Geologia e Ambiental

31 de janeiro de 2007

NOTAS DE VIAGEM - 3

O PÔR DO SOL

Como pode uma imagem como esta, tão simples, ser tão contundente?
Quais sentimentos nos inspira ver o astro-rei parecer tão frágil sumindo no horizonte?
Será morte?
Será vida?

Amanhã ele renascerá tão imponente e poderoso como a vida!
E, no final do dia, seu ocaso demonstrará a morte!

Assim, o por do sol é morte e vida constante.

Post ofertado a todos os fotógrafos de meu universo
****************************************************************************************************************************
ATUALIZADO EM 02/Fevereiro/2007
Apesar de não parecer (e do Dudu mandar para outro autor), as fotografias (clicadas pelo celular em frente de Óbidos) e o post (escrito no Mascotão) é de minha autoria.

30 de janeiro de 2007

Discriminação Amazonense

Em Manaus, a discriminação contra os paraenses é ilimitada.
O jornal "A Crítica" publicou uma matéria onde mostra que a migração dos paraense é contínua e constante em busca de melhores condições de vida.
Dentro do CREA-AM uma funcionária tentou fazer uma "graça" quando pedi que fossem incluídos todos os 143 municípios paraenses no local que pede o endereço do residente/solicitante de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica).
Ela me perguntou o nome do município e eu disse: "Jacareacanga".
Ela retrucou: "Só podia ser no Pará".
Bom, daí...
Resumindo: aceitei o pedido de desculpas de seu chefe.

Notas de Viagem - 2

Um tripulante (que tomava conta do bar) do barco varre o salão e empurra o lixo, sem ceremônia, para dentro do rio. Papel, palitos de fósforos etc. caminham para o mesmo "latão de lixo" não disposto para tal fim. Todos olham e desviam a vista.
Comento a cena com um professor universitário e o mesmo me afirma que vai demorar muito para mostrar educação ambiental para nosso povo.
Era um amazonida trabalhando.

Notas de Viagem - 1

Num barco descendo o rio Amazonas (dia seguinte ao embarque), observando os vários tipos embarcados, notei um cidadão (internacional) que acabara de fumar um cigarro e levantara-se apagando-o em uma lata de cerveja vazia (apropriadamente disposta para tal fim em sua mesa) e depois depositava a "guiba" no cestão de lixo.
Era um irlandes passeando pela Amazônia.

26 de janeiro de 2007

Não Precisa Ter Medo...

Mas...

Homens submetidos a radioterapia e a tratamentos hormonais para câncer de próstata podem enfrentar um encurtamento no pênis, segundo um estudo publicado na revista científica Journal of Urology (para assinantes).

Pesquisadores turcos estudaram 47 homens que estavam recebendo tratamento. Dezoito meses depois, eles avaliaram os homens novamente e descobriram uma redução no tamanho médio do pênis esticado, de 14,2 centímetros para 8,6 centímetros.

Os homens, que tinham uma idade média de 68 anos, foram tratados com supressores de hormônio masculino e radioterapia para câncer de próstata, entre 2000 e 2005.

Os especialistas afirmam que os homens deveriam ser informados sobre os possíveis efeitos colaterais antes do tratamento.

Fonte: Estadão

Uma Ajuda para Parar de Fumar


Nada convencional e extremamente perigosa é esta maneira de parar de fumar:

Uma região do tamanho de uma moeda grande, localizada nas profundezas do cérebro e chamada ínsula, está intimamente ligada ao vício no tabaco, e danos a essa estrutura podem eliminar por completo a necessidade de fumar, descobriram cientistas. O trabalho que descreve a descoberta será publicado na edição desta sexta-feira da revista Science.


Segundo nota distribuída pela Associação Americana para o Progresso da Ciência (AAAS), que publica a revista, "obviamente provocar dano cerebral não é uma opção de tratamento para o vício em nicotina, mas os novos resultados poderão sugerir terapias para ajudar fumantes a se livrar do hábito, ou para acompanhar o progresso... nas terapias existentes".

