades sem nenhuma vara instalada. Em Santana do Araguaia, por exemplo, o município clama por um juiz a mais de dois anos. Um pequeno demonstrativo da total ausência do poder judiciário no Pará.
No oeste do Estado, uma das maiores regiões com 300 mil habitantes, apenas o município de Santarém contava com juízes nesta manhã. Diferente de outras cidades adjacentes, que compõem a jurisdição da subseção de Santarém, onde não foi registrada a presença de nenhum magistrado.
Na capital do Estado, a realidade não é muito distante da constatada no interior. Durante visita aos fóruns cível e penal de Belém, cerca de 1/3 dos juízes estavam ausentes e uma parte dos presentes, ainda descumpre a carga horária estabelecida pelo CNJ, que determina oito horas diárias de trabalho para magistrados.
Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a produção do judiciário no Pará é muito baixa, conseguindo apenas a segunda colocação em número de sentenças e decisões por magistrados. Os juízes paraenses emitem 497 sentenças por ano, enquanto os do Rio Grande do Sul produzem 5 vezes mais, emitindo 2.908 sentenças.
Estes dados, somados aos coletados na blitz, que recebeu o nome de “Operação TQQ”, confirmam o que a OAB já sabia: os juízes do interior do Estado não costumam trabalhar dia de segunda e sexta-feira. Além disso, a baixa produtividade por juízes somada à falta de magistrados nas comarcas, leva a conclusão de que a situação do judiciário é ainda mais grave do que se pensava - uma situação que, segundo o presidente da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos, “ofende a nossa Constituição e a nós mesmo enquanto cidadãos”.
Jarbas ainda fez questão de ressaltar que, nesse primeiro momento, a Ordem não levantou nenhuma situação pessoal ou particular de nenhum magistrado. “Essa foi a primeira visita. Nós advogados temos fé pública e somos o representantes da sociedade perante o judiciário, por isso, realizaremos tantas vistas quantas forem necessárias, ”, afirmou ele, para dizer que a Ordem não vai descansar e espera que a justiça esteja aberta ao diálogo. “Nós queremos discutir com o judiciário a qualidade do serviço por ele prestado. Queremos sensibilizar os juízes para uma reforma urgente no judiciário no Pará”.
Ontem mesmo a OAB encaminhou ofício ao CNJ e ao TJE, informando os números da operação. No próximo dia 2 de março, a OAB realiza a primeira reunião de trabalho com o presidente do TJE, Desembargador Rômulo Nunes, a fim de discutir formas de melhorar o desempenho do poder judiciário no estado do Pará.

Fonte: Assessoria de Imprensa da OAB

Vaga para Ativista Ambiental

A organização International Rivers , que apoia comunidades ao redor do mundo, buscando frear a construção de barragens destrutivas e promover melhores métodos para suprir a necessidade de água, energia e proteção contra inundações, acaba de abrir vaga para diretor do programa Amazônia.

O último diretor da entidade nestas plagas brasileiras foi Glenn Switkes, que faleceu em 21 de dezembro, em um hospital de São Paulo, por complicações decorrentes de um câncer de pulmão, aos 58 anos.

Maiores informações sobre a vaga? Clique aqui.

O crime não compensa

Policiais civis, do Grupo de Combate ao Crime Organizado, da Polícia Civil de Santarém, oeste do Pará, em operação conjunta com o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e agentes da Força Nacional, apreenderam cerca de quatro toneladas de mapará, no rio Tapajós, próximo à cidade. A apreensão ocorreu depois de denúncias. O peixe está protegido pela portaria do defeso.
(Diário online com informações da Polícia Civil)

Paulo Paixão: Meus ícones santarenos, Mimi Paixão e mestre Isoca Fonseca

Quero tecer alguns comentários dos meus ídolos da música santarena e justificar por que os admiro tanto a ponto de considerá-los meus ídolos.

Sobre o professor Isoca (era conhecido na cidade por professor Isoca) quero dizer apenas como o vi e o vejo, sem adentrar em considerações técnicas meramente de natureza biográficas. Quero contar dos meus sentimentos, das minhas experiências pessoais. Pois bem, o conheci através do meu Pai, o saxofonista Mimi Paixão, seu considerado afilhado. Papai sempre se reportou ao professor com muito respeito, não só pelo fato de ser seu padrinho, mas, e muito mais, por ser um cidadão exemplar, religioso e um músico e compositor por excelência.

O primeiro contato presencial que tive com o professor foi quando papai o pediu que me desse algumas orientações musicais para instrumentista iniciante, já que me aventurara a aprender tocar trompete (tinha treze anos). Vale sublinhar que o meu primeiro professor (iniciei aprendendo a tocar piano) foi o mestre Barbosa, um pacífico e educado senhor que mantinha uma escola de música em sua casa na Av. Mendonça Furtado quase esquina com a Barão. Não tive mais notícias do professor Barbosa, no entanto, desejo, sinceramente, que continue usufruindo boa saúde e atinja a longevidade máxima que pessoas da sua estirpe sempre alcançam neste mundo. Continuando, fui à casa do professor Isoca e ele me recebeu com toda aquela solicitude e humildade que sempre lhe foram peculiar. Fez-me executar o trompete e observou com muita atenção minha postura, meu sopro, etc. Em seguida corrigiu meus vícios posturais e falou muito bem do meu sopro, o que me deixou muito contente.

Mostrou-me, ao piano, algumas composições de sua autoria, que instigaram meu deleite espiritual e falou muito bem do meu pai como saxofonista e pessoa maravilhosa que era.

Algumas vezes o vi sentado manuseando papéis sobre sua escrivaninha na Agência do Banco do Brasil que existia lá na rua central, Av. Lameira Bittencourt (correto?). Trajava uma camisa manga-comprida branca e gravata escura. Imaginava: como fazia para conciliar a música (tocar e fazer composições musicais) com a profissão de bancário, já que essa profissão, até hoje, exige dedicação exclusiva e, diga-se de passagem, acarreta uma estafa física e psicológica muito acentuada a tais profissionais.

Na década de oitenta, por incentivo do meu colega de trabalho, o Rochinha, aliás, por sua exclusiva iniciativa, foram publicadas nos jornais locais (santarenos) algumas poesias de minha autoria. Para minha surpresa, num belo dia, o professor Isoca compareceu à agência do banco em que eu trabalhava e foi direto à minha mesa de trabalho e participou-me que colecionava minhas poesias divulgadas, visando remetê-las à Academia Paraense de Letras para concorrer à publicação numa antologia poética que reuniria as obras selecionadas de vários poetas paraenses. Não deu outra, minhas criações foram selecionadas e este feito devo à grandiosidade daquele homem que teve a sensibilidade de descobrir novos talentos, objetivando, obviamente, engrandecer a cultura santarena.

Devo registrar, também, que, posteriormente, não muito antes do seu falecimento, procurei-o com o intuito de que prefaciasse o meu primeiro livro de poesia intitulado “Poesias de beira de rio”. Na ocasião estava residindo no apartamento de uma sua filha médica, na avenida Magalhães Barata, São Brás em Belém. Recebeu-me com alegria e prontificou-se a me atender, apesar da sua saúde debilitada. Fê-lo numa folha de papel batido (o prefácio) a máquina de escrever e o assinou. Fui ao seu encontro, recebi o texto e o agradeci efusivamente.
Chegando em casa, guardei-o, tenho certeza, entre as páginas de um livro, principalmente porque não queria machucá-lo, aguardando o dia da sua edição. Esse dia chegou, porém, para o meu desespero não consegui encontrá-lo. Fiquei apavorado. Vasculhei todos os meus livros (que não eram poucos) e outros locais possíveis de se guardar documento tão precioso. Definitivamente não o encontrei...e essa desilusão carrego comigo sempre. Não me perdôo de tamanho descuido. Não há dúvida, trata-se de uma perda irreparável e imperdoável!

Meu pai foi um instrumentista de primeira linha. Iniciou seus estudos musicais na década de quarenta e foi aluno do frade alemão, o tão idolatrado Frei Ambrósio. Iniciou tocando flauta e ainda o vi executando algumas valsas (ex. Saudade de Pádua) em tons melodiosos, através de sua flauta transversal. No entanto, foi com o sax-alto que emplacou. Tocou na orquestra de base familiar “os Mocorongos”, posteriormente “The Clevers”. Finalmente, junto com os seus irmãos, o tio Adalgiso no bombardino (e trombone) e tio Calistro no prato ou bumbo, integrou a Banda Municipal de Santarém, sob a coordenação e regência do ilustre professor Isoca Fonseca, que nos seus impedimentos era substituído pelos, também, ilustres, tio Adalgizo Paixão e Sebastião Sirotheau.

Mimi Paixão fora um músico completo. Além de tocar com maestria, vivia a música, tinha um sopro educado e criava floreados fascinantes e era um boêmio que tocava em serestas e nos passeios de barco sobre o rio Tapajós. Junto com o meu tio Adalgizo (no bombardino) faziam primeira e segunda voz (como se um perguntasse e outro respondesse) numa harmoniosa entrosarão. Papai tinha uma postura de palco simplesmente exemplar: bem vestido, fazia movimentação corporal conforme o ritmo da música; descia do palco (ao som de uma valsa ou bolero) e adentrava no salão tocando suavemente junto aos casais apaixonados. Assim o viu o poeta:

Meu pai era músico.
Tocava saxofone...
Sempre elegante, descia.
O palco e juntava-se aos
Pares dançantes...
Sopro suave, enternecia
Os loucos amantes...

Dava um show à parte,
Balançando-se e dando vida
Ao seu sax-alto...
A exemplo de “cantando na chuva”
Que o superstar dançou
No asfalto!


Entenderam a razão de tê-los em tão alta estima?
Imagino que tanto meu pai, O Mimi Paixão e tio Adalgizo, quanto o inesquecível mestre Isoca continuam vivendo e suspirando música, integrando a “sinfônica das sinfônicas” numa interação perfeita lá no além onde os anjos são seus “backing vocal” e os santos, seus espectadores!

Paulo Paixão

22 de fevereiro de 2010

Energia Renovável com Biomassa

Com apenas resíduos naturais, sementes de açaí e folhas de árvores, pesquisadores das universidades Federal do Pará (Ufpa) e Rural da Amazônia (Ufra), desenvolveram o projeto “Energia Renovável com Biomassa”, que por meio de mini usinas bioenergéticas, podem tratar matérias de resíduos de atividades extrativistas de comunidades ribeirinhas da ilha do Marajó.
 
O projeto foi selecionado para o II Salão Nacional dos Territórios Rurais – Territórios da Cidadania em Foco, a ser realizado de 22 a 25 de março deste ano, em Brasília (DF), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.
 
Dentro do padrão de ecológica e ambientalmente correta, a mini usina com funcionamento bioenergético, vai trazer benefícios para geração de energia e de subprodutos, que garantirão o sustento de famílias no Município de Pontas de Pedras, na ilha do Marajó, a 43 km de Belém. O projeto, segundo os coordenadores, tem previsão, de ser instalado em três anos.
 
Durante uma reunião na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), dirigida pelo Secretário Adjunto, Claudio Cunha, e representantes das instituições envolvidas no projeto, inclusive do Reitor da Ufra, professor doutor Sueo Numazawa. Fundação Curro Velho (FCV), Secretaria de Estado de Governo (Segov) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), foram estudadas as melhores idéias para expor o projeto em Brasília.
 
No II Salãoserão apresentadas experiências inovadoras da sociedade civil e do poder público, denominadas “Boas Práticas Territoriais”, que combinam critérios de participação democrática, gestão e controle social com abrangência territorial. Só na região Norte foram selecionados 24 projetos de “Boas Práticas”, sete dos quais desenvolvidos em território paraense.
 
Larissa Fernanda
Ascom SEMA

O que eu gosto em Itaituba?

Das ações do Rotary Clube.

Neste fim de semana implementou uma ação social no bairro da Paz, com atuações de médicos, advogados e demais prestadores de serviços, tais como cabeleireiros, manicures, etc.
Houve até a doação de medicamentos aos que mais necessitavam.

Porque torna-se mais fácil para uma entidade sem fins lucrativos realizar uma ação desta?
Simplesmente não pensa em putas e patifes. Age com o coração e a sensibilidade.

Parabéns aos integrantes do Rotary Clube de Itaituba!

21 de fevereiro de 2010

É Campeão.

Botafogo.

Bi campeão da Taça Guanabara.

A invencibilidade do Vasco foi quebrada de forma indiscutível.

Ô, Loco...meu!

Da decisão...

É hoje!
Vasco e Botafogo vão escrever neste domingo, às 17h, no Maracanã, mais um capítulo na história do futebol carioca com casa cheia.
A final da Taça Guanabara, primeiro turno do Estadual do Rio, está lotada de atrativos.
O principal, claro, é a vaga na decisão do campeonato.
Quem vencer estará garantido para a final do campeonato. Quem perder fará de tudo para se recuperar na disputa da Taça Rio.

Uns Jotas vão chorar, profetiza o sempre jovial botafoguense Jota Ninos. Ele diz que sou eu.
Eu - é claro - sou Vascão hoje e sempre.

Cenas do Quotidiano em Itaituba

Cena Domingueira.
"Da Lua" levando uma panela com o caldo necessário ao restabelecimento de atividades...
 

20 de fevereiro de 2010

Pra quem vai torcer contra...

Uma sugestão para todos os "mulambentos" que pretendem torcer contra o Vascão amanhã: assistam hoje pelo Portal Cultura o Remo tentar vencer o Pantera Negra santareno.
E amanhã podem se ligar na Band que vai passar o campeonato paulista.
Ou melhor ainda...podem se morder de raiva bastante que a partida não tem nada a ver com vocês.

A Perereca adianta a conversa...

Na Perereca da Vizinha, um "avant-prèmiere dos papos políticos: 

Será uma semana de muito tititi na política paraense.

Na próxima terça-feira (23), PT e PMDB sentarão para mais uma rodada de negociações, em torno da reeleição da governadora Ana Júlia Carepa.

O encontro acontecerá às 19 horas, em Brasília.

Estarão presentes o morubixaba peemedebista, Jader Barbalho, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e os presidentes nacional e regional do PT, José Eduardo Dutra e João Batista.

Segundo uma fonte petista, a intenção é que os dois partidos acertem os ponteiros já nesse encontro.

Depois, será marcado um tetê-à-tête entre o Jader e Ana Júlia, “para bater o martelo”.
 Vá pra saber mais sobre o assunto.

Pelo Correios...

A Portaria nº 52 de 18/02/2010, publicada no DOU de 19/02/2010 modifica o protocolo dos documentos que forem enviados ao DNPM, a partir desta data.

Anteriormente podia-se enviar via Correios, os requerimentos, documentos e juntadas, mediante porte simples ou com aviso de recebimento, que a data de postagem servia como data de protocolo. Com esta nova portaria, a data será aquela em que os documentos chegarem via Correios, no DNPM.

Com isso os interessados poderão perder prazos se não abrirem os olhos...

19 de fevereiro de 2010

Mais. Ou Menos?

De acordo com a minuta de resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que define o número de vagas para parlamentares na Câmara dos Deputados nas Eleições de 2010, publicada nesta quarta-feira (17), os nove Estados da Amazônia Legal terão, ao todo, 94 representantes.
O Pará é o que vai possuir mais deputados federais, 20, seguido por Maranhão (17) e Amazonas (9).  Os outros Estados, Mato Grosso, Acre, Rondônia, Amapá, Roraima e Tocantins, contarão com oito parlamentares cada.
Segundo informações do jornal A Tribuna, o texto da minuta e um pedido da Assembleia Legislativa do Amazonas, para que fosse feita a redefinição da quantidade de deputados federais, serão discutidos em audiência pública marcada para o dia 24 de fevereiro, a partir das 15h, no auditório do TSE.  Nesta audiência, também será discutida a minuta do voto em trânsito para presidente da República nas eleições de outubro.

Eu Quero...Também essa fatia...

Do Amazônia. org por Alana Gandra
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está pronto para financiar o vencedor do leilão da hidrelétrica de Belo Monte, previsto para ocorrer até abril deste ano, disse ontem (18), o presidente do banco, Luciano Coutinho.
“O BNDES estará preparado para financiar o projeto, na escala e no volume que o possível vencedor do certame demandar”.
O presidente do BNDES lembrou que a menor tarifa será fundamental para definir o vencedor do leilão.  E adiantou que o banco irá examinar a compatibilidade do custo e do retorno financeiro, além de condições de garantia do projeto.
Ele espera que as condições que serão oferecidas sejam atrativas para propiciar uma concorrência que dê validade ao leilão.  “A nossa preocupação é que os elementos de competição estejam presentes e nós ajudemos o processo competitivo”.
Em relação à operação de compra da Brenco pela ETH Bioenergia, controlada pelo Grupo Odebrecht, Coutinho lembrou que o BNDES já é sócio da Brenco e continuará participando do capital da nova empresa.  “Nós remanesceremos sócios da nova empresa e, na medida em que outros sócios aportem capital na empresa, o BNDES também aportará, em uma escala moderada”.
A operação foi formalizada nesta quinta-feira, sinalizando para a constituição de uma empresa líder na produção de etanol à base de cana-de-açúcar.

Cosanpa e nada... É a mesma coisa!

Ainda bem que a COSANPA inexiste aqui em Itaituba. Só consegue colocar água - mal tratada e suja - para pouco mais de 400 teimosos consumidores, num universo de 90.000 habitantes.

Se não fosse esta situação poderíamos ter uma reação deste tipo aqui. E com toda razão.

Como vai ser no Tapajós

Um vídeo divulgado pela Eletrobrás mostra como será a Hidrelétrica em São Luiz do Tapajós:




E a discussão só está começando!

A Eletrobrás já criou um site específico para divulgar os benefícios do Complexo Tapajós.

Penduricalhos

Tem tanta gente sobrando no quadro da prefeitura local, que nos Tributos os assentos estão sendo ocupados pelos "inativos".
Deve ser a "motivação" encontrada pelo atual prefeito para se eleger legislador estadual...

E nem se levantam pra dar lugar a quem quer pagar os salários deles: os contribuintes!

A Solidão do Poder ou o Poder da Solidão?

Do Espaço Aberto:
Governos são governos.
Claro que são.
Governos atraem.
Claro que sim.
Governos inebriam.
Quem duvida?
Governos encantam os adesistas de todas as horas, de todos os matizes, de todas as preferências ideológicas.
Bastam que sejam governos.
Em épocas de eleição, então, aí mesmo é que os governos exercem uma atração especial.
Aliás, especialíssima.
Este é o tempo das promessas.
Dos oferecimentos de facilidades.
Das jogos de sedução que se travam nos gabinetes, longe dos olhos do distinto eleitorado.
Assim são os governos.
O poder de sedução que exercem, entretanto, varia muito.
Por aqui, o governo Ana Júlia pode entrar para a história política deste Estado como o primeiro com poder de sedução zero – zeríssimo – para atrair partidos políticos de expressão com vista a um pleito como o que se travará em outubro.
O que seria de se esperar numa hora dessas?
Que os partidos – os de expressão, os que realmente têm representatividade e densidade eleitoral – corressem para os braços de Sua Excelência a governadora Ana Júlia, para se aliarem com ela.
O que acontece, porém?
Acontece o contrário.
Ana Júlia é que corre em direção aos partidos - os de expressão, os que realmente têm representatividade e densidade eleitoral -, mas nenhum, até agora, sinalizou que pretende aliar-se a ela.
Confiram.
O PMDB. A possibilidade de que venha a manter a aliança com Ana Júlia é equivalente à do Íbis, o pior time do mundo, ganhar do Manchester. O Íbis pode até ganhar, mas é muito difícil.
PTB, PDT e PR. Marcham para formar um bloco.
O DEM. Ainda é uma incógnita, mas dificilmente se aliará a Ana Júlia.
O que sobra então para Ana Júlia?
Sobram penduricalhos.
Sobram nanicos dos nanicos.
Sobram partidos com pouquíssima densidade eleitoral.
Serão esses penduricalhos suficientes para garantir a reeleição da governadora? 

Prazo Fatal

Defensores do Meio Ambiente, fãs de fotografia e observadores de aves têm o final de semana para clicar aves brasileiras em liberdade e inscrever até 6 fotos através do site www.avistarbrasil.com.br/concurso; internautas continuam votação nos cliques preferidos para influenciar no resultado final do prêmio ‘Vox Populi’; total de prêmios soma R$ 62 mil.

Termina às 24h da próxima segunda-feira, 22 de fevereiro próximo, o prazo para inscrições no 4º Concurso Avistar Itaú BBA de fotos de aves. Birdwatchers, defensores da preservação do Meio Ambiente e fotógrafos, amadores ou profissionais, adultos ou crianças, sejam brasileiros ou estrangeiros, têm neste final de semana pós-Carnaval a chance para clicar qualquer espécie de ave brasileira em liberdade para tentar um dos vários prêmios, que  somam R$ 62 mil.

18 de fevereiro de 2010

Perdão

A Casa Civil vai encaminhar ao Congresso nos próximos dias uma proposta para amenizar um “barril de pólvora” que nos últimos anos vem causando sérios conflitos agrários no estado de Rondônia.  A Floresta Nacional (Flona) Bom Futuro, unidade de conservação federal localizada próxima à capital, Porto Velho, terá parte de seu perímetro remarcado, o que possibilitará que áreas ocupadas ilegalmente dentro da floresta sejam regularizadas.
Uma permuta de áreas entre o governo estadual de Rondônia e a União fará com que os mais de quatro mil habitantes que vivem hoje dentro da unidade de conservação possam permanecer no local.  Segundo o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio), Rômulo Mello, o governo de Rondônia deve ceder para o governo federal cerca de 180 mil hectares de áreas protegidas estaduais, enquanto a União desafetará 140 mil hectares da Flona Bom Futuro.
“Ao longo dos últimos 15 anos, a flona foi sendo invadida, grilada e totalmente ocupada.  No momento em que fizemos pressão para desocupá-la, veio um movimento social muito grande no sentido de que aquela área deixasse de ser unidade de conservação”, diz Mello.  “É um acordo que se faz num momento de dificuldade, o ideal seria que não tivesse acontecido.  Vamos ver se no futuro não se faz dessa forma”, considera.
O governo federal ainda não definiu se a proposta virá para o Congresso em forma de medida provisória ou projeto de lei.  O texto final também não foi fechado.  Segundo Rômulo, o ponto de divergência está nos limites nortes da unidade e na definição de limite de floresta estadual a ser cedido para a União.
“Em função do desenho que será dado à floresta a partir da área estadual, pode haver perda de conservação.  Pedimos mais 60 mil hectares para o governo de Rondônia e fizemos novas recomendações.  A bola agora está com o governador Cassol”, disse Rômulo, se referindo ao governador de Rondônia, Ivo Cassol (PPS).
 Fonte: Amazônia

Adequação de medida

Da Agência Brasil:
As farmácias brasileiras começam a se adequar, a partir de hoje (18), à resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece que os medicamentos não devem ficar ao alcance dos clientes. De acordo com a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), cerca de 18 estados têm liminares que os desobrigam a acatar a medida.
Os estabelecimentos que não cumprirem a decisão da Anvisa estarão sujeitos a multas que variam de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão, além de penalidades que vão da apreensão de mercadorias ao cancelamento do alvará de funcionamento.

Martelo

O prefeito Roselito Soares quer agilizar a única obra de seus governos antes de se afastar para dar espaço ao vice Sílvio Macedo. Vai se candidatar ao Legislativo Estadual e por isso esteve visitando o ginásio de esportes para garantir que a inauguração seja antes de 28 de março de 2010.

Confirmou a "ajuda" da governadora em 400 mil para término da obra.

Nestas alturas, o "prego do caixão" dele - vereador Peninha - deve estar imaginando como vai colocar areia na farofa de Roselito.
A não ser que saia um cala-a-boca volumoso pelo caminho.

16 de fevereiro de 2010

De Paulo Paixão: Tempos bons que não voltam mais



                                                 “Viver para contar” é o título de um dos famosos livros do eminente escritor latino Gabriel Garcia Márquez (prêmio Nobel da literatura). Contar as experiências vividas, via de regra, é o que os idosos fazem com prazer, aliás, e com sabedoria, pois, são elas que mantém a tradição, a memória e toda bagagem do aprendizado dos homens ao longo dos tempos, além disto, sustentam a evolução do ser e do saber humano.
                                                 Filosofia a parte, ando revivendo meus tempos de menino ou adolescente todos vividos na minha cidade natal, Santarém, “a pérola do Tapajós”. O meu mundo compreendia a casa de morada de poucos cômodos, assoalhada e coberta com cavaco, encravada num quintal grande, cheio de fruteiras e ligados a outros quintais através de cercas de estacas de madeira sempre esburacadas para, nós meninos, explorarmos os terreiros vizinhos à procura de manga, goiaba ou azeitona. Não escondo que balávamos passarinhos e calangos, aventura infantil esta, na atualidade, inteiramente reprovável (na avaliação de qualquer menino), mas que naquele tempo, para nós meninos, tinha a mesma graça que empinar ou correr atrás de uma pipa serrada.
                                                 O nosso campo de futebol poderia ser na rua. Particularmente, tínhamos um campo no nosso quintal com trave e tudo. Jogávamos bola todas as tardinhas e tínhamos o nosso timinho. Nas noites enluaradas, quando a noite se fazia dia, jogávamos bola na praia em frente à cidade. Após o jogo, que poderia ser lá pras dez da noite, tomávamos banho no rio na maior alegria e gritaria. Nossos pais não sabiam desse pormenor ou o sabiam, mas, escondiam ou fingiam não ter conhecimento de tal travessura, pois, futebol sempre foi futebol, ademais, eles mesmo podem tê-lo feito na sua adolescência na mesma situação.
                                                 Nas noites de luar, quando não íamos pra praia jogar bola, reuníamo-nos, também, com as meninas da rua e brincávamos de roda, pira, adivinhações. Aqui e acolá havia sempre um namorico, mas, nada que escandalizasse as beatas. As ninfetas eram respeitadas, o máximo que almejávamos delas era um beijo lábio-a-lábio. Além disto, quando já mais velhos, papai nos levava (eu e meu irmão Luis) para a ponte da CIESA ou direto da praia para pescarmos de linha com iscas de minhoca ou pão. Pesca de tarrafa só muito mais tarde no lago do Maicá ou outras localidades de várzeas nas épocas de verão.         
                                                 Fizemos a primeira-comunhão na igreja da Matriz e aprendemos a tomar benção dos padres franciscanos que passavam pelas ruas de lambreta, vestidos com batina marrom-escura. Lembro-me bem do Frei Nestor, Frei Vianei, Frei Ricardo, Dom Tiago. Gritávamos:
- A benção Padre!
- Deus te abençoe filho!
                                                 Nos domingos pela manhã íamos à missa na igreja de São Sebastião e se não me engano, as terça-feira, à novena. Éramos, todos, contritos com Deus e mantínhamos atualizadas nossas obrigações religiosas, tais como confessar, comungar, rezar, participar das procissões de santos e santas, ler a bíblia e o catecismo. Gostava muito das festividades das igrejas, que homenageavam seus padroeiros como São Sebastião, Nossa Senhora da Conceição, Santana, Fátima, com sermões campais, procissões e atos devocionais dos pagadores de promessa. Os arraiais tinham os seus encantos à parte: haviam passeios nas praças de roupa nova, paquerando lindas adolescentes que trajavam vestidos floridos, com suaves decotes e barra logo acima do joelho. Usavam passadeiras, sobre os cabelos de cor natural, um pouco de batom nos lábios, rouge nas maçãs do rosto e mantinham aquele olhar altivo, sorriso de Mona Lisa e atitudes recatadas. 
                                                 Naquele tempo já tinha Alter do Chão, com toda a sua magia, todavia, as praias da frente da cidade...eram lindas..., também. Tinha a praia da Pracinha, Prefeitura, Prainha, etc. Foram praias muito concorridas. Com banho-de-sol, vendinhas, passeios, jogo de bola, bebericagem, um violão, enfim, uma Copacabana amazônica. Havia as incursões ao igarapé do Irurá. Lembro-me que meu pai fretava a rural do seu Moa e todos rumávamos para aquele santuário. Nós meninos íamos apertados no seu bagageiro felizes da vida. Os adultos ficavam por longas horas sob a sombra das árvores e o refrigério daquelas águas límpidas e geladas, por muito tempo, batendo papo, bebendo vinho ou cerveja e nós, meninos, correndo, pulando e batendo o queixo à procura de um descampado ao sol.
                                                 O carnaval era uma diversão para adultos. Havia os “blocos de sujo”, mascarados, bandinhas e muitos porres nas ruas. Há de se registrar, porém, que havia o carnaval de salão. A banda do meu pai fazia retumbante sucesso no carnaval de salão. Seus componentes eram bons de frevos, maracatus, marchinhas, etc. Uma só vez na “quadra carnavalesca” havia o carnaval das crianças e o dos jovens. Esperava com ansiedade o carnaval dos jovens no melhor Clube da época, o Centro Recreativo. O Centro Recreativo, um prédio monumental de estilo Vitoriano (a meu ver) cuja arquitetura é cheia de detalhes e assimetrias, com múltiplas entradas, de teto alto e anguloso, reunia a fina sociedade santarena. Lá eu, apesar da idade e sem muita profundidade crítica, sentia-me um penetra (morava na periferia do bairro da Prainha), porém, meu pai era o músico maior e, portanto, podia ousar, sei que podia...Pois bem, no melhor que minha mãe podia me vestir, fui para o carnaval juvenil do Centro Recreativo e me senti no mais suntuoso dos salões, digno de um príncipe medieval. Dancei com lindas garotas ricamente fantasiadas. Pulei, cantei, ri e me extasiei com tudo aquilo: cheiro de lança-perfume, confete, serpentina... Ninfas simplesmente lindas, delicadas, irreais, irreais...Um conto de fadas!     
                                                 Muitas outras coisas preciso contar! Vou contá-las os poucos para que não passe despercebido o ímpar viver da minha geração. Sei que as gerações futuras terão curiosidade em querer sabê-lo e dele extrair as boas experiências e, com certeza, saberão compreender nossos desacertos e ignorâncias.

Paulo Paixão

15 de fevereiro de 2010

Discutindo Belo Monte

O professor Samuel Lima enviou seus alunos a trabalhar em temas bastantes discutíveis e discutidos atualmente.
Um dos temas é a Hidrelétrica de Belo Monte.
"Não que se discuta a parte política somente, mas principalmente a econômica". Assim se referiu a aluna Luciana de Freitas, que pediu opiniões a diversos estudiosos do assunto.
Acabei escolhido pra dar um "pitaco" nesta história.

Mais temas para ler sobre Belo Monte podem ser vistos a seguir:

ACIDENTE

Do Blog do Estado on Line:
Os soldados do Oitavo BEC Ronald Gonçalves Silva, Tarciano Ribeiro Jati e Nirlande da Silva Alves morreram ontem em acidente na rodovia Santarém-Cuiabá, no trecho Rurópolis-Itatiuba.

O caminhão em que viajavam e era dirigido pelo motorista Parminas da Silva, que sobreviveu e está internado no Hospital Municipal de Santarém, despencou de uma ribanceira e caiu em um bueiro às margens da Br-163.

Os três soldados não conseguiram sair do veículo e morreram afogados. Os corpos foram trazidos na madrugada de hoje para Santarém e já foram liberados para sepultamento.

Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2010

Promovida pelo Sistema Fiep, a CICI2010 trará mais de 80 especialistas nacionais e internacionais para debater soluções que promovam a sustentabilidade e a prosperidade econômica e social nas cidades

Entre os dias 10 e 13 de março, Curitiba receberá mais de 80 especialistas de todo o mundo que irão debater caminhos para a construção de realidades urbanas mais inovadoras, prósperas e humanizadas. Uma iniciativa do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), a Conferência Internacional de Cidades Inovadoras (CICI2010) trará experiências de sucesso em planejamento urbano, sustentabilidade, mobilidade, gestão e políticas públicas, entre outras, que transformaram cidades em ambientes propícios ao desenvolvimento econômico, social e ambiental.

Entre os nomes de peso que participarão da conferência estão Steve Johnson (EUA), autor de seis best-sellers que influenciaram desde ações de planejamento urbano até a luta contra o terrorismo; Pierre Lévy (Canadá), filósofo que estuda o conceito de inteligência colet iva; Marc Giget (França), diretor-fundador do Instituto Europeu de Estratégias Criativas e Inovação; Jaime Lerner (Brasil), arquiteto e urbanista, ex-prefeito de Curitiba; Jeff Olson (EUA), arquiteto e urbanista envolvido em projetos que contemplam espaços verdes e meios de transporte alternativos; Marc Weiss (EUA), presidente do Global Urban Development e líder do projeto Climate Prosperity; Clay Shirk (EUA), professor de Efeitos Econômicos e Sociais das Tecnologias da Internet e de New Media na New York University; e o arquiteto Mitsuru Senda (Japão). A lista completa e o currículo dos palestrantes estão no site www.cici2010.org.br.

Representantes de mais de 50 cidades, de todos os continentes, já confirmaram presença na CICI2010. O evento acontecerá dentro da área de mais de 80 mil metros quadrados do Cietep, sede da Fiep no Jardim Botânico que tem localização estratégica, com acesso fácil e rápido ao Aeroporto Internacional Afonso Pena e a apenas 5 quilômetros do centro de Curitiba. São esperados cerca de 1.500 inscritos, que participarão de uma série de atividades durante os quatro dias da conferência.

“A inovação é o único caminho para construirmos uma sociedade sustentá vel. E para que as empresas brasileiras e todo o País inovem é preciso, antes de tudo, que nossas cidades sejam inovadoras”, afirma o presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures. “A CICI2010 será uma grande oportunidade para que possamos pôr nossas cidades definitivamente na rota da inovação”, acrescenta.

Copromovida pelas prefeituras de Curitiba, Lyon (França), Bengaluru (Índia) e Austin (Estados Unidos) e com apoio institucional das Nações Unidas, a conferência é dirigida a empresários, gestores públicos, pesquisadores, estudantes e interessados em inovação. O evento está dividido em quatro grandes temas: “O reflorescimento das cidades”, com experiências de inovações sociais e tecnológicas para a construção de um novo ambiente urbano; “A reinvenção do governo a partir das cidades”, que trará inovações em gestão e experiências de inovações políticas e da cidade como sistema vivo; “A governança do desenvolvimento nas cidades”, uma mostra de experiências de inovações para o desenvolvimento local e apresentação de experiências de inovações para a sustentabilidade; e “Cidade-rede e redes de cidades”, que servirá para a formação do núcleo da Rede de Cidades Inovadoras.

Paralelamente à CICI2010 serão realizados outros eventos integrados, c omo a Conferência Internacional sobre Redes Sociais, o 1º Encontro Internacional de Cidades de Médio Porte e o 2º Encontro de Governos Locais da Índia, Brasil e África do Sul. E será lançado o projeto “Curitiba, Cidade Inovadora 2030”, que visa transformar a cidade e sua região metropolitana em um espaço propício à inovação, à educação e ao surgimento de uma indústria mais sustentável.

Inscrições – As inscrições para a Conferência Internacional de Cidades Inovadoras podem ser feitas pelo site www.cici2010.org.br. Até 21 de fevereiro, o pacote completo para acompanhar o evento, com acesso liberado a toda a programação da conferência, tem preço promocional de R$ 440,00. Estudantes têm 50% de desconto. Também é possível adquirir pacotes menores, para acompanhar uma ou mais conferências da noite, onde estarão alguns dos principais palestrantes da CICI2010. O pagamento pode ser feito por cartão de crédito ou depósito bancário.

Apoio: Planeta Voluntários

Conferência Internacional de Cidades Inovadoras 2010
Curitiba/ Paraná/ Brasil

11 de fevereiro de 2010

Removendo...

O Ministério de Minas e Energia emitiu, por meio do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), a portaria número 441, que dispõe sobre os trabalhos de movimentação de terras e de desmonte de materiais in natura, necessários à abertura de vias de transporte, obras gerais de terraplenagem e de edificações.
A portaria, do dia 17 de dezembro, passa a ser uma exigência para todas as empresas que forem trabalhar com obras que exijam remoção de solo. Isso significa que além de solicitar licença junto ao órgão ambiental competente, as empresas terão que encaminhar documentação ao DNPM solicitando uma segunda licença.

Dinheiro para Crimes Ambientais

Os ministros do Meio Ambiente, Carlos Minc, e da Justiça, Tarso Genro, assinaram nesta terça-feira, 9, proposta de projeto de lei (PL) a ser encaminhada ao Congresso Nacional para criação de um fundo de pelo menos R$ 500 milhões por ano para financiar o combate a crimes ambientais.
O PL institucionaliza a Comissão Interministerial no Combate aos Crimes e Infrações Ambientais (Ciccia) e cria o Fundo de Proteção Ambiental para financiar as ações do grupo, que reúne Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Federal, Força Nacional de Segurança e outras instituições.
Segundo Minc, o dinheiro virá da arrecadação de multas aplicadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Fundo Nacional de Segurança Pública e do recém-criado Fundo Nacional de Mudanças Climáticas.  "Não temos um estimativa prática, mas seguramente será mais de R$ 500 milhões por ano", disse o ministro ao comentar o volume de recursos do fundo.
Pelo menos metade dos recursos deverá ser investida nas forças policiais dos estados, para fortalecimento e criação de batalhões ambientais.  "É uma forma de garantir o protagonismo das forças estaduais, que muitas vezes não tem recursos", afirmou o secretário nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri.  O fundo dará condições concretas para que essa intervenção seja decisiva e permanente, completou.
Minc atribuiu ao trabalho articulado dos dois ministérios a queda nas taxas de desmatamento na Amazônia e disse que a consolidação da comissão será necessária para que haja redução do desmate em outros biomas.  Os ministros não informaram quando a proposta será enviada ao Congresso Nacional.

Não me mandaram. E eu não pedi...

O promotor do Meio Ambiente, Raimundo Moraes, pediu vista do projeto de licença prévia para exploração mecanizada do garimpo de Serra Pelada.  Ele alega que não conhecia o projeto e criticou o fato de não terem chegado às suas mãos os documentos necessários para que pudesse emitir um parecer justo.  A decisão tomada ontem por Moraes, durante reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema) na sede da Ordem dos Advogados do Brasil no Pará, não impediu que sete conselheiros presentes antecipassem voto favorável ao licenciamento.
O Coema deu prazo de quinze dias para o promotor apresentar o parecer.  Isso deverá ocorrer na reunião marcada para o próximo dia 26, no auditório da OAB.  Garimpeiros que lotavam a sala de reunião, vindos de Curionópolis em três ônibus, pediam em faixas estendidas que a licença fosse aprovada.  “A falha foi da secretaria do Coema, que não encaminhou nenhuma informação ou documento antes da reunião.  O Ministério Público não tinha outro posicionamento a tomar senão o que tomou”, disse Moraes.

Olhos Bem Abertos

A Magellan Minerals Ltd. (TSX-V: MNM) anuncia que decidiu não prosseguir com a aquisição de uma participação de 51% no projeto de ouro no distrito de Creporizinho, no oeste do estado do Pará/Brasil. 
Após trabalhos realizados no local, que incluiu uma extensa amostragem  superficial, a perfuração e geofísica do solo, a empresa recuou em sua proposta, conforme comunicado enviado nesta semana.

Velhos Hábitos...Novas Regras

O governo do Pará publicou no mês passado um decreto que altera algumas regras para a recomposição de reserva legal em imóveis rurais no Estado do Pará.  A determinação foi publicada no Diário Oficial do Estado do Pará no dia 27 de janeiro.  Apesar da mudança, a nova regra está de acordo com o Código Florestal nacional, ao contrário de mudanças em outros Estados, como Santa Catarina.
A Reserva Legal é uma parte dentro da propriedade particular onde não é permitido desmatamento.  Essa área tem que ser de 80% em imóveis situados dentro do bioma Amazônia, 35% no Cerrado e 20% no restante do País.
O decreto assinado pela governadora Ana Julia mantém a obrigação de se preservar os 80% de reserva legal em propriedades dentro do Pará.  Entretanto, permite que produtores que desmataram a reserva legal até 2006, em áreas de desmatamento já consolidado, possam averbar como reserva legal apenas 50%.

O Jogo é bruto

O governo desistiu de modificar a tributação de royalties do setor de mineração, por falta de acordo entre os ministérios de Minas e Energia (MME) e da Fazenda.  A informação é do jornal Folha de S. Paulo.
A proposta era aumentar a Compensação Financeira sobre Exploração Mineral (CFEM), o royalty do setor.  O projeto recebeu forte pressão das empresas mineradoras, que alegaram risco de perda de competitividade internacional, e da equipe econômica do governo, que receia diminuir a arrecadação, já que a ideia do MME é aumentar a participação dos municípios, diminuindo a receita da União.
O diagnóstico do Ministério de Minas e Energia é de que a tributação do setor, da forma como é feita hoje, não incentiva a agregação de valor à indústria.  Além disso, há a constatação de que as áreas diretamente afetadas pela atividade de mineração, principalmente Minas Gerais e Pará, recebem muito pouco para compensar os danos da atividade.
Apesar do impasse, em 2010, serão mudadas as regras relativas a processo de outorga para o setor e seu desenho institucional, com a criação do Conselho Nacional de Política Mineral e de uma agência reguladora.
Segundo o ministro de Minas e Energia, Edilson Lobão, a ideia é enviar ao Congresso Nacional, ainda neste mês, um projeto de lei com o novo Código de Mineração.  Os prazos de pesquisas e lavra vão mudar caso a proposta seja aprovada.  O novo Código de Mineração prevê que apenas empresas terão autorização para pesquisar e explorar minerais no país.  Elas terão, ainda, de comprovar um investimento anual mínimo durante a fase de pesquisa, o que hoje não é exigido.
Fonte: Amazonia.org

Quem disse que é feriado?

COMUNICADO
       Comunicamos aos profissionais e usuários deste CREA/PA, que em razão do feriado do carnaval, nosso horário de funcionamento será até sexta-feira dia 12, voltando às atividades normais na próxima quinta-feira dia 18 de fevereiro.      Desejamos a todos um bom feriado!
**********************************************
Nota do poster:
Quem disse que a 3a. feira de carnaval é feriado nacional, estadual ou municipal? Onde está escrito isso? Qual foi a "folhinha" que eles encontraram tal dispositivo? É muita brincadeira...
 

Comissão de Estudo?

A Assembleia Legislativa do Estado do Pará constituiu, pelo Ato da Presidência Nº 01/2010, de 08 de fevereiro de 2010, Comissão de Estudos visando apoiar a criação da Área de Livre Comércio de Santarém (ALCS). A referida Comissão está composta por cinco parlamentares da bancada regional do oeste do Pará, relacionados abaixo:
  • Deputado Alexandre Von (PSDB-PA)
  • Deputado Antonio Rocha (PMDB-PA)
  • Deputado Carlos Martins (PT-PA)
  • Deputado Junior Ferrari (PTB-PA)
  • Deputado Gabriel Guerreiro (PV-PA)
Em sua primeira reunião, destinada a instalar a Comissão de Estudos da ALCS, realizada nesta quarta-feira (10/02/2010) nas dependências da ALEPA, os membros da Comissão deliberaram pela escolha de seus presidente e relator, sendo indicados o deputado estadual Carlos Martins como presidente e o deputado estadual Alexandre Von como relator. De acordo com o Artigo 40 do Regimento Interno da ALEPA, a Comissão terá prazo de funcionamento de 40 dias, prorrogável, no máximo, por igual período.

O estudo será mais um na conta dos que não se aproveitam?

Transgarimpeira

A Assembléia Legislativa do Pará (Alepa) aprovou o projeto de lei de iniciativa da deputada Josefina Carmo (PMDB) que autoriza o governo do Estado a estadualizar a rodovia Transgarimpeira, no município de Itaituba, na região sudoeste do Pará, passando a integrá-la à malha rodoviária estadual .

A governadora prometeu, ontem em Itaituba sancionar o projeto.

10 de fevereiro de 2010

Escola de Engenharia oferece especialização na área de recursos minerais


Lavra de mina, processamento mineral e meio ambiente na mineração são as áreas de formação do curso de especialização em Engenharia de Recursos Minerais, oferecido pelo Departamento de Engenharia de Minas (Demin) da Escola de Engenharia da UFMG. As inscrições estão abertas e o curso terá início em 8 de março.
Com aulas diárias das 19h às 22h, e custo total de R$ 8.600, o curso vai se estender até fevereiro de 2011. São 60 vagas.
Outras informações estão nos sites do Demin e da Fundação Christiano Ottoni. Contatos podem ser feitos também pelo telefone 3409-1860.

Não Tem Problemas?

Do Portal do Meio Ambiente:
A missão da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) – órgão da ONU –, denominada UPSAT (sigla em inglês para Grupo de Avaliação de Unidades de Produção de Urânio) concluiu que as atividades da mina de urânio das Indústrias Nucleares do Brasil, em Caetité (BA) atendem a todos os requisitos de segurança e que não provocam nenhum impacto significativo ao meio-ambiente da região. Segundo os especialistas, a unidade de produção é bem projetada, bem mantida, segura e eficiente. A apresentação da conclusão prévia foi realizada na  quinta-feira passada (04/02), no Rio de Janeiro. “A INB pode se orgulhar da operação que realiza, em Caetité”, afirmou o chefe da missão, Peter Waggitt, da Austrália, que é especialista em gerenciamento de resíduos.

Programação da Governadora em Itaituba

Se parar a chuva aqui, a programação seguirá estes dados:

• Lançamento da Pedra Fundamental de 930 Casas do Programa “Minha Casa, Minha Vida”.
Hora: 10h00
Local: Bairro Jardim Piracanã

• Entrega do Infocentro da APAE – Itaituba
Hora: 11h00
Local: Rua Por Deus de Lima, s/n, Bairro: Piracanã 2

• Cerimônia de Assinatura dos Termos de Cooperação entre SEMA e DNPM, e Assinatura do Convênio do Programa “Minha Casa, Minha Vida”
Hora; 12H00
Local: Ranieri Eventos, Rodovia Transamazônica, Km 2.

• Entrega do Infocentro do Rotary Club de Itaituba
Hora: 15h30
Local: Avenida Dr. Hugo de Mendonça, s/n - Bairro: Boa Esperança Rabelo

• Entrega do Infocentro do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Itaituba – STTR
Hora: 16h30
Local: Quarta Rua , nº 1219 -Bairro: Jardim das Araras

CONTRATEMPO

Bastou anunciar que a governadora Ana Júlia viria fazer uma visita técnica/política neste município para que a chuva torrencial se abatesse na cidade.

O "contratempo" pode ter sido causado pelo desconforto dos botafoguenses ilustres - Neneca e Sílvio, entre outros - que queriamporquequeriam acompanhar o jogo ao vivo e a cores na bela Santarém.

Provavelmente seriam recebidos pelos outros ilustres botafoguenses da terra...

9 de fevereiro de 2010

Fiscalização

A SEMMAP, Secretaria de Meio Ambiente e Produção - que é o novo nome da antiga SEMMA - está intensificando as vistorias a estabelecimentos comerciais que podem praticar  algum tipo de agressão ao meio ambiente, em Itaituba.

Agora, a agressão mesmo é o valor das taxas municipais que estão sendo cobradas. Tudo na base do aumento expressivo e injusto da UFM (Unidade Fiscal Municipal) que passou de R$7,00 para R$9,00. Um aumento abusivo de mais de 30%.

Socorro! Cade os parlamentares que dizem ser a Câmara a casa do povo? Já voltaram a trabalhar?

Enterrem minha consciência bem longe deste rio

Do site O Eco, uma crônica de Paulo Braak sobre a Hidrelétrica de Belo Monte. O nome nos remete a um romance de Dee Brown, que trata da destruição sistemática dos índios americanos.
Vale a pena ler o artigo. Aqui só alguns trechos do mesmo:


Volta Grande do Xingu (PA), onde a usina de Belo Monte será erguida. (foto: Margi Moss)
A emissão da licença prévia, concedida pelo Ibama neste dia 1º de fevereiro de 2010, para a maior hidrelétrica da Amazônia, e a terceira maior do mundo, a usina de Belo Monte no rio Xingu, deixou muitos ambientalistas transtornados. Trata-se, talvez, da pior notícia do final dessa década. Foi anunciada, justamente, três dias após o término do Fórum Social Mundial “Um Outro Mundo é Possível”[?]. Combinou com o momento ainda de ressaca da reunião frustrante de Copenhague, onde os governos se escaparam de enfrentar, com compromissos, um dos maiores dramas da atualidade: as mudanças climáticas. Pior ainda, coincidiu com o início das comemorações de 2010, o Ano Internacional da Biodiversidade, da ONU.

A situação já era mais ou menos esperada, desde o afastamento do ex-coordenador de licenciamento do Ibama, Leozildo Benjamin, em novembro último, quando as enormes pressões do Ministério de Minas e Energia (MME) e da Casa Civil não obtiveram resultado na liberação da licença para que a hidrelétrica fizesse parte do leilão de energia previsto para o fim de ano passado.

O governo brasileiro, por meio de seu Ministro de Meio Ambiente, Carlos Minc, de forma patética - maculando sua longa trajetória de ambientalista e político nessa área - materializa a economia do “vale tudo por dinheiro”, justificando que serão cobrados cerca de 1,5 bilhões de reais e 40 medidas em compensações ambientais (ou pseudocompensações?), a uma série de danos, ainda com magnitude incerta.

Com a licença concedida, ficou assegurado o leilão da segunda maior hidrelétrica brasileira (11 mil megawats), e a maior do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), para alegria de Edison Lobão, ministro do MME, da super Ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (a mãe do PAC) e das grandes empresas e empreiteiras de megaobras no Brasil. Felicidade, da mesma forma, para as mesmas empresas imediatistas que financiam as campanhas eleitorais milionárias, com volumes de dinheiro “nunca vistos antes neste País”.