Geologia e Ambiental

27 de janeiro de 2006

VIAGEM

DEVIDO A NECESSIDADE DE PROVIDENCIAR O LEITE DAS CRIANÇAS FICAREI ALGUNS DIAS SEM POSTAR.

ACONSELHO-OS A VISITAR OS MEUS BLOGS DURANTE A AUSÊNCIA.

A VOLTA SERÁ PROFÍQUA DE NOVIDADES.

PROMETO-VOS.

O Alívio antes de falar em Público

O nervo vago tem grande inflência sobre o controle de processos psicológicos. Li sobre este nervo há algum tempo em um artigo publicado no Blog do Jeso por Juvêncio de Arruda.

Agora foi publicado um artigo, do psicólogo Stuart Brody, da Universidade de Paisley, Escócia que enfatiza o estímulo de uma grande variedade de nervos que acontece durante o ato sexual heterosexual.

Em suma o trabalho foi feito para verificar quais as formas seriam as mais apropriadas para que um palestrante efetuasse o seu discurso com grande tranquilidade. E a melhor forma é o ato sexual com penetração!

Durante duas semanas, 24 mulheres e 22 homens fizeram relatórios detalhados de suas atividades sexuais.

Então, pessoal do PROFIMA XXI, já sabem o que fazer quando for defender sua monografia, né?

Nesse período, os participantes tiveram de fazer testes envolvendo falar em público e fazer cálculos matemáticos em voz alta.

Os participantes que tinham tido sexo com penetração antes do teste apresentaram os menores níveis de estresse, e sua pressão voltou ao normal mais rapidamente.

Os que haviam tido outras formas de atividade sexual, como por exemplo, masturbação, tiveram resultados um pouco piores.

E os voluntários que não haviam tido qualquer atividade sexual apresentaram os índices de pressão sangüínea mais altos depois de fazer o teste.

Não se sabe se os efeitos de relações sexuais homossexuais foram testados.

“Soluções para o Desenvolvimento do Brasil”

Anotem este evento. Vai ser realizado entre 27 a 31 de março, com participação gratuita pela internet.


A idéia do evento é promover a atualização dos conhecimentos por meio da interatividade. A Sodebras é uma revista mensal que tem como objetivo principal disponibilizar artigos que possam contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico e cultural do Brasil.

Os participantes terão acesso integral ao conteúdo de todos os textos disponíveis no site em diversas áreas do conhecimento, como ciências exatas e da terra, engenharias, ciências biológicas e da saúde, lingüística, letras e artes, ciências sociais aplicadas e ciências agrárias.

Mais informações: www.sodebras.com.

A Alma do Rio Tapajós

Um rio. O Tapajós. A alma do caboclo tapajônico. Um barco. Uma forma de penetração em sua alma. O entrelace na sua essência.

Assim vi o ensaio fotográfico de Luiz da Motta, publicado através de No Mínimo. Vale a pena ver as formas que o mesmo captou. Clique aqui.

26 de janeiro de 2006

Aproximadamente 100 comunidades rurais da Amazônia brasileira, colombiana, boliviana e equatoriana terão a oportunidade de mostrar seus produtos na exposição “Da Amazônia ao Mundo”, que acontece hoje, dia 26/01/2006, a partir das 19h30, no Espaço São José Liberto (Antigo Presídio), em Belém (PA).

O evento vai reunir de tudo um pouco: jóias, polpas de frutas, cestarias, papéis, geléias, vasos, manteigas, chocolates e vinhos.
A realização é do Bolsa Amazônia, um programa regional de promoção de produtos sustentáveis no mercado, criado a partir do Poema - Programa Pobreza e Meio Ambiente na Amazônia, da UFPA - Universidade Federal do Pará, e que integra também Fundação São José Liberto, o Imazon e o Programa de Incubação de Empresas da UFPA.

Vale a pena o programa!

O Erro da Fiscalização

Segundo levantamento do IMAZON - Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, apenas 3% das multas efetuadas pelo IBAMA são pagas. Erros simples como o preenchimento incorreto das guias, levam à não cobrança da infração, ou então o valor da multa ser maior do que o da mercadoria. Os advogados fazem a festa. E o MP, que encaminha as multas à Justiça Federal vai à loucura, mas não incita o órgão ao treinamento dos fiscais.

Absurdos que levam o Estado brasileiro ao desepero de ter um avanço inexorável e absurdo do desmatamento. Mas, o órgão ambiental, ou melhor, a direção no estado do Pará não consegue ver estas simples questões. Prefere continuar apresentando trabalhos medíocres e sem repercussão ambiental compatível com o estado de maior produtos de madeira da Amazônia - e a maior parte dela ilegal.

Até que enfim ...

O Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) publicou nesta quarta-feira, no Diário de Justiça, uma lista com 124 nomes de funcionários do Poder Judiciário paraense que têm parentesco com magistrados e outros servidores. Todos deverão ser dispensados, como manda a Resolução nº 7 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que põe fim à prática do nepotismo. A relação completa pode ser visualizada no Blog do Jeso.

Algumas perguntas perduram: Quando vão ser dispensados? Como o TJ vai recompor suas fileiras? Os serviços aos que pagam as contas serão os mesmos?

ANTOLOGIA DE GEOGRAFIA

Tratada como uma disciplina extremamente crítica, a geografia - ciência que tem por objeto a descrição da superfície da Terra e as relações entre o meio natural e o homem - quer ocupar o seu espaço. Alguns autores a descrevem como em plena decadencia como ciencia social e afirmam que ela quer ocupar um espaço digno de seus estudiosos: Bertha Becker, Milton Santos, Rogério Haesbaert, Gilberto Rocha, Carmena França e tantos outros estudiosos em pesquisa sobre a Gestão Urbana Regional, de Recursos Naturais e Meio Ambiente.
Para mostrar que está em franca ascenção foi lançada a obra "Que País É Este?" - organizado por Edu Silvestre de Albuquerque, Editora Globo, que reúne dez ensaios assinados por geógrafos respeitados, que, com prefácio de Carlos Lessa, se interrogam sobre o Brasil contemporâneo.

Falando em geografia, hoje é o último dia para os candidatos a vagas de mestrado na área de concentração "ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO TERRITÓRIO" efetuarem sua inscrição.

25 de janeiro de 2006

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO À DISTANCIA

Recebido no email e publicado por ser de interesse geral do público.

Curso de Especialização em Gestão Hídrica e Ambiental.

Sua Pós-graduação sem sair de casa, ou do trabalho.

SEJA ESPECIALISTA EM GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS OU EM GESTÃO AMBIENTAL SEM SAIR DE CASA OU DO TRABALHO. APROVEITE! ESTA OPORTUNIDADE ESTÁ SENDO OFERTADA PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ, ATRAVÉS DA SECRETARIA ESPECIAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E DO CENTRO DE GEOCIÊNCIAS.

PARA INFORMAÇÕES DETALHADAS SOBRE O I CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO A DISTÂNCIA EM GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOS E EM GESTÃO AMBIENTAL CLIQUE AQUI.(
www.sead.ufpa.br/igha) E GARANTA O SEU LUGAR FAZENDO A SUA PRÉ-INSCRIÇÃO.

NÃO DEMORE! AS VAGAS SÃO LIMITADAS.



LINKS:
Site do Curso:
www.sead.ufpa.br/igha
Contato: sead.igha@ufpa.br fone: 3201 - 7619

CENTRO DE GEOCIÊNCIAS:
dir.cg@ufpa.br
SEAD: www.sead.ufpa.br/v2

DOS AÇORES

A repercussão da poesia de Socorro Carvalho suscitou uma troca agradabilíssima de opiniões entre Bitta e o Agonia. Ela me enviou o seguinte comentário:

"Para te retribuir tanta palavra gentil... e porque hoje estou em casa e tenho tempo para me dar ao luxo de estar aqui sentada em frente ao computador, vou te oferecer um poema sobre a poesia feito pelo meu pai (José CABRAL de Mello)":

Poesia

I

É a magoa,

a dor

o amor

o sentimento.

II

A inspiração

a solidão do pensamento.

III

É uma noite sem luar

que deixa de brilhar no firmamento.


25/1/06 08:30

A AMBIÇÃO E A NATUREZA

Personagem comum na evolução do plantio de soja na região oeste do Pará, o madeireiro volta a ser acusado de estar envolvido nas maracutais que são realizadas em órgãos estaduais e federais de ação fundiária do Brasil. Desta feita os pesquisadores do Museu Goeldi, respeitável entidade de pesquisa amazônica detectou que o avanço dos sojeiros se faz tomando como ponto principal as áreas já desmatadas e provocando o avanço lento e contínuo nas áreas virgens através da derrubada e aproveitamento dos recursos florestais, inicialmente pelos madeireiros e depois pelos plantadores de soja. Segundo denúncia do IBAMA um funcionário do ITERPA (Instituto de Terras do Pará) estava envolvido em processo de grilagem em áreas no Oeste do Pará.

24 de janeiro de 2006

GOSTO

Poema de Socorro "emprestado" do Blog do Jeso:

É assim que te gosto

Gosto do teu perfume,

Que no ar me faz sentir o aroma da tua presença.

Gosto do teu jeito sério,

Que esconde esse moleque sapeca que me conquista.

Gosto do teu silêncio,

Que esconde mistérios e segredos que me encantam.

Gosto do tom da tua voz,

Que me repreende as vezes, me domina e fascina pela segurança.

Gosto do teu olhar,

Que me olha sacana, me deseja e me desnuda de um jeito safado.

Gosto do cheiro da tua pele,

Que excita e me inspira a querer-te loucamente.

Gosto do teu sorriso,

Que feito luz, ilumina de ternura o meu coração.

Gosto da tua boca,

Que diz palavras loucas e instiga minha ousadia.

Gosto do teu beijo molhado,

Que despe meus pudores e vergonha... e me veste de fantasias obscenas.

Gosto do toque de tuas mãos,

Que na voracidade das carícias me faz molhar de tesão.

Gosto do teu abraço forte,

Que me envolve, protege e me aquece de sacanagens secretas.

Gosto do teu corpo nu,

Que grande sobre mim, me faz sentir o peso do teu querer.

Gosto da tua língua macia e quente,

Que roça suave a minha intimidade e me faz delirar.

Gosto do teu desejo desvairado,

Que insano, sem vergonha me possui e me devora inteira.

Gosto da tua loucura ousada,

Que entre grunhidos e gemidos ofegantes me faz chegar em êxtase absoluto.

Gosto da tua insensatez dominadora,

Que me faz ordinária, vadia única dos teus instintos.

Quando em minha boca derramas tua seiva quente, que adoro.

Gosto do teu improviso renovado,

Que foge do convencional e me faz extrapolar limites do perigo que tanto me excita.

Gosto do teu gozo completo,

Que louco e gostoso invade quente minhas entranhas.

Gosto da tua sacanagem bem sacana,

Que me faz bandida, vagabunda na hora de me dar a você.

Gosto do teu gosto proibido,

Que feito vinho sempre me embriaga de loucura e tesão...nesse amor que não passa.

De Socorro Carvalho, poetisa santarena.

E vou contar mais uma pra vocês: ouçam o poema na voz de Francimar Farias. Incessante forma de transmissão de sonhos e desejos.

Brasil é o 34º colocado no ranking de meio ambiente

Colaboração de Adriana "Dridrica" Bastos:

A Nova Zelândia, além de paraíso do ecoturismo e dos esportes radicais, é o país de melhor performance ambiental do planeta, segundo um ranking que será apresentado nesta semana na reunião do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

O estudo, feito por pesquisadores das Universidades de Yale e Columbia, nos Estados Unidos, faz uma avaliação de qualidade ambiental relacionada aos ecossistemas e à saúde humana em 133 países. O Brasil ficou em 4º nas Américas e em 34º na classificação global, atrás de Argentina (30º), Chile (26º) e Colômbia (17º). Em uma escala de 0 a 100, o País obteve nota 77.

“O Brasil é um país de performance muito irregular. Em algumas coisas está muito bem, enquanto em outras ainda tem muito o que fazer”, disse à Agência Estado Daniel Esty, da Universidade de Yale, um dos coordenadores do Índice de Performance Ambiental 2006. “Comparado a outros países da sua categoria, entretanto, está se saindo muito bem.” Entre os 16 indicadores considerados estão qualidade do ar, recursos hídricos, infra-estrutura sanitária, mortalidade infantil, energias renováveis, conservação da biodiversidade e emissões de gases do efeito estufa. A partir de critérios internacionais, os cientistas criaram um conjunto de metas ambientais e mediram a distância de cada país para atingir esses objetivos.

O relatório, compilado pela primeira vez, é uma variação “em tempo real” do Índice de Sustentabilidade Ambiental, um estudo semelhante conduzido anualmente pelo mesmo grupo. “É uma tentativa de avaliar a performance atual dos países, no lugar de sustentabilidade a longo prazo”, explica Esty.

A Nova Zelândia teve a melhor nota (88), seguida de Suécia (87,8) e Finlândia (87). Nas piores colocações ficaram Níger (25,7), Chade (30,5) e Mauritânia (32). Os Estados Unidos ficaram em 28º lugar, com nota 78,5.

GASOLINA NA ÁGUA

A nota que a distribuidora ALE publicou na mídia (lido no Diário)sobre a constatação de que ocorreu em "apenas nove carros" problemas com a gasolina tipo C vendida no posto da Alcindo Cacela com Diogo Moia, me deu uma peninha da empresa.
Coitada, ela é perseguida pela água da chuva, viu?

Ô água pára de se misturar com a gasolina dos postos Alê! Que teimosia, pô!

SERRA PELADA

Nota publicada no "Diário do Pará" mostra como andam os desencontros na ações para a "legalização" do garimpo de Serra Pelada. Aliás é uma grande novidade legalizar um garimpo, né?

O presidente da entidade diz, com propriedade, que não se pode fazer nenhum contrato enquanto o direito mineral não for efetivado. Perfeito!

Agora vamos esperar pelos estudos que são exigidos de outras empresas na área ambiental (EIA/RIMA, AIA) e na área mineral (Projeto de lavra, etc.). Se não forem cumpridos existe a chance do MP atuar efetivamente.

A MATEMÁTICA

Ela está em tudo que se pensa. Traduz em números quantidades, qualidades e excelência. Mas muitos nem querem saber de pensar com ela. A matemática.
"Quantos anos você tem?"
"Quanto tempo prá chegar em casa?"
E outras tantas perguntas rotineiras que são uma tradução para o comum através da matemática.

Enquanto isso a Joint Policy Board for Mathematics (JPBM) que representa a Sociedade Norte-Americana de Matemática, a Associação Estatística Norte-Americana e a Sociedade para Matemática Industrial e Aplicada resolveu contemplar o físico matemático britânico Roger Penrose, 73 anos, com o Communications Award pela contribuição à matemática.

23 de janeiro de 2006

A EXONERAÇÃO DE POSSUELO: Sou insubordinado!

Como diversos blogs já anunciaram, o sertanista Sidney Possuelo, diretor do Departamento de Índios Isolados da Fundação Nacional do Índio (Funai) e um dos mais respeitados sertanistas brasileiros, foi exonerado hoje de seu cargo.

Tudo porque disse o que todos queriam dizer: " Se a nossa autoridade maior diz que tem muita terra para índio, ela está afirmando que a sociedade nacional e os destruidores têm razão”, afirmou. “É a mesma coisa que um ministro da Justiça dizer que não defende a Justiça e a ministra do Meio Ambiente pedir a derrubada de árvores.” Ou trocando em miúdos: "Mércio, você só fala merda!"

Leia no Amazonia. org todo o desfecho desta coisa, como gosta de dizer nosso presidente ex-sindicalista quando não sabe definir uma situação.

Mais uma vez exorto os munduruku a convidar o presidente da FUNAI a dar uma "voltinha no Sai-Cinza.

LÚCIO FLÁVIO PINTO: A ANÁLISE

Dois artigos e duas notas são disponibilizados no site Adital, escritos por Lúcio Flávio Pinto.
No primeiro artigo ele faz uma avaliação da descoberta de que existe maior biodiversidade no deserto do que no solo da Amazônia. Este assunto já foi disponibilizado aqui no blog com outras opiniões abalizadas, mas vale ler o olhar jornalístico e crítico do autor.
No segundo artigo ele demonstra como o deputado Delfim Neto tem um trânsito fácil com a Presidencia da República, em virtude da discordância no trato com a política de juros altas que o Banco Central pratica no Brasil.
Duas notas fazem comentários sobre a pauta de exportações e sobre o alumíno de Juruti.

E o açaí ...

A Agência FAPESP apresenta uma reportagem interessante sobre o açaí. Mesmo não sendo uma novidade para os moradores das ilhas e para os paraenses renitentes do consumo do açaí, os pesquisadores americanos do Instituto de Ciências Alimentícias e Agrícolas da Universidade na Flórida publicou artigo no Journal of Agricultural and Food Chemistry em que descreve como os antioxidantes contidos no fruto originário da Amazônia conseguiram destruir células cancerosas.
Segundo os estudiosos é o início dos estudos sobre as propriedades do açaí.
Existe até uma página na net: Açai.br que apresentam uma série de trabalhos científicos sobre o açaí. Va lá!

MUDANÇA DE SEXO?

Post do Ondas3 torna o uso do bronzeador um instrumento de tortura para os machões do pedaço:

Bronzeador muda o sexo dos peixes: que fará em nós?

"São cientistas de duas instituições californianas a avisar acerca dos efeitos do oxibenzeno, uma substância usada para proteger a pele dos raios ultravioletas. Cientistas suíços acrescentam o octocrilene e o 4-metilbenziledene ao cocktail que muda o sexo aos peixes. Como se esperava, a indústria cosmética nega todos esses efeitos e realça os benefícios dos cremes solares".

Ih! Será que cai o uso de bronzeadores? Ou aumenta?

SEGURANÇA PÚBLICA

Contrário às afirmações do Governador (hoje cedinho na TV) o policiamento ostensivo não resolve os problemas de segurança da população.
Ao término do RePa, dois marmanjões trocavam sopapos em frente a minha janela. Um carro da polícia parou e perguntou o que era. Um deles (o maior) disse algumas palavras e fez um sinal pra polícia (que nem sequer desceu do carro) ir embora. E ela foi, governador!

ATPF's E A QUADRILHA

Artigo publicado no ambientebrasil sobre a modernização das autorizações para transporte de produtos florestais (ATPF) beira o ridículo!

Trocar um pedaço de papel preenchido à mão por um pedaço de papel preenchido via internet é a modernidade pretendida pelo IBAMA. Imaginem este avanço cibernético!

Bom, vou "tomar emprestado" as idéias avançadas de um grupo da turma (Orlando Orouk, Érica e outros) de pós-graduação em gestão ambiental - PROFIMA XXI - UFPa/NUMA para fazer a sugestão de uma GESTÃO com letras maiúsculas na substituição deste método:
  1. Trocar os papéis por chips eletrônicos, que seriam colocados nas toras quando fossem derrubadas e preparadas para o transporte;
  2. Capacitar os agentes de fiscalização a preencher de forma adequada e correta as multas;
  3. Adquirir equipamentos modernos e eficientes para a fiscalização (notebooks, gps, palm top, etc.) e acabar com o trâmite ineficiente de papeladas e mais papeladas inúteis.

Simples, né? O pessoal do PROFIMA XXI tá aí pra isso. Viva a UFPa! Viva o NUMA!

Post Escriptum (PS): Vide nota sobre o assunto publicada hoje (23/01/06) no Amazonia.org.br. Pense em um SOF, DOF e POF!

22 de janeiro de 2006

REMOOOOOOOOOOOOOOOOO!

PODERÍAMOS TAMBÉM COLOCAR A MANCHETE ASSIM:

AGONIA 0 x EXTÂSE 2

RIO PRETO E PASTOSO

Artigo de Mário Sérgio Conti, descrevendo sua visita ao canal do Tiête e publicado No Mínimo deveria ser um norte nas ações da SEURB e SESAN aqui da terrinha. Se considerarmos que a população belemense é bem (muito) menor que em São Paulo, o que ocorre aqui quando chove está bem pior do que lá.

SALVAÇÃO?

Nota postada no Tutti Qui de O Liberal mostra a desfaçatez do poder público:

Salvação

A recuperação financeira da Tuna pode vir da Prefeitura de Belém, que quer desapropriar uma parte do terreno da Almirante Barroso para permitir a continuação da avenida João Paulo 2º. Com os recursos, os tunantes poderão colocar as contas em dia e dar até uma sacudida no simpático clube. O negócio não causará redução expressiva do patrimônio da cruz de malta. A área, que começa na Almirante Barroso, estende-se até as margens dos mananciais do Utinga.

É escabrosa esta forma de "salvar" o clube. O Governo estadual e municipal deverá ser responsabilizado por não ter exigido a devolução de uma área cedida em comodato para o clube de elite Assembléia Paraense e permitido que a continuação da Avenida João Paulo II adentrasse ao Parque Ambiental de Belém. Também deveria ser penalizada a ESTACON que realiza o trabalho.

Mas, como esta matéria fará parte de meu trabalho de especialização ainda haverá muita água pra rolar.

Ainda sobre a Micro-biodiversidade do Deserto

Após a publicação do artigo sobre a Riqueza da Biodiversidade do Deserto, divulgada no ambientebrasil e no PNAS começaram as discussoes sobre o tema para aplicação no semi-árido brasileiro.
Alguns especialistas no assunto comentaram o artigo. As declarações de políticos não serão levadas em conta neste espaço.
Entre eles temos a declaração do pesquisador da Embrapa, Antônio Cabral Cavalcanti que observou que o estudo trata de riqueza microbiológica no ambiente do solo e não das propriedades do solo em si - físicas, químicas e mineralógicas. “As atividades biológicas têm mais suporte em ambientes de clima temperado do que no tropical, ainda mais no rigor do entorno da linha do equador”, comenta ele, reafirmando que os solos da Amazônia são reconhecidamente de fertilidade natural muito baixa: ácidos, dessaturados de bases trocáveis, pobres em elementos disponíveis. “Nada que um manejo adequado com calagem e adubação não os tornem produtivos”, ressalva.
Outra declaração foi do químico Antônio Germano Pinto, especialista em Recursos Naturais com ênfase em Geologia: “Fico imaginando e tentando entender o porquê de tão grande estardalhaço com uma descoberta que grita ao bom senso e é de uma lógica cristalina”, diz ele, explicando cientificamente porque há maior biodiversidade de microorganismos, não só de bactérias, nas áreas desérticas do que no solo da floresta. Primeiro, porque os ácidos orgânicos do húmus foram digeridos pelos próprios microorganismos, deixaram de existir, sendo o carbono em excesso expulso para atmosfera sob forma de gás carbônico ou gás natural. Segundo, porque os nutrientes (sais) existentes no ambiente húmico estão presentes alimentando a micro vida, não foram levados, dissolvidos pelas águas em excesso. E, como terceira razão, ele aponta que, na ausência dos ácidos orgânicos e na presença dos sais - entre eles, os fosfatos, nitratos e carbonatos -, o pH estará neutro ou em torno de sete, ideal a presença da vida".

As discussões devem enveredar pelo caminho mais curto: disponibilidade de pessoal qualificado e de recursos financeiros para dar continuidade a pesquisas. Com certeza virão boas notícias para coloborar no manejo da floresta amazonica e produzir no semi-árido brasileiro.

Mas ... será que os nossos políticos querem isso?

Ou pretendem manter o povo sob o tacão da escravidão aos benefícios da água de caminhões, bolsa família, cestas básicas e outras esmolas "básicas"?

Bom, prá nós só interessaria a primeira opção. Melhor "ensinar a pescar do que dar o peixe".

21 de janeiro de 2006

Te cuida, Fiúza de Melo!

Troquei um email com o editor de Quinta Emenda, quando saiu a nota sobre a segurança na UFPa no Jornal Bom Dia Pará (TV) afirmando que a imprensa ia "imprensar" o reitor Alex Fiúza de Melo desde que a queda de braço (ou de idéias) com a presidente da ADUFPA, outrora poderosa entidade sindical da UFPa, que "trocou de mal" com ele foi desastrosa para a entidade.

Batata! Vejam abaixo o que aconteceu. Tudo nas edições domingueiras. Primeiro no "Diário do Pará" e depois em "O Liberal":

Nota do Repórter Diário:

"Lula não entendeu por que os reitores das universidades federais não cortaram o ponto dos professores durante a greve de cem dias. Disse que, quando era líder sindical, sabia que o ponto da sua categoria seria cortado durante as greves no ABC. O reitor Alex Fiúza de Melo, da UFPA, estava na platéia que ouviu o pito".

Nota na coluna Tutti Qui em "O Liberal":

"A reportagem da TV Liberal mostrada na quinta-feira no Bom Dia Pará sobre a insegurança na Universidade Federal do Pará deveria envergi]onhar o reitor Alex Fiúza de Melo. Alunos assaltados dentro do campus, mato alto e muitas lâmpadas queimadas já mostram a incompetencia dos dirigentes da instituição, mas a imagem do professor fechando a sala a chave com medo de ser assaltado junto com os alunos é, simplesmente, estarrecedor".

Nota do Editor:

Desde abril/maio até dezembro, quando estavam em greve na UFPa, nós frequentamos as aulas do Curso de Pós Graduação em gestão Ambiental, no horário noturno e somente com uma colega houve caso de tentativa de assalto. "O Liberal e O Diário" juntos, se levantarem os casos de assaltos na Grande Belém verificarão que as estatísticas são estarrecedoras.

Culpar o reitor e a prefeitura do Campus Universitário por estes acontecimentos é gracioso. Os alunos (e a imprensa) sabem que ocorrem diversos delitos e tentativas no Campus há, pelo menos, 30 anos. A ocupação desordenada no entorno (de quem é a culpa?), a (in)segurança pública (de quem é a culpa?), a falta de trabalho regular (de quem é a culpa?) e as notícias constantes nos meios de comunicação são fatores preponderantes neste caso.

O que não tira (da Prefeitura) a responsabilidade sobre os casos ocorridos. Deverá cuidar melhor de seus "clientes" habituais.

SAARA: também já foi verde!

Estudos divulgados por por cientistas das universidades de Reading e Leicester, do Reino Unido, demonstram que há, aproximadamente, 12 mil anos o deserto tinha aspectos diferentes do atual. A água esteve presente no meio do deserto e este eram mais parecido com uma savana.

A publicação encontra-se no número atual da revista American Scientist e revela que nos últimos 10 mil anos, em dois períodos pelo menos, a água esteve presente em abundância no meio do deserto que, na verdade, era mais parecido com uma savana. Nesses dez milênios, os períodos secos ocorreram entre 8 mil e 7 mil anos atrás e, depois, a partir dos últimos 5 mil anos.

Neste período a Líbia era dominada pelo grande Império Garamante, sobre o qual pouco se tem conhecimento e que surgiu entre 3 mil e 2 mil anos atrás conseguindo controlar a região, de forma absoluta, até 1.500 anos atrás. O domínio desse povo sobre o Saara teria acabado porque o sistema de irrigação estruturado por eles não foi suficiente para diminuir os impactos da seca na região, que tornava-se cada vez mais implacável.

As Conferências de Curitiba

De 13 a 31 de março de 2006, a capital do Paraná - Curitiba - vai se tranformar no maior foco de atençaõ ambiental da América Latina. Vão ser realizadas as MOP3 - 3ª Reunião dos Países Membros do Protocolo de Cartagena sobre Biossegurança e a COP8 - 8ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica, uma das mais importantes da área.

As preparações, pelo governo brasileiro tem sido intensas: cartilhas, publicações e até um site do evento foi criado.

De 13 a 17 de março vai acontecer a reunião do MOP3, que pretende discutir o polêmico tema dos produtos geneticamente modificados, sobte o qual o Brasil ainda não tem uma posição definida.

De 20 a 31 de março começa a COP8. Como o Brasil tem uma das maiores diversidade biológica do planeta tem grande interesse no tema. São esperados mais de cinco mil pessoas de 180 de países, dentre organizações não governamentais, empresas, acadêmicos e ministros de diversos países.

Informações sobre o evento podem ser adquiridas através dos sites abaixo:

www.cdb.gov.br

http://www.biodiv.org/biosafety/default.asp

www.2010.biodiv.org

20 de janeiro de 2006

SEGURO POR RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

Interessante, no mínimo é o projeto de lei nº 2313/2003 que altera os dispositivos do artigo 20 do Decreto-Lei nº 73, de 21 de novembro de 1966, que “dispõe sobre o Sistema Nacional de Seguros Privados, regula as operações de seguros e resseguros e dá outras providências”, prevendo o seguro de responsabilidade civil do poluidor, pessoa física ou jurídica que exerça atividades econômicas potencialmente causadoras de degradação ambiental, por danos a pessoas e ao meio ambiente em zonas urbanas ou rurais.

Urânio: a bola da vez

Reinicia-se, ainda tenuamente, as discussões sobre o uso de urânio no Brasil.
Devido aos pronunciamentos do presidente do Irã sobre o enriquecimento de urânio para fins pacíficos, os quais não são aceitos como verdadeiros pelos dirigentes dos países que detém o completo domínio da tecnologia nuclear, a decisão sobre se o Brasil entrará ou não na era nuclear vai ficar na surdina.
Até o presidente da Câmara Federal, Aldo Rebelo se deu ao luxo de escrever um artigo sobre o assunto, defendendo ardorosamente o uso da energia nuclear, brandindo razões de segurança nacional, campo de idéias em que, a seu ver, faria todo sentido concluir Angra - 3. E mais: deveríamos construir pelo menos um submarino nuclear, capaz, como explicou, de defender de eventual assédio externo as costas brasileiras e "este mundo de riquezas ainda em prospecção". Rebelo já tem um nome para o submarino: José Bonifácio de Andrada e Silva, "que organizou, através do almirante britânico Thomas Cochrane, a primeira esquadra nacional para anular a resistência da Coroa Portuguesa em 1823 e consolidar a independência do Brasil".
Quer ler mais sobre o assunto? Valor on line.

Lá como Aqui ...

Uma nota publicada no canal ENVOLVERDE já traz a desconfiança de que os patrícios irão ter problemas fenomenais com a seca em 2006.

Apesar de estarem sendo formadas comissões para estudar o problema e de os custos com as perdas terem sido volumosos, as previsões sobre este período de seca em Portugal são preocupantes. Incendios, falta de água, multas e diminuiçãode oferta de produtos fruti-horti-granjeiros foram algumas das contas pagas pelo governo.

O Sertão que Cresce

Este é o título do artigo publicado no site Adital e escrito pelo jornalista Lúcio Flávio Pinto.
Nele, o jornalista que recebeu em novembro de ano passado o Prêmio Internacional da Liberdade de Imprensa, concedido pela organização Comitê para a Proteção de Jornalistas (CPJ - Committee to Protect Journalists), demonstra que a exportação de matéria-prima ( no caso madeira em toras) não traz nenhum benefício ao município exportador.
Valer a pena ler "O Sertão que Cresce".

Geometria


Pesquisadores, liderados por Stanislas Dehaene, da Unidade de Neuroimagem Cognitiva do Colégio da França, resolveu fazer dois tipos de testes não-verbais no interior da Amazônia. Mais precisamente, eles estiveram em uma tribo dos índios Munduruku, que vive no Pará, nas margens do rio Cururu, um dos afluentes do Tapajós. O estudo está publicado no revista Science e foi noticiado pela Agencia FAPESP.
Estes testes pretendem mostrar que os conceitos básicos da geometria euclidiana já nascem com as pessoas. Então fizeram vários testes com os indígenas (adultos e crianças), os quais colaboraram espontaneamente.

Nota do Editor:

Como eu andava prestando serviços nas aldeias munduruku, na época, várias vezes encontrei com o francês Pierre Pica (o de cabelos brancos na foto acima), que estudava as formas estruturais de linguagem. Numa das nossas passagens, durante a Assembléia Anual dos Indigenas, o pesquisador resolveu se enxugar, cada dia com uma, das toalhas dos hóspedes. A primeira vítima fui eu e depois o vereador Isaías Krixi, na época vice prefeito.

Do Bom e do Melhor ...

Nota postada no Blog do Jeso merece ser reproduzida:

Jacareacanga terá zoneamento

O programa de apoio ao desenvolvimento de Jacareacanga foi discutido em reunião realizada ontem, 19, na Secretaria Executiva de Agricultura. A implantação de projetos agrícolas vai beneficiar as comunidades geral e indígenas do município, localizado na região Oeste do Pará. As prioridades são a realização do Zoneamento Ecológico-Econômico de Jacareacanga pela Secretaria Executiva de Ciência e Tecnologia (Sectam) e a instalação do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), até março.

Nota:

Estavam presentes o Prefeito de Jacareacanga, Carlos Veiga, o vice-prefeito José Krixi e o vereador indígena Isaías Krixi. Eles estão bastante esperançosos nesta parceria, prometida desde 2004, quando da visita do ex-secretário de Agricultura, Francisco Victer e uma comitiva estadual ao município.

FERTILIDADE

Nota enviada via celular é de interesse do público (masculino e feminino):

"Estudo médico da República tcheca revelou que o odor de mulheres em período fértil do ciclo menstrual pode atrair os homens."

Acrescentado em 21/01/2006:

BBCBrasil

19 de janeiro de 2006

SAÚDE INDÍGENA

Conversando com o vice prefeito de Jacareacanga, o Zé Crixi, indígena da tribo munduruku ele confirmou o aumento da mortalidade entre eles dizendo: "Este ano eu perdi a conta dos que morreram por descaso da FUNAI e FUNASA. E nós não pudemos fazer nada para impedir a morte de meus companheiros!"
E agora, FUNAI e FUNASA? Cadê a vergonha na cara?

DEFESA DE DISSERTAÇÕES NO NAEA

Agende este evento:

Agenda das Defesas de Dissertações
Data:24-01-2006
Categoria:Dissertação
Título:

PARA ALÉM DA COMUNICAÇÃO: dilemas e desafios da participação
Aluno(a):Rosane Maria Albino Steinbrenne
Orientador(a):Thomas Hurtienne
Banca: Armin Mathis e Heribert Schmitz
Local: Mini-Auditório do NAEA
Horário: 10:00 hs.


Resumo
PARA ALÉM DA COMUNICAÇÃO: dilemas e desafios da participação

Rosane Maria Albino Steinbrenner

Resumo

Na era da chamada sociedade da informação, tende-se a pensar que “saber das coisas” faz toda a diferença na hora da escolha por determinado comportamento. O que se percebe no entanto, é que, sem desmerecer a relevância da informação nos processos de tomada de consciência e empoderamento social, tal correlação está longe de ter uma evidência tão direta. Tentar entender esta relação entre comunicação e participação cidadã foi o que motivou este estudo, que tem como foco o espaço rural amazônico, levando em conta um processo determinado de indução externa ao desenvolvimento local sustentável (Projeto GESPAN), com destaque para os processo de participação de um ator social específico (Conselho Desenvolvimento Rural do município de Moju, Nordeste paraense). Percebeu-se que o processo de comunicação estabelecido no campo do desenvolvimento rural acontece em múltiplos estágios e que a informação relevante é sempre mediada pela figura de líderes-comunicadores (conselheiros ou lideranças comunitárias). Evidenciou-se que a comunicação e estes atores centrais do processo de comunicação desempenham um papel ambivalente nas dinâmicas do desenvolvimento rural. Podem contribuir para a participação e inclusão das comunidades rurais ou o contrário, podem limitar, manipular ou impedir o acesso à informação e portanto, promover um isolamento ainda maior das comunidades periféricas. Revelou-se também uma estreita relação entre capital social e disseminação da informação relevante nas comunidades.

Palavras chaves: Comunicação, participação, capital social, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural.

PSICULTURA

Dias desses recebi um pedido de projeto de psicultura de tambaquis e pirarucus para uma área em uma ilha do complexo Marajó.
Agora os interessados poderão conhecer muito sobre as espécies mais cultivadas no Brasil através de uma publicação da Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, que coletou artigos e estudos sobre as principais espécies nativas de peixes do país.
Destinado a piscicultores, cientistas e estudantes que se interessam pelo assunto, o livro “Espécies nativas para piscicultura no Brasil” foi organizado por Bernardo Baldisserotto, professor do Departamento de Fisiologia e Farmacologia da UFSM, e Levy Gomes, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amazônia Ocidental), em Manaus.

Bom "apetite"!

Uma Nova Minamata?

Um artigo publicado recentemente traz notas preocupantes sobre a presença de mercúrio nos sedimentos do fundo e das águas do sistema estuarino Santos-São Vicente.

Pesquisadores do Laboratório de Oceanografia Costeira da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – mas com grande ligação com a Baixada Santista – e do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) acabam de divulgar um estudo que serve de alerta para os responsáveis pelo monitoramento ambiental do litoral paulista.
Análises metodológicas refinadas, feitas em 31 amostras de sedimentos, mostraram que a concentração de mercúrio na região pode ser preocupante. Em 90% dos pontos de coletas, segundo os resultados apresentados pela edição atual do Journal of the Brazilian Chemical Society, os índices estão acima dos considerados ideais pela Cetesb, agência de controle ambiental paulista. O valor dado como aceitável pelas normas internacionais, também seguidas em São Paulo, é de 0,13 micrograma por grama de material coletado.

PS (19/01/2006): Professor Félix Rodrigues (desambientado) que esteve no 7º Congresso Mundial sobre mercúrio no Ambiente sugere o seguinte link para complementar a informação acima:

http://congress.cd-cc.si/icmgp04/?menu_item=programme&menu_level=2

18 de janeiro de 2006

A Redução do Maior Peixe

Os estudos realizados pelo Instituto Australiano de Ciência Marinha (Aims) afirmam que o maior peixe do mundo está diminuindo de tamanho: o tubarão-baleia teria diminuído de 7 metros para 5 metros. E isto estaria acontecendo por causa da pesca indiscriminada que é realizada no leste asiático. Os estudos, que analisaram os dados dos últimos dez anos, afirmam que a tendência "é muito preocupante".

Nota postada no BBCBrasil.com por Richard Black, de Darwin.

Para o Coração!

O uso contínuo de aspirina pode diminuir os riscos de doenças cardiovasculares em ambos os sexos, mas beneficia mais os homens, de acordo com uma pesquisa da Universidade Duke, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. O estudo, publicado na última edição da revista médica Journal of the American Medical Association, analisou o efeito da aspirina sobre 95 mil pacientes e descobriu que a droga realmente diminui as chances de ataques cardíacos e infartes em pessoas saudáveis.

Ei, amigos e amigas cardiopatas tomem mais aspirinas!

A SAÚDE INDÍGENA CAUSA DISCORDÂNCIA

Recente declaração do vice-presidente da FUNAI sobre a saúde indígena e a respectiva resposta pel o diretor da FUNASA mostra que as duas intituições não sabem onde ficam as aldeias indígenas, nem como é feito o atendimento médico ou quem mora nas aldeias.
O vice (da FUNAI) diz que "os funcionários da Funai ficavam em postos próximos às aldeias e tinham postura de missionários, dispostos a atender os índios a qualquer hora". É mesmo, vice? Missionários? Sei...
Então vá a Itaituba e veja onde moram os agentes e o que eles fazem com as índias.

O outro (diretor) diz que "um dos mais indicadores mais representativos da saúde pública, a mortalidade infantil, é prova da melhoria do serviço. Segundo dados da Funasa, houve redução de 36% no número de mortes entre as crianças nascidas vivas de 2000 a 2004". Pode ser. Mas pergunto: como os índios vão levar suas crianças doentes à cidade se todos moram a quilômetros de distância? De canoa a remo? Vai passar o Chacorão no verão com o pessoal da Aldeia Lajinha pra ver como é que é.

Então será que estes dados são reais? Duvido. E muito!

TOMA MAIS ESTA, FUNAI!

Dias atrás postei uma nota (OS CULPADOS SÃO OS ÍNDIOS) comentando as declarações do presidente da FUNAI sobre as mordomias indígenas: terras em excesso, remédios em excesso, indios em excesso e reclamações em excesso.
Não tendo mais o que fazer, o senhor Mércio Gomes declarou à Agência de Notícias Reuters, no dia 12 de janeiro de 2006, que os povos indígenas do Brasil têm terra demais: “Até agora, não há limites para suas reivindicações fundiárias, mas estamos chegando a um ponto em que o Supremo Tribunal Federal terá de definir um limite”
A COIAB (Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira) achou que o limite tinha sido extrapolado e mandou uma resposta.

Ainda continuo insistindo em mandar um convite para fazer uma visita no Sai-Cinza. Vou dar esta sugestão para o Isaías e Zé Krixi. Cabra metido a besta!

Brito

Comentário publicado no caderno de Esportes de O Liberal, assinado por Hamilton Gualberto me deixou surpreso. Tenta o comentarista fazer um levantamento de estrelas do time rubro-negro carioca que teriam sido campeões do mundo como titulares da seleção brasileira. E afirma que nenhum craque rubro-negro foi campeão e titular. Cita os casos da seleção de 1958, quando foram convocados Joel, Dida, Zagalo (já no Botafogo na Copa), que perderam as vagas para Garrincha e Pelé, respectivamente.
Esquece o colunista de um jogador (não foi craque, mas era esforçadíssimo) chamado Hércules Brito Ruas, zaqueiro titular e campeão do mundo em 1970, considerado o melhor preparo físico da Copa de '70. Foi transferido do Vasco para o Flamengo em 1969, viu colunista? e somente em 1971 foi para o Botafogo carioca.
Caramba, com a internet em casa será que não dava pra fazer uma pesquisa? Então vou mostrar o link da Gazeta Esportiva. Vá lá, comentarista. Vá!

O Reflorestamento no Pará

Nota publicada no Diário hoje (19/01/06) sugere uma frente de discussão permanente quanto ao reflorestamento:

"• Ibama, Ministério do Meio Ambiente, Sectam e Aimex promovem seminário, nos próximos dias 27 e 28, em Paragominas, para discutir o reflorestamento no sudeste paraense".

PS:

Escrito às 10:04 hs. Como sempre: ou estou muito na frente ou muito atrás no calendário. Desta vez adiantei o relógio em 01 (um) dia, mas leia-se 18/01/05.

17 de janeiro de 2006

RECLAMAÇÃO CONTRA A FUNASA

Estou publicando a mais hilária notícia deste ano: Indios reclamam da FUNASA.
Amanhã chegam em Belém os dois líderes mais evidentes, politicamente, da nação munduruku: o vice-prefeito José Krixi e o vereador Isaías Krixi. Depois de ouvi-los vamos saber como estão sendo tratados pela FUNAI e FUNASA. Se não houver nenhuma novidade, tá do mesmo jeito em todos os lugares.

POEMA

Vagabundando pela internet, encontrei um blog de um patrício Jorge Moreira, que mora em Vila Nova de Gaia, Porto, Portugal.


Gaia, a personificação do planeta Terra como deusa, que é o sonho de todos. Gaia, na mitologia clássica, personificava a origem do mundo, o triunfo e ordenamento do cosmos frente ao caos, a propiciadora dos sonhos, a protetora da fecundidade e dos jovens.

A Natureza


Natureza

Corre

Vibra
Imensa luz
Imenso amor
O silêncio ecoa
Na paisagem
E grita de esplendor
Natureza
Encanta
O som das cores
O dom dos Deuses
Única
Simples e nua…
A Natureza.

Jorge Moreira - Dezembro 2005

CADÊ OS DOUTORES?

Esta nota abaixo merece ser republicada por inteiro. Está no site Tierraamérica.

Especialistas estrangeiros realizam a maior parte dos estudos sobre a vasta e rica região. O Brasil tenta triplicar os estudantes locais de pós-graduação até 2010.

A Amazônia precisa de mais cientistas


Por Mário Osava*


RIO DE JANEIRO.- A Amazônia, que concentra a maior biodiversidade e 60% do território do Brasil, recebe apenas pouco mais de 2% dos escassos investimentos nacionais em pesquisas. Por isso não surpreende que apenas 36,9% dos artigos científicos que tratam da vasta região provenham de autores brasileiros, enquanto os estrangeiros respondem por quase dois terços destes, segundo um estudo estatístico de Adalberto Val, biólogo do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Val analisou 1.026 textos no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão de fomento aos pós-graduados. Sua pesquisa mostrou que os Estados Unidos lideram a produção científica sobre a Amazônia, com 41,6% dos artigos, dos quais apenas uma mínima parte foi feita com a colaboração de brasileiros. O Brasil não conta com pessoal nem mesmo para “compreender, processar e assumir” o conhecimento disponível produzido por pesquisadores estrangeiros, lamentou Val, para quem é urgente formar e estabelecer cientistas na região. O conhecimento científico local é fundamental para a tomada de decisões sobre uma área rica em recursos naturais cobiçados no mercado internacional. “Hoje, a soberania se exerce mais com informações do que com armas. Nosso controle sobre a Amazônia diminui se não se conhece bem o que existe ali, as relações de seus animais e suas plantas com o meio ambiente”, destacou Val. Fincar recursos humanos qualificados nessa região exige uma virada. A Amazônia só dispõe de 3% dos 1.820 programas de pós-graduação registrados pela Capes. Além de formar cientistas e técnicos, é necessário que estes vivam na Amazônia para “interagir com a sociedade local” e promover seu desenvolvimento, pois não basta passar alguns meses ou anos ali recolhendo dados para uma tese, destacou Val. Dos 379 artigos brasileiros registrados, menos da metade foi produzido em instituições amazônicas. O Brasil conta com cerca de 50 mil doutores, e apenas pouco mais de mil trabalham na Amazônia, segundo a Capes. Um novo programa, “Acelera Amazonas”, pretende atacar esse déficit, triplicando os estudantes de pós-graduação na região até 2010, com recursos para ampliar a quantidade de laboratórios e bolsas. Além de cursos de pós-graduação locais, será estimulada a migração de pesquisadores para a Amazônia e a cooperação científica com outras partes do Brasil e do exterior. A quantidade de doutores em terras amazônicas deve aumentar a um ritmo muito superior do que no restante do país, ao contrário do que vinha ocorrendo, disse ao Terramérica José Fernandes Lima, diretor de programas da Capes. A escassez de pesquisadores é mais grave ainda nos demais países amazônicos: Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela. O Brasil responde por 44% da produção científica latino-americana, segundo Lima. Nos artigos que analisou, Val estima que menos de 10% são de autores dos sete países que compartilham a Amazônia com o Brasil. Para Dennis Del Castillo, presidente do estatal Instituto de Pesquisa da Amazônia Peruana, estas estatísticas não refletem exatamente a ciência acumulada na região. A baixa quantidade de publicações dos países amazônicos responde “ao costume de nossos pesquisadores de produzir e armazenar enorme quantidade de informação”, que não divulgam como artigos científicos “ou demoram muito tempo” para fazê-lo, disse o especialista. Além disso, são escassas as revistas científicas em espanhol ou português, bem como os investimentos em ciência, acrescentou. Nos Estados Unidos, além de maior investimento, “o pesquisador que não publica simplesmente é excluído do sistema”, enquanto nos países amazônicos e andinos não se exige a publicação como medida de produtividade, comparou. Para o especialista, é importante atrair cientistas, oferecendo-lhes boas condições de trabalho e uma vida interessante, e também facilitar estudos de qualidade para “jovens locais com vocação científica, conhecedores de seu meio biofísico e dos costumes de seus povos”. Outro cientista, Adalberto Veríssimo, concorda que a negligência em publicar tem cunho cultural, mas também faltam estímulos para superar essa deficiência de brasileiros e outros latino-americanos.”Há muito conhecimento encaixotado”, que só passará a ser útil e a “existir como ciência” depois de publicado, o que exige seleção e sistematização das informações, disse Veríssimo, agrônomo do não-governamental Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia e autor de mais de 80 textos sobre a região.


* O autor é correspondente da IPS.

REFLORESTAMENTO

Esta nota abaixo está publicado em O Eco:


Boa idéia
12.01.2006

O governo do Pará prepara um projeto de lei para ser enviado à Assembléia Legislativa que, se aprovado, dará incentivos fiscais a quem fizer projetos de reflorestamento em áreas já devastadas no estado.

Nosso companheiro acha boa idéia. Já existem discordâncias legais. A lei determina que após o reflorestamento seja mantido 80% da área como reserva. Isto é, o cara refloresta uma área degradada, espera crescer as árvores que ele vai regar e cuidar, aí quando estiver no ponto de usar os recursos florestais só vai poder usar 20%, pois o restante vai ter ficar como area de reserva florestal.
Pode? Só se mudar a lei pra alguém encarar este everest florestal!

IDÉIAS CRIATIVAS

Matéria publicada no ambientebrasil mostra que as boas idéias são passíveis de serem implementadas. Neste caso trata-se do sempre problemático caso de pneus inservíveis.
A arte constitui-se, cada vez mais, em uma excelente saída. Até mesmo o que poderia ser improvável pode se tornar objeto de decoração. Em São Paulo, um designer utiliza pneus para criação de suas peças. São cadeiras, vasos, bancos e mesas de centro. Em um ano e meio de projeto já foram reaproveitados 3200 pneus, segundo o designer e idealizador do Projeto Arte em Pneus, Daniel Beato.

Outras matérias interessantes publicadas sobre a reciclagem:

Família que trabalha unida...preserva unida.

Projeto de cunho sócio ambiental dá oportunidade a ex-moradores de rua e ajuda na reciclagem do lixo

A senhora da reciclagem

IDENTIFICAÇÃO VIRTUAL

Uma boa ação legislativa foi adotada pelo Estado de São Paulo: a partir de agora que aluga computadores (lan hause, cyber café, etc.) para uso em local público terão que manter registros dos usuários por, no mínimo, 60 dias. Esta medida visa coibir o anonimato nos crimes virtuais.

16 de janeiro de 2006

Samba do Crioulo Doido

Que me perdoe o autor, mas este deveria ser o título dado para a consulta pública sobre o Plano Nacional de Áreas Protegidas, do Ministério do Meio Ambiente (MMA). Para fazer média com outros "protetores" convidaram para compor o debate também os defensores das causas indígena e quilombola e propondo a “integração” das diferentes “áreas protegidas” do país. Aí, ninguém 'tá se entendendo. O tema acabou se transformando num Plano Nacional de Áreas Protegidas de Indígenas e Quilombolas. Nada contra, mas será que dá pra ser mais direto nestas discussões intermináveis? Senão vamos ter que chamar a ONU para participar da discussão.

Para saber mais sobre o assunto leia o artigo "Palavras ao Vento" de Lorenzo Aldé.

Cegueira ... pública

Esta nota foi retirada do Blog do Jeso:

Cegueira leva Sespa ao Araguaia

A Sespa (Secretaria Executiva de Saúde Pública) está tomando providências para descobrir qual agente está causando a diminuição da acuidade visual em crianças e adolescentes que vivem às margens do rio Araguaia, na fronteira entre o sul do Pará e o estado do Tocantins.O diretor do Núcleo de Endemias da Sespa (Nuepi), Bernardo Cardoso, esteve em Brejo Grande, Palestina do Pará, São Geraldo, São João do Araguaia e Itupiranga, cinco municípios do Pará abrangidos pelo rio Araguaia.Junto com ele foi uma equipe de técnicos do Núcleo de Epidemiologia (Nuepi), que ouviram depoimentos da população e recolheram material para biópsia, com respaldo de médicos oftalmologistas.De acordo com o médico, o material recolhido vai ajudar nas investigações das equipes de saúde do Pará, Maranhão e Tocantins para desvendar o que tem causado a progressiva perda de visão em quem costuma se banhar ou utilizar a água do rio Araguaia nas atividades diárias.Bernardo Cardoso acrescenta que, segundo a população, o problema já existe há cerca de 20 anos e que o Ministério da Saúde já havia sido notificado desde 2001 sobre a doença, pela Secretaria Estadual de Saúde de Tocantins. "Sabe-se que os primeiros casos começaram há três anos. Em geral, quando o problema é detectado em estágio inicial, o tratamento pode ser feito através de medicação ou cirurgia", afirma.Durante a visita aos cinco municípios do sul paraense, que começou na quarta, 11, e terminou no último domingo, 15, a equipe do Nuepi não detectou nenhuma ocorrência de cegueira entre os casos notificados. Cardoso informou que o grupo deve voltar à área já visitada no prazo máximo de 15 dias.Os sintomas da contaminação misteriosa se assemelham aos de uma conjuntivite, e começam com um processo inflamatório em um dos olhos. Para Bernardo Cardoso, ainda é muito prematuro atribuir a causa do surto à contaminação por trematóides supostamente transmitidos por caramujos do rio. "Os dados ainda estão sendo analisados, para isso estamos realizando uma série de estudos".

Fonte: Assessoria de Comunicação da Sespa

COMENTÁRIO:

Típico do ditado "só fecha a porta depois que for roubado". Os especialistas em água há longo tempo vem se esgoelando para que os problemas causados por esgotos ao rio sejam solucionados e ... nada. Ou melhor: quanto vai gastar a Secretaria de Saúde do estado para remediar uma situação que poderia ser preventiva?

Ei, Binga, convida teus colegas para elaborar um plano de gestão de saúde pública consistente, chama a imprensa e divulga através de um seminário regional. Vais ver como funciona. Logo, logo!

A Mentira

Este poderia ser um título de uma novela bem à brasileira. Mas é um ingrediente da política brasileira. Refere-se a eleições e maracutaias (são tudo a mesma coisa, né?), desentendimentos e desencontros de órgãos governamentais e, principalmente, promoção pessoal.
Ano passado, depois de exaustivos estudos ambientais, a BR-163 (Cuiabá-Santarém) - explico porque coloquei na ordem inversa do que os santarenos falam: até o limite do estado do Mato Grosso já está asfaltado e pra cá só buracos - foi decidido que seria priorizado o seu asfaltamento. Agora, uma medida do governo federal (foi uma dificuldade encontrar este decreto, porque ele não é numerado e só tem a data, mas fuçando se encontra no DOU) proíbe, por sete meses, o corte raso da floresta e atividades que possam causar degradação ambiental na região que circunda a rodovia que liga Porto Velho (RO) a Manaus (AM), uma área da Amazônia ainda bem preservada. E o ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, que já declarou ser candidato ao governo do Amazonas diz que a prioridade é o asfaltamento da BR-319.
Não cheira a campanha política antecipada?

Biólogos tem Conselho próprio

A partir de março de 2005, devido a uma divisão interna com o pessoal do CBio-4, foi criado um só para os biólogos do Amazonas, Pará, Acre, Roraima Rondonia e Amapá: o CBio-6.
Os Conselhos são delegações importantes tanto para os biólogos – na perspectiva da garantia dos direitos trabalhistas da categoria - quanto para a sociedade que, por meio das gerências, pode acompanhar a atuação dos profissionais. Isso permite às pessoas saber quais biólogos são credenciados, em quais áreas estão aptos realmente a trabalhar, entre outras informações.

Quero ver quando os geólogos, geógrafos e profissões afins vão ter coragem para se separar dos CREA's e formar o seu Conselho. Este ano já está "na rua" a anuidade de 2006 .

15 de janeiro de 2006

QUER RECONHECER UMA ENTREVISTA AVASSALADORA?

Esta entrevista de Vicente Lassandro Neto, geólogo que trabalha há mais de 40 anos como engenheiro do petroléo vem causando polemicas acirradas entre biólogos, geólogos e demais profissionais. Foi publicada, inicialmente, no ambientebrasil. Ele escreve afirmações instigantes e que soam aos leigos como absolutamente desprovidas de bom senso. Um exemplo: “destruir e queimar florestas também é ótimo para o meio ambiente”.

Quer ler? Garanto que vale a pena. Ah! leia os comentários a esta entrevista também: vão desde imbecil a prepotente, egoísta e alienado. Mas existem alguns que concordam como Vicente. E você o que acha?

Quem cuspir tá ferrado!

Pensam que é por aqui? Não é não. É em Pequim. Quando li a notícia no web-resol pensei que nós éramos os chineses.
Dos cinco maiores costumes chineses, nós temos, exatamente, quatro: cuspir na rua, deixar os animais de estimação cagar na rua, zizaguear com os carros e jogar lixo no chão. Um que eles gostam de praticar e que ainda não chegou aqui é promover tumultos nas paradas de ônibus e metrôs. Será?
Para ler a nota completa vao ao site uol.

VELHARIA

Remexendo no baú das notas publicadas neste mundo, encontrei esta notícia sobre um peixe transgenico: Frankenpeixe! Foi publicada em setembro de 2003 na Revista Terra, o que deixa os porcos verdes atuais, digamos, desatualizados. Vide abaixo:

"Frankenpeixe: a nova onda em Taiwan é um peixe que brilha no escuro

Por apenas 17 dólares é possível levar para casa este lindo bicho de estimação transgênico, obtido a partir da mistura de um paulistinha com genes de uma água-viva. É a primeira vez que um animal geneticamente modificado chega ao mercado. A empresa de Taiwan que desenvolveu o animal, a Taikong Corporation, garante que ele não tem outros atributos além de embelezar o aquário: seu brilho não faz mal à saúde e ele é incapaz de se reproduzir. Mas alguns analistas estão preocupados com a possibilidade do surgimento de outros peixes transgênicos, que poderiam escapar para os rios e prejudicar o ecossistema. Será o início de uma era de "mascotes-Frankenstein"? Não, opina Luis Lehmann Coutinho, professor de genética molecular da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba, SP. Para Coutinho, já é complicado adotar transgênicos quando se trata de plantas e medicamentos, que podem trazer benefícios ao homem. No caso de animais, a discussão tem conotações ainda mais negativas: "Estão manipuldo vida por puro interesse comercial, por pura vaidade. Isso não se justifica", protesta ele."

A ilha que não pára de crescer

Esta nota está postada na Revista Terra e é interessantíssima:

"A imagem ao lado, feita por um satélite da Agência Espacial Européia, mostra um processo vulcânico inusitado, que surpreendeu os geólogos no final do ano. A Ilha de Montagu, integrante do arquipélago das Sandwich do Sul, no Oceano Atlântico, cresceu cerca de 250 mil metros quadrados em questão de dias. A área, equivalente a 40 campos de futebol, surgiu devido ao acúmulo de lava, já que se trata, na verdade, de um vulcão coberto de gelo. Na foto, é possível identificar um rio de magma correndo em direção ao oceano e formando a nova borda. "Além disso, é uma oportunidade única de estudar o recuo da geleira devido à atividade vulcânica, algo que era muito comum 30 milhões de anos atrás", diz John Smellie, do Instituto de Geofísica do Reino Unido."

14 de janeiro de 2006

50 anos de Bossa Nova


Esta postagem é para trazer uma gostosa saudade aos frequentadores do Rio (estudantes, turistas, garotas e todos mais).
Festeja-se os 50 anos da bossa nova. E, é claro, as festas começam de manhã cedo (quem conhece o Rio sabe o que significa cedo) e vai pela noite afora. Mas leiam este artigo publicado na National Geografic Brasil que vai trazer boas lembranças e ...

Bom, deixa pra lá. Vou até tomar uma "gelada" pra sentar às mesas e degustar a beleza (em sonhos) ...

Quer conhecer a Amazônia?

Quem quer saber como é a Amazonia brasileira?
Então prepare-se, com urgência, antes que ela seja extirpada do coração amazônico.
A culpa desta destruição é o INCRA, segundo o biólogo e doutor em zoologia Fábio Olmos. Ele conta suas experiências em artigo, publicado em O Eco, desde a época de Rondonia até, recentemente, o Tocantins.
Aqui, em nossas plagas, na abertura da Avenida João Paulo II (antiga 1º de dezembro), para não "invadir" uma área municipal cedida em comodato para a Assembléia Paraense (clube de elite paraense) foi preciso cortar mais um pedaço da Área do Parque Ambiental de Belém. E com a concordância de todos os envolvidos: Estado (SECTAM), Município (SEMMA), empreiteiras e o diabo a quatro!
A quem deveremos se queixar?
Promotor Raimundo Moraes, largue o "osso" de Juruti e Canãa dos Carajás e olhe pro seu quintal! Antes que a rua acabe com os locais de abastecimento de água de Belém e arredores. Por favor!

COBAIAS HUMANAS


Li há pouco o artigo do senador Cristóvam Buarque publicado no seu site sobre as experiências sobre a malária desenvolvidas por pesquisadores no Matapi - Amapá.
O senador começa descrevendo sua ida de avião a Macapá, de carro a Santana e de barco às areas de pesquisa. Bom, senador, ir à Macapá de avião, de carro à Santana e de barco ao Matapi é a única forma de fazer este trajeto, então não tem por que se admirar deste périplo. E não é tão ruiam assim.
Tente fazer este trajeto até a aldeia Santa Maria no alto rio Cururú. Quero ver se vai ter imprensa indo ver como anda os direitos humanos dos munduruku. Vai lá, vai, senador!

AÇORES

No blog Desambientado voce poderá encontrar uma petição para tornar a Língua Portuguesa como oficial da Organização das Nações Unidas. Já são mais de 35.700 assinaturas.
Como temos alguns milhões de pessoas que falam a língua portuguesa, ainda faltam bastante assinaturas. Que tal colocar a sua, também?

TERRAS INDÍGENAS

Uma tese do pesquisador Eduardo Vale, defendida em sua tese de doutorado sobre a demarcação de terras indígenas e a mineralização que ocorre nelas, em dezembro de 2005, no Instituto de Geociências da Unicamp está levantando comentários díspares. A FUNAI quer proteger sua ação (im)produtiva e levar os indígenas a serem eternos dependentes de seu paternalismo. O pesquisador sugere estudos baseados nas experiencias do Canadá, Estados Unidos e Austrália para encurtar o caminho entre a realização dos trabalhos minerários, a demarcação das terras e o bem estar dos indígenas.

Veados podem se regenerar


Um estudo foi efetuado por uma equipe do Royal Veterinary College de Londres sobre a regeneração das galhadas dos veados. Interessante, se pensarmos que esta regeneração de membros é comum nas salamandras e não em mamíferos. O objeto de estudo ainda está longe de atingir os resultados ambiciosos como tratamentos para a doença de Parkinson, mas caminha para resultados promissores nas áreas de saúde.

13 de janeiro de 2006

SEXTA-FEIRA, 13.

O ano começa assim. Uma sexta-feira, 13 trazendo prenúncios catastróficos para a vida nesta Santa Maria de Belém, que aniversariou ontem (390 anos). Vejamos :
  1. De manhã, cedinho, um jovem passava embaixo de minha janela com um lindo cachorro prêso em uma coleira. Parou e ... deu uma cagada (o cachorro, é claro!). Já ficou merda no chão pra um outro cidadão pisar e xingar a mãe de alguém.
  2. Posse da nova diretoria da AMUT (Associação dos Municipios da Transamazônica e Santarém Cuiabá). Não adianta comentar.
  3. O pessoal da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios vai buscar informações sobre as contas do Duda nos Estados Unidos. E no Congresso...
  4. Falando neles, descobriram que os deputados que deram o dinheiro que não era deles, na verdade não deram. E ainda vem umzinho dizer que a doação era anônima ...
  5. O mau cheiro que vem da vala da Doutor Moraes está pior que antes. A Prefeitura (leia-se SESAN) mandou limpar (?) a vala estes dias.

A discussão sobre Belém que surgiu no blog Quintaemenda, no dia de seu aniversário tem motivos para ficar mais acirrada se souber mais sobre o mau humor dos habitantes, a sujeira das ruas e a falta de segurança existente.

12 de janeiro de 2006

Quem quer participar?

Alguém aqui não gosta de ler?

Com certeza, os leitores, colaboradores e escribas de "blogs" são pessoas que gostam de ler e, principalmente, escrever. Tentamos fazer este exercício diuturno com a maior atenção para não "escorregar" e ser (em silêncio) ridicularizado. É claro, também, que ocorrem erros, mas não elogiamos páginas vazias.
Neste artigo (Lula não estudou por preguiça) o articulista Augusto Nunes, no site no mínimo, mostra a faceta do presidente Lula em relação à leitura. Vale a pena ler.

POLÍTICA AMBIENTAL PARA A AMAZÔNIA

Este tópico abaixo é um dos trechos do Relatório da Rede Social de Justiça Social e Direitos Humanos, sobre a política ambiental do governo Lula para a Amazonia.

O articulista e educador Jean-Pierre Leroy traça um caminho sobre o trabalho ambiental desenvolvido pelo governo Lula na atualidade:

"Os projetos das barragens e usinas de hidroeletricidade de Belo Monte e do Alto Madeira, a exploração de bauxita de Juruti, a ampliação da capacidade de Tucurui, o anúncio do asfaltamento da BR 163, da BR-319 (Manaus-Porto Velho) e da BR-210 (Humaitá-Lábrea), a abertura da ligação por estrada com o Pacífico, o gasoduto Urucu-Porto Velho, as usinas de ferro-gusa de Marabá e do Maranhão, a soja presente desde já, além da franja sul da Amazônia brasileira, em Rondônia, no Amazonas, no Pará, em Santarém, mas também na margem esquerda do Amazonas, no Amapá e em Roraima, criando uma frente comum com as madeireiras e a pecuária, se sobrepõem e apagam qualquer pretensão de um desenvolvimento próprio para a região, qualquer sinal de uma política ambiental consistente. Todas essas iniciativas são promovidas ou vigorosamente defendidas e apoiadas pelo governo. As dificuldades para viabilizar as iniciativas socioambientais são enormes. De fato, o Incra, o Ibama, a Funai e a Polícia Federal, todas instituições federais que estão presentes em campo, não conseguem monitorar e fiscalizar as áreas de conservação e as terras públicas e defender os direitos das populações com as quais lidam, no âmbito das suas responsabilidades."

ANIVERSÁRIOS

Hoje a cidade de Belém festeja mais um aniversário. Sem muito brilho e com bastante problemas para resolver. E não são poucos:
  • Saneamento básico: lixo - jogado por passantes, moradores de baixadas e até, pasmem - escolas particulares; água - precisa falar mal da SAAEB?; esgôto - tudo vai por ele;
  • calçamento irregular - são os problemas principais dos deficientes (que também são eleitores, viu prefeito?);
  • planejamento ambiental - será que a cúpula sabe o que isso significa?
  • ruídos - alguém já ouviu um som monitorado em Belém?;
  • Poluição do ar - nem só de mau cheiro vive uma metrópole;
  • Áreas verdes - bom, aí a prefeitura exagerou. Basta ver a decoração de Natal.

Mas, também tem o natalício de meu amigo Carmona, que neste ano, os festejos vão passar em branco. Tudo devido ao passamento de seu pai no último fim de semana.

Assim, o Carmona, que tanto orgulho tem de ter nascido no dia do aniversário de Belém, não tem, como desmantela o Juca Arruda, grandes motivos para festejar neste ano. De qualquer maneira, felicidades, amigo e, que Belém do Pará se torne um lugar aprazível, em breve!

11 de janeiro de 2006

A voz do povo é a voz de Deus?

Prá saber sobre isto acessem o Quintaemenda e leiam a nota Pá de Cal, onde o Juca Arruda comenta a votação (via internet) sobre o pagamento de extras aos parlamentares que não trabalham e acusam todos os que trabalham de serem os "mordomos".

FARSA

A rigorosidade com que foi feita a investigação sobre as pseudos descobertas científicas do veterinário sul-coreano Woo Suk Hwang pelo comitê da Universidade de Seul não impede de deixar a revista Science em maus lençóis, afinal ela publicou tres artigos da equipe liderada pelo "infame" (segundo o comitê investigador) veterinário. É bom ficar atento a outras descobertas e estudos científicos asiáticos.

A RIQUEZA DA BIODIVERSIDADE DO DESERTO

Os cientistas ficaram surpresos com o resultado, mas uma colher da areia do deserto de Mojave tem maior biodiversidade de espécies que a de solo da Amazonia! Será que tá na hora de transformar tudo em deserto? Negativo, não é bem isso. Esta diversidade de espécies é em relação aos microrganismos e nós precisamos de cobertura vegetal para amenizar os fatores climáticos, nos trazer sombra e água fresca, alimentos saudáveis e uma diversidade gostosa de espécimes vegetais e monerais. O estudo está publicado na revista PNAS.

10 de janeiro de 2006

GRUPO DE M...


Temos notícias de que estará se reunindo nesta semana o grupo dos seis maiores poluidores do planeta, para discutir caminhos alternativos para o que foi decidido no Protocolo de Kyoto. São capitaneados pelo presidente do país que tem levado os maiores rombos ambientais atualmente e leva de reboque o Japão, Austrália, Índia, China e Coréia do Sul. Acho melhor arranjar outro John Wilkes Booth, que assassinou Lincoln ou, quem sabe, um Lee Harvey Oswald, que assassinou Kennedy, prá assustar o Bush, senão nosso "mundinho" vai ficar na merda, também.
E, juro pela alma de Pai Tomás, que não estou insuflando ninguém!

VEREADOR PATRÍCIO CRIA BLOG

Nota vindo do Ondas3 mostra que por lá também os políticos tentam "dar um golpe":

  • Vereador do Ambiente criou blog.
"Desde 21 de Novembro que António Prôa se diz disponível para apreciar as opiniões, sugestões e contributos dos munícipes sobre os diferentes assuntos da vida de Lisboa. Não é por ser inédita que a iniciativa será de louvar. É porque ultrapassa os espartilhos que sufocam a página oficial desta autarquia, o que se verifica na generalidade das páginas das autarquias portuguesas. Ultrapassando essa camisa de forças, é muito provável que consiga promover uma maior aproximação com cidadão à res publica. Apesar de estar operacional desde 21 de Novembro, o blog apenas mereceu 3 comentários. Um deles, sobre uma foto, foi apagado, mas o Vereador, apesar de o ter apagado, responde. Nunca tinha visto alguém dar uma resposta a uma pergunta que, na prática não existe ou deixou de existir. Se apagou a pergunta, porque lhe responde? "

É mole?

OS CULPADOS SÃO OS ÍNDIOS


  • Há cerca de cinco anos atrás, os Munduruku colocaram numa gaiola alguns agentes da FUNAI, na aldeia Sai Cinza e estavam tentados a botar fogo nos mesmos. Na época estavam reinvidicando a devolução de áreas garimpeiras no rio das Tropas, aliás estou sendo moderado ao usar a palavra "reinvidicação", eles estavam mesmo é expulsando os "brancos" de lá. Como a negociação estava "muito devagar pro gosto deles" reuniram uns agentes da FUNAI e colocaram numa gaiola e os mantiveram em cativeiro por alguns dias. A ação deu resultado imediato, pois conseguiram atingir os objetivos.
    Agora, as notícias que chegam de lá não são boas. A saúde ficou por conta da Fundação Esperança e agora é a última que morre! A Prefeitura não está podendo dar nem adeus pros munduruku. O Estado "formou" uma turma de professorres indígenas recentemente, mas como prover as escolas de carteiras, livros, merenda escolar e, principalmente, de alunos? Estão morrendo muitos índios por lá: alguns devido a desastres rodoviários, outros de malária e vários de doenças comuns pra nós como desinteria, sarampo e gripe.
    Por isso a declaração do presidente da FUNAI, Mércio Pereira, de que a posição da Anistia Internacional sobre o tratamento dado aos indígenas era ação de má-fé, não reflete a corrente realidade. Talvez seja hora de "convidar" este senhor para conhecer como anda sendo usado o tratamento da FUNAI aos nossos anfitriões lá pelas bandas de Jacareacanga.

E colocá-lo numa gaiola até que seja dada maior atenção à saúde e educação.
Chega de basófia, FUNAI!

PESOS E MEDIDAS

Nos Estados Unidos se uma empresa comete um crime ambiental de proporções alarmantes, a Justiça Federal pune-a e aos seus dirigentes mais importantes com penas restririvas de direitos e compensatórias de trabalhos à população atingida (vide nota Mão Pesada).
No Brasil, devido a um vazamento de óleo provocado por ruptura de tubo, de responsabilidade da Petrobrás, o Supremo Tribunal Federal acolhendo a Ordem de Habeas Corpus 83.554-6 originada do Paraná, determinou o trancamento da ação penal movida em face da pessoa natural do ex-presidente da Petrobrás, entendendo que não se pode atribuir à pessoa jurídica e ao indivíduo os mesmos riscos, conforme decisão relatada pelo Ministro Gilmar Mendes, apesar da nossa legislação prever a punição. É bom ficar atento. Leia em O Eco, o artigo de Paulo Bessa.

9 de janeiro de 2006

SOBRE HIDRELÉTRICAS

O site ecodebate.com.br publica uma nota de Ramona Ordoñez onde o presidente da Eletrobrás se queixa de que as usinas em questão não saem porque os órgãos de proteção ambiental "parecem estar mais preocupados com o com o estresse de vagalumes, cobras e lagartos, do que em garantir que não falte energia elétrica na casa dos consumidores".
Também é publicada a resposta de Henrique Cortez, coordenador do Portal.
Mais lenha na discussão sobre o papel dos órgãos ambientais e as hidrelétricas.

MÃO PESADA OU O PÊSO DA LEI

Do blog português Ondas3 vem mais uma nota sobre a mão pesada quando não há atendimento as restrições legais. Mas aconteceu nos Estados Unidos. A Justiça federal aplicou uma multa elevada à empresa McWane Inc. e a 03 de seus diretores James Delk, Michael Devine, and Charles “Barry” Robison: cerca de 8 milhões de dólares, pena suspensa de 5 anos e centenas de horas trabalhos comunitários, por crimes ambientais em Birmingham, Alabama. Simplesmente despejaram resíduos de metais pesados na rede de esgotos. O crime teve a investigação de agentes especiais da EPA e do FBI.

GRIPE AVIÁRIA


Assistindo a um noticiário neste fim de semana, eu e meu enteado deparamos com uma nota sobre a gripe aviária. Ele, imediatamente arregalou os olhos e apurou os ouvidos para a nota. Como ele estará prestando exames para o vestibular neste fim de semana acredito que está faltando notícias nos blogs sobre isto. Como não sou especialista no assunto vão algumas perguntas sugeridas aos vestibulandos.
Afinal, o que causa a gripe? Qual é o virus que provoca? Qual a importancia para a ciência? Qual o efeito nos humanos?
Assim fiz uma pesquisa na net e sugiro os seguintes endereços para conhecer mais:

  1. Ambiente Brasil;
  2. Ministério da Saúde;
  3. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Boa sorte a todos (principalmente ao Yuri Takis)!

O VERMELHO E O NEGRO



Este é o titulo de uma das 19 obras imortais na literatura mundial. Trata da morte na guilhotina de um jovem seminarista que foi condenado pelo assassinato da ex-amante, na França, em fevereiro de 1828. Parece uma crônica, segundo alguns comentaristas literários, da França no século XIX. Eu acho que é a história de um homem amargurado pela impóssibilidade de amar apaixonadamente a uma mulher e a servir a Deus de forma celibatária.
Este título me levou a pensar na atual Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva e a sua obra à frente do Ministério.
Ela tenta fazer um trabalho de acordo com as orientações de sua crença no equilibrio desenvolvimento-natureza-homem, mas não consegue. Parece o jovem seminarista que após a paixão fulminante por uma mulher fogosa e bela, arrepende-se e mata o fogo de sua paixão.
Marina Silva apresenta ao Congresso Nacional um conjunto de leis sobre a gestão de florestas públicas, mas, ao mesmo tempo, faz propaganda da implantação de hidrelétricas na Amazônia. Não existe uma contradição muito grande em lutar pela preservação das florestas e permitir que se construa as hidrelétricas que "matam" centenas de árvores e diversos outros ecosistemas?
Com a palavra os especialistas sobre o assunto. Começo pelo artigo de Manoel Francisco Brito, publicado em O Eco.
Está na hora de promover discussões profundas e sábias sobre o assunto, sem partir para o "É proibido e pronto!" dos ambientalistas ou o "Pode fazer que eu garanto!" do Governo, afinal vem aí a promessa (não cumprida em 2006) da ministra Dilma Roussef: BELO MONTE!

DEFESA DE MONOGRAFIA


Hoje, pela manhã fui assistir a defesa da monografia do Curso de Especialização em Gestão de Sistemas de Saneamento da engenheira sanitarista Nereida Oliveira. Ela usou o tema "Gestão Ambiental do Município de Santarém: Gestão dos Resíduos Sólidos" onde discute a forma pela qual é efetuada a gestão dos resíduos e faz sugestão de como deveria ser o modelo. Por trabalhar na área de resíduos na Prefeitura de Santarém, a especializanda tem bons motivos para fazer o desenvolvimento do tema e apresentar aos seus superiores.
Aliás também tem um outro trabalho de Gestão Ambiental desenvolvido naquele município para o distrito de Alter do Chão, resultado do PROFIMA XI. Está na biblioteca do NUMA, na UFPa e vai ser motivo de leitura e referencia bibliográfica para a minha monografia. Depois eu comento.
A Banca Examinadora da especializanda Nereida Oliveira foi composta pelos Professores Paulo Norat (orientador), Lindenberg Fernandes e Valdívia Norat.