O estudo foi inspirado pelo caso de um paciente que fumava cerca de 40 cigarros ao dia antes de ter a ínsula danificada num derrame, e que largou o hábito imediatamente depois. Ele disse aos cientistas que seu corpo havia "esquecido a ânsia de fumar".

A ínsula recebe informação de outras partes do corpo e, acredita-se, ajuda a traduzir esses sinais em sensações subjetivas, como fome, dor ou a necessidade de uma droga.

25 de janeiro de 2007

Mapas Temáticos da Amazônia

O IBGE e o MMA lançam mapas temáticos da Amazônia:mapas de divisão política; rede urbano-regional; fronteira agrícola; logística do território; fronteiras agropecuária e mineral na vegetação natural; tipologia da ocupação territorial; diversidade sociocultural; estrutura agrária e das fronteiras pecuária e madeireira, produzidos pelo instituto, subsidiaram elaboração do Mapa Integrado dos Zoneamentos Ecológico-Econômicos dos Estados da Amazônia Legal.
Todos estão sendo distribuídos pelo Ministério do Meio Ambiente e poderão ser acessados também na página do IBGE na Internet , no link Download Geociências.

Também pode ser vizualizado (o mapa) na página do G1.

TAXA ANUAL POR HECTARE

Atenção, minerador!

Se você tem área requerida junto ao DNPM, sua TAH (Taxa Anual por Hestare) vai vencer em 31 de janeiro de 2007.

O não pagamento enseja multa, nulidade ex-officio da autorização de pesquisa, inscrição do débito na Dívida Ativa, do devedor no CADIM e cobrança judicial, mediante ação de execução fiscal.

O titular inadimplente não poderá obter anuência prévia para a cessão/incorporação do título autorizativo, não poderá pleitear a concessão de Guia de Utilização, não obterá a prorrogação do prazo de validade da autorização de pesquisa e nem a aprovação do relatório final de pesquisa.

Dúvidas? Pode contactar conosco!

Acadêmicos no Governo? Nada há para se estranhar!

"A presença de acadêmicos em qualquer Governo não é garantia de sucesso a priori na condução de políticas públicas eficazes, nem muito menos condenação de seus resultados. Mas deveria ser motivo de orgulho, em princípio, para qualquer sociedade. Afinal, qual melhor critério para o mando que o esclarecimento e o mérito? – ou preferimos o parentesco? a carteirinha do partido? o apadrinhamento político ?"

Este é um trecho de artigo do reitor Alex Fiúza de Mello, onde o mesmo comenta sobre os acadêmicos nos governos.

No blog Quinta Emenda.

Meio Ambiente e PAC

A área ligada ao meio ambiente no governo venceu o primeiro round do PAC e projetos importantes para o setor elétrico -como a usina nuclear de Angra 3 e a criação de reservas para hidrelétricas- ficaram de fora do plano.
Questionado sobre por que Angra 3 não consta do plano, o ministro Silas Rondeau (Minas e Energia), respondeu: "Porque o plano só inclui o que nós vamos fazer". Depois, o ministro complementou. "É uma discussão que precisa ser feita com vários órgãos, que envolve a retomada do projeto nuclear, e essa discussão não está madura e deve ser retomada esse ano, para decidir se faz ou não faz."
O investimento para construir Angra 3 é estimado em US$ 1,7 bilhão. Pelo planejamento da estatal EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Angra 3 começaria a gerar 1.309 MW a partir do fim de 2012.
Outro projeto importante para o setor elétrico era a criação de reservas para a exploração de potenciais hidrelétricos. Seriam áreas a serem demarcadas pelo governo, reservadas para a construção de usinas. A maior parte dessas áreas está na Amazônia, em áreas de reserva indígena ou ambiental.

24 de janeiro de 2007

As Sem-razões do Amor

Prá que explicar? Para quem amo.
(C. Drummond de Andrade)

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Pensando Bem ...

Esta foi retirada do Blog da Mikas:

O compadre Manel emigrou para a América e deixou a comadre Maria no Alentejo, prometendo-lhe que se portaria bem.

Pouco tempo depois de ter chegado, recebe uma carta da Maria que dizia: “Quero ficar grávida, manda esperma pelo correio”.

Manel, pôs as mãos à obra e fez o que a mulher pediu. Pouco tempo depois Manel recebe uma carta dizendo: “Estou grávida”.

Dois anos depois a comadre volta a escrever fazendo o mesmo pedido. E isto repetiu-se em cinco oportunidades, durante 10 anos, a comadre Maria escrevia e o Manel mandava o esperma pelo correio.

Um dia o Manel, com o novo pedido de Maria, já aborrecido de tanto mandar esperma, além de já ter 5 filhos que tinha que manter desde a América, cansou-se desta história e resolveu a coisa de outra forma.

Misturou maizena, um pouco de clara de ovo e leite, mexeu muito bem e mandou à sua Maria.
Passadas três semanas, Maria escreveu confirmando: “Estou grávida”.

O compadre Manel pensativo exclamou:
"Foda-se…
Inventei o esperma"
!
!!

NOVO PADRÃO PARA ÁGUA MINERAL

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) elevou, de 20 para 58, o número de substâncias classificadas como contaminantes à água mineral brasileira.
Foram adicionados compostos orgânicos, componentes agrotóxicos e desinfetantes. A norma, estabelecida através da RDC 274/05, tem prazo de um ano para a adequação das empresas. Portanto, desde o final de 2006 os testes anuais, que devem ficar à disposição de autoridades e consumidores, já devem ser feitos sob os novos parâmetros.
Dentre as substâncias barradas pelo órgão, ligado ao Ministério da Saúde, estão o Cloreto de Vinila e o 1,2 Dicloroetano (orgânicas); o DDT e o BHC, presentes em pesticidas; e o Bromato e o Clorito, compostos de desinfetantes. Todas são cancerígenas, bem como boa parte do restante das incluídas.

A ESCULHAMBAÇÃO MINERAL

Este post está publicado no site Geologo.com.br:

"Reportagem da "Folha de São Paulo" da segunda-feira mostrou que a "corrida do ouro" nos municípios de Apuí e Novo Aripuanã, no sul do Amazonas, já atraiu dez mil pessoas para o lugar. No último fim de semana os garimpeiros criaram uma cooperativa extrativista mineral, e se preparam para pleitear autorização de lavra junto ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), que, junto com o governo do Amazonas, é quem pode autorizar a atividade.

Num misto de oportunismo e improviso, a Caixa Econômica Federal pretende instalar um posto na cidade, para comprar o ouro prospectado pela Cooperjuma (Cooperativa Extrativista Mineral Familiar do Juma), cujo nome faz referência ao rio onde o igarapé da Preciosa, local exato da atividade, deságua; o nome ainda traz a palavra "familiar", que nesse caso busca evocar uma mineração "familiar de subsistência" (a expressão causa calafrios na redação do Portal do Geólogo, visto que é, de certa forma, uma licença para uma exploração sem critérios da área).

Quanto à "terra de ninguém" que a região se transformou, há novidades: o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) estuda repassar as terras de exploração para o DNPM, depois que confirmou que o lavrador José Ferreira da Silva Filho, o Zé Capeta, que se apresentava aos garimpeiros como dono da área, inclusive cobrando de 8% a 10% de porcentagem pela extração de ouro, não é o proprietário da área. Capeta foi roubado na semana passada por um de seus seguranças, que evadiu com R$ 15 mil em dinheiro e 20 quilos de ouro".

O INCRA quer se livrar da responsabilidade. O DNPM não tem pessoal para organizar e fiscalizar a exploração mineral. O Estado não tem conhecimento de como autorizar a atividade e a CPRM (quem diria!) diz que não tem muito ouro, mas que não também não sabe precisar nada a respeito da ocorrência.

Talvez seja a hora de lançar um PAC de garimpagem.

23 de janeiro de 2007

O Rabo que Balança o Cachorro

A Polícia Militar do Amazonas enviou hoje 60 homens para reforçar o policiamento das cidades de Apuí, 453 quilômetros ao sul de Manaus, e do município vizinho, Novo Aripuanã, a 227 quilômetros de Manaus, as duas principais entradas para o garimpo do Rio Juma.

Desde a descoberta de ouro, há pouco mais de um mês, o local já recebeu mais de seis mil pessoas, vindas principalmente dos Estados do Pará, Mato Grosso e Rondônia, segundo dados da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS).

E os sonhadores vão chegando e transformando um lugar tranquilo em tumulto constante.

Sorte dos advogados que estão por lá, né Diego?

Da Visita do Vice à criação do CTPI-MIMA

A visita do vice-governador a Itaituba, onde foi conhecer (?) área de exploração mineral e povoados garimpeiros vem a me causar uma preocupação muito grande na forma como foi abordado o assunto pela imprensa do Oeste do Pará.

Levantaram o assunto como se fosse a salvação da pequena mineração e a exaltação dos grandes mineradores. Não é. Será se forem envolvidos os órgãos responsáveis por trabalho, saúde, economia, mineração, meio-ambiente e político. Por enquanto, somente este último está entrando em campo e batendo uma bola solitariamente.

Acredito que, se houver um interesse concreto do governo estadual poderá ser dado um passo gigantesco para melhorar as condições de trabalho condigno, montar infra-estrutura na saúde e levantar subsídios para que a exploração aurífera do Vale do Tapajós cresça com sustentabilidade humana, principalmente.

Quanto a criação do CTPI-MIMA, é um convênio firmado (dia 10/01/2007) entre o DNPM e o IBAMA "para avaliar, orientar e propor e monitorar a elaboração e a aplicação de atos normativos, instrumentos e procedimentos adotados pelo DNPM e pelo IBAMA, sempre buscando a convergência de interesses, assim como assessor aos dirigentes dessas instituições nas tomadas de decisões, de modo a solucionar os conflitos entre às gestões dos recursos minerais e dos recursos ambientais, no interesse público, social e econômico", conforme anuncia a Assessoria de Comunicação do DNPM. E quem quiser saber mais clique aqui.

22 de janeiro de 2007

Copiado do blog "Pelos Corredores do Planalto".


Academia Runner (SP) tinha um outdoor que dizia o seguinte:

"Neste verão, você quer ser sereia ou baleia?"



Uma mulher enviou a eles a sua resposta e distribuiu o seguinte e-mail por aí...


"Ontem vi um outdoor da Runner, com a foto de uma moça escultural de biquíni e a frase:


Neste verão, qual você quer ser? Sereia ou Baleia?


Respondo:


Baleias sempre estão cercadas de amigos.


Baleias têm vida sexual ativa, engravidam e têm filhotinhos fofos.


Baleias amamentam.


Baleias nadam por aí, cortando os mares e conhecendo lugares legais como as banquisas de gelo da Antártida e os recifes de coral da Polinésia.


Baleias têm amigos golfinhos.


Baleias comem camarão à beça.


Baleias esguicham água e brincam muito.


Baleias cantam muito bem e têm até CDs gravados.


Baleias são enormes e quase não têm predadores naturais.


Baleias são bem resolvidas, lindas e amadas.


Sereias????


Sereias não existem. Se existissem viveriam em crise existencial: Sou um peixe ou um ser humano?


Não têm filhos, pois matam os homens que se encantam com sua beleza...


São lindas mas tristes e sempre solitárias...


Runner, querida, prefiro ser baleia!"


====================


A Academia Runner retirou o outdoor.

Rondon Ressussitado

As três equipes da Unicamp que participam da versão 2007 do Projeto Rondon já se encontram em seus campos de atuação.
As duas ultimas partiram na sexta-feira (18) para Bom Jesus do Tocantins e Abel Figueiredo, no Pará.
No dia 13 já havia seguido para Atalaia do Norte, no Estado do Amazonas, outro grupo formado por estudantes e professores da Universidade.
O Rondon é organizado na Unicamp pela Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Preac).

Fonte: Portal Unicamp

PAC? PRÁ QUE SABER MAIS?

Do site G1, sobre o lançamento do PAC (Plano de Aceleração doCrescimento):

"O governo federal anunciou nesta segunda-feira (22) uma série de medidas para acelerar o crescimento econômico do país. A maior parte delas afeta o setor produtivo, ou seja, indústrias como a do aço, construção civil, computadores, energia e saneamento. Os efeitos do programa serão sentidos no longo prazo e ainda não se sabe quando ele de fato beneficiará o cidadão comum".

Afinal, quem vai sofrer ou se alegrar com este pacote? Quer saber um pouco mais como é este pacote clique aqui.

Posso Ajudar?

A notícia publicada em O Estado do Tapajós - SERRARIAS SEM CONTROLE DE POLUIÇÃO - e o "não é comigo é com a SECTAM" da Coordenadora do ISAM mostra como está o trabalho neste Instituto.

Aliás, trabalho? Que trabalho? Como exemplo, mesmo sabendo da sacanagem que fizeram (no governo anterior) com o Irurá, eles deixaram continuar aquela obra desnecessária e promíscua.

E as outras atitudes irracionais como o assoreamento dos igarapés, do Maicá, do Juá, destruição da Serra do Índio, etc. Quando o governo vai se mexer?

19 de janeiro de 2007

A AÇÃO DO DNPM NO GARIMPO DO JUMA

Esta manhã seguiram para o "Eldorado do Juma" - pomposo nome para designar mais uma ação de desobediência minerária - o geólogo José Fernando da Silva Lemos, o popular "Arraia" e o Walter Arcoverde, Diretor de Fiscalização para avaliar as consequencias deste garimpo.

Em breve haverá uma discussão mais específica sobre o tema.

FUNERAL BLUES

Uma situação. Poesia de W. H. AUDEN.

FUNERAL BLUES (1936)

Stop all the clocks, cut off the telephone,
Prevent the dog from barking with a juicy bone,
Silence the pianos and with muffled drum
Bring out the coffin,
let the mourners come.
Let aeroplanes circle moaning overhead
Scribbling on the sky the message
He Is Dead,
Put crêpe bows round the white necks of the public doves,
Let the traffic policemen wear black cotton gloves.
He was my North, my South, my East and West,
My working week and my Sunday rest,
My noon, my midnight, my talk, my song;
I thought that love would last for ever: I was wrong.
The stars are not wanted now: put out every one;
Pack up the moon and dismantle the sun;
Pour away the ocean and sweep up the wood;
For nothing now can ever come to any good.
BLUES FÚNEBRE
Parem todos os relógios,
desliguem o telefone,
Impeçam o cão de latir com um osso enorme,
Silenciem os pianos e ao som abafado dos tambores
Tragam o caixão,
deixem as carpideiras carpir suas dores.
Deixem os aviões aos círculos a gemer no céu
Rabiscando no ar a mensagem
Ele Morreu,
Ponham laços crepe nas pombas brancas da nação,
Deixem os sinaleiros usar luvas pretas de algodão.
Ele era o meu Norte,
meu Sul,
meu Este e Oeste,
Minha semana de trabalho,
meu Domingo de festa
Meu meio-dia, meia-noite,
minha conversa, minha canção;
Pensei que o amor ia durar para sempre: foi ilusão.
As estrelas já não são precisas: levem-nas uma a uma;
Desmantelem o sol e empacotem a lua;
Despejem o oceano e varram a floresta;
Porque agora já nada de bom me resta.

17 de janeiro de 2007

Uma esperança para Santarém

Com a notícia de que o Programa 'Água para Todos' é prioridade no governo de Ana Júlia, foi empossado em solenidade na noite desta segunda-feira (15), no auditório da Companhia de Saneamento do Pará, o novo presidente da Cosanpa, o engenheiro Eduardo Ribeiro, que entregou à governadora um plano emergencial de cem dias para a companhia.

Deveremos ficar atentos para saber se, dentro deste plano emergencial, consta algum benefício ao povo santareno, castigado por uma "estiagem" em suas torneiras há longo tempo.

O Incentivo à Desobediência Mineral

Os garimpeiros, no Pará, estão pressionando os Governo Federal e Estadual para a reabertura do garimpo de Serra Pelada.
Cobram as promessas de palanque.

No Amazonas, com a descoberta de um garimpo de ouro no rio Juma está ocorrendo uma corrida desenfreada em busca da fortuna fácil. Os órgãos de proteção ambiental e de mineração estão se mobilizando para "dar um basta" na situação.

Em ambos os casos, nem pensar em planejar, fazer, organizar e controlar a atividade predadora, mas simplesmente promover a criação de mais uma Reserva Garimpeira.

Os Resultados da BRAZAURO

Brazauro Resources anunciou os resultados dos primeiros nove furos de sondagem provenientes da sua propriedade em Sucuri, na região de Tapajós, estado do Pará, Brasil. Notícias incluem:
  • O furo de perfuração SUC 06-07 interceptou 1,63 g/t de ouro, aos 20,80 metros de profundidade. Aos 6,15 metros de profundidade apresentou 4,39 g/t de ouro.
  • O furo SUC 06-03, na profundidade de 6,20 metros, apresentou 6,04 g/t de ouro; aos 0,50 metros 67,32 g/t de ouro e finalmente aos 8,0 metros 3,22 g/t de ouro.

A nota completa (em inglês) pode ser lida aqui.

Onde Está Paulo Rocha...

Em Manaus!
Ontem à noite, convidado por meu irmão fomos degustar diversas carnes assadas de brasa na Confraria da Carne, na estrada do V 8.
Lá, de repente aparece Paulo "Mensalão" Rocha, o deputado federal paraense, com um grupo de sindicalistas amazonenses, para inicialmente tomar uma cachacinha e depois saborear carnes assadas de brasa.

Que estará fazendo Paulo Rocha nas terras amazonenses?

  • Opção A - Articulando a candidatura de Arlindo "PT-PMDB-PSDB- PSC-PL-PRONA-PTB" Chinaglia?
  • Opção B - Bobeando pelas terras amazonenses?
  • Opção C - Cabulando votos para Aldo Rebelo, porque o PT paraense não lhe deu nenhum cargo no Governo?
  • Opção D - Divulgando normas para um futuro mensalão?
  • Opção N - Nenhuma dessas.

15 de janeiro de 2007

OS PEIXES DA SEMANA SANTA

Nota publicada hoje no Repórter Diário (Diário do Pará):

"A Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca (Seap) pretende repetir este ano na Semana Santa a estratégia de colocar caminhões em vários pontos da cidade com tanques de peixe para serem comercializados a preço popular. Em 2006, o preço oscilou entre R$ 1,20 a R$ 1,50 e essa média deve se manter este ano. A principal espécie a ser comercializada deverá ser a piramutaba".

E como perguntar não ofende, também gostaria de saber se vai haver alguma estratégia especial para outros municípios (Santarém, Ananindeua, Itaituba, Altamira, Marabá, entre outras) para baixar os preços das espécies mais naturais aos locais citados?

Ou será que a nova secretária vai trabalhar só por Belém?

O NOVO ELDORADO NO AMAZONAS

Ainda não foi decidido, pelas autoridades ambientais e minerárias do estado e da União, sobre o modelo que será executado para que as áreas garimpeiras do rio Juma sejam regularizadas.
Estima-se que 5.000 pessoas já estejam trabalhando no local.
O DNPM já publicou uma portaria proibindo que sejam efetivados os requerimentos de pesquisa ou Plano de Lavra Garimpeira numa área de 390 hectares.
Leia mais sobre esta notícia aqui, aqui e aqui.

12 de janeiro de 2007

AMAZÔNIA ILEGAL

No tempo em que você levará para ler esta reportagem, uma área de floresta equivalente a 150 campos de futebol terá desaparecido. As forças do mercado globalizado estão invadindo a Amazônia, acelerando a destruição. Nas últimas três décadas, contam-se às centenas as pessoas que morreram em conflitos por terras; um número incontável de outras vive sob o império do medo e da incerteza, com as vidas ameaçadas. Nessa fronteira agrícola sem lei e dominada por armas, motosserras e tratores, os funcionários e agentes do governo podem ser corruptos e ineficazes ou então mal equipados e desprovidos de recursos. Agora, produtores de soja estão se juntando aos madeireiros e aos criadores de gado, intensificando o desmatamento e fragmentando ainda mais a imensa floresta tropical do Brasil.

Assim começa um artigo de Scott Wallace, em matéria originalmente publicada na revista National Geographic, Edição 82, de 01/01/2007, que conta uma história sobre a grilagem, traça um paralelo entre a abertura de estradas federais, a devastação florestal e a miséria que assola a região.

Vale a pena ler aqui.

Sobre Garimpos e Passeios...

"Trinta representantes de órgãos federais e estaduais visitarão hoje o garimpo clandestino descoberto numa área do rio Juma, entre Apuí e Novo Aripuanã, ao sul do Amazonas, para analisar soluções à atividade ilegal".

Assim se refere o Diário do Amazonas ao passeio turístico que estes reunidos vão realizar hoje, na área que está sendo garimpada no Amazonas.

Independente da quantidade de pessoas trabalhando no local este garimpo deveria seguir as regras ambientais e minerais, imediatamente.

Pelo andar da carruagem vai ser outra corrida, como foi à Serra Pelada e ao Vale do Tapajós. Deve ser, sim, criado mecanismos para evitar a explosão de garimpos na Amazônia. A atividade não é ilegal, mas ilícita.

Em Manaus como em Belém...


Neste momento acaba de acontecer (talvez para saudar os doutores da UFPa que estão visitando a cidade) mais um toró das três da tarde tão comum na Cidade das Mangueiras.

Chove, chuva.

Chove sem parar...

PARA QUEM NÃO TEM MEDO DO AMAZONAS...

Estão abertas, até o dia 16 de fevereiro de 2007, inscrições para Curso de Mestrado em Geociências, nas áreas de concentração em Geologia Regional e Geologia Ambiental. Os interessados podem efetuar inscrição na coordenação do programa, localizado no Bloco 1, sala 24, setor sul do Campus Universitário, até o dia 16 de fevereiro de 2007.

O departamento de Geociências do Instituto de Ciências Exatas da UFAM e o Centro de Geociências da Universidade Federal do Pará - UFPA, realizam, nos dias 12 e 13 de janeiro, no horário da manhã e tarde "Workshop Final do Casadinho DEGEO-Ufam/CG-UFPA". O evento objetiva avaliar os resultados do Projeto CNPq/Casadinho e estreitar e ampliar as relações entre as duas instituições consolidando o programa da UFAM, já credenciado pela CAPES.

Outras informações sobre o processo seletivo podem ser obtidas com o coordenador do programa, Prof. Dr. Cláudio Augusto Milliotti, pelo e-mail: ppggeo@ufam.edu.br ou pelo telefone (092) 3647-4026.

ANIVERSÁRIOS

O aniversário de Belém, comemorado hoje, coincide com a data do quinquagésimo quinto aniversário do geólogo e economiário José Roberto Menezes Carmona.

Se depender de sua cara-metade sansei, no mínimo vai ter sushi e saquê.

Da parte dele muita cerveja e amigos.

Pena eu não estar por lá.

EM MANAUS...

Para concluir minha monografia (espero) e apresentá-la vim atrás de meu orientador.

Aqui já descobri mais um jornal na cidade DIÁRIO DO AMAZONAS e já está linkado nos Jornais da Amazônia.

11 de janeiro de 2007

Na prefeitura...

Hoje no prédio da Prefeitura Municipal era reunião prá todos os lados.
Será que cai alguém? Ou entra alguém?
O guru, do lado de fora, disse que não vai haver mudanças. Continua tudo como antes neste quartel.
O secretário de Planejamento viaja prá Belém.
Então...

PS: Encontrei o Dudu Dourado, num carro vermelho como o PT. Será que é êle?

10 de janeiro de 2007

UM NOVO IDEPA

Para produzir análises aprofundadas da realidade paraense para que, com base nelas, o governo do Estado possa gerar o desenvolvimento responsável e sustentável do Pará. Esta é a principal função do Instituto de Desenvolvimento do Pará (Idepa) que será criado pelo Governo do Estado a partir da instalação de um comitê encarregado de elaborar o projeto de implantação do instituto. O comitê foi instalado na noite desta quarta-feira (10), no Sistema Integrado de Governo (SIG).
Compõem o comitê, os secretários Cláudio Puty (Secretaria de Governo), Carlos Guedes (Secretaria de Planejamento), Maurílio Monteiro (Ciência e Tecnologia), Edílson de Souza (Banpará) e, ainda, um representante da Agência Estadual de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Pará (Arcon).
Neste primeiro momento, o comitê vai trabalhar para enviar, até o dia 20 de janeiro, à Assembléia Legislativa, o projeto de Lei que cria o instituto. Sendo aprovado o projeto, o comitê passa a reunir para a construção técnica do Idepa. Nessa etapa, o comitê irá ouvir diversos atores sociais e ainda elaborar os estatutos do novo órgão.

Meio Ambiente x Cultura

Um projeto de lei, já aprovado pelo Senado e que está na Comissão de Tributação e Finanças da Câmara, prevê a possibilidade de empresas doarem recursos para projetos ambientais e descontá-los do Imposto de Renda devido.
A proposta é apoiada pelo Ministério do Meio Ambiente - que chegou a discutir uma lei igual com a equipe econômica - mas desagrada ao Ministério da Fazenda.
O projeto, que está sendo chamado de imposto de renda ecológico, também deve provocar outra briga com a Cultura, como aconteceu recentemente no caso da lei que criava incentivos fiscais para o Esporte. Isso porque ele prevê usar para o Meio Ambiente parte dos recursos da Lei Rouanet que os projetos culturais não conseguem utilizar.

Fonte: Ecodebate

No Pará...


Copiado do Diário do Pará

9 de janeiro de 2007

AS MAZELAS DO PODER INCONSCIENTE

O geólogo Alvaro Rodrigues dos Santos, consultor em Geologia de Engenharia, Geotecnia e Meio Ambiente analisa os fatores de risco provenientes de enchentes, chuvas e sobre o descaso do poder público neste artigo, que começa assim:

"Particularmente à época das chuvas mais intensas, quando então todos os problemas de risco se agudizam, o noticiário jornalístico é pródigo no anúncio de tragédias familiares e mortes por soterramentos, situações sempre vinculadas a escorregamentos em encostas de alta declividade ocupadas habitacionalmente nas zonas periféricas de nossas grandes e médias cidades. Rio, Belo Horizonte, Ouro Preto, São Paulo, Salvador, Recife, Campos do Jordão, Santos, Petrópolis, Ubatuba (como essas últimas, também todas as outras cidades do litoral sudeste brasileiro que tangem os flancos da Serra do Mar e outras regiões serranas tropicais) compõem parte do grande elenco de municípios brasileiros onde esses trágicos eventos são francamente recorrentes. Para uma mais acurada compreensão do problema e para o correto equacionamento de sua solução, é indispensável considerar separadamente dois aspectos fundamentais, mas bem diversos, dessa questão; o fator técnico e o fator político-social-econômico".

Podem degustar.

A Legalização do Ilícito

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) vai investigar o garimpo ilegal de ouro em atividade desde novembro em terras tituladas de um assentamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no município de Novo Aripuanã (a 227 quilômetros ao sul de Manaus). As informações são da Agência Estado.

A descoberta do garimpo, que vem sendo chamado de ‘novo eldorado da Amazônia’, inchou a população da cidade de Apuí (455 quilômetros ao sul da capital), que dá acesso à lavra na margem esquerda do rio Juma, em trajeto de 70 quilômetros. São cerca de 2.000 homens trabalhando no meio da selva (a população de Apuí é de 18.790 pessoas).

O objetivo da Abin é colher informações para que o governo possa ordenar a exploração da lavra. Estão no local trabalhadores rurais, pastores evangélicos, beneficiados do Bolsa Família e até vereadores de Apuí. Também serão levantados impactos ambientais e sociais do garimpo.

Alter do Chão...

Passear em Alter do Chão será sempre uma surprêsa. Às vezes desagradável e em outras ocasiões encontramos situações empolgantes. Vejamos algumas:
  • Almoçamos no Tribal. Simples e gostosa.
  • Perto do local onde é realizada a apresentação do Sairé estão espalhados as carcaças das alegorias, como se fosse um enorme lixão.
  • O terminal de passageiros de ônibus tem um banheiro público que se paga prá usar. A chave fica com o dono da cantina.
  • Os banheiros públicos da recém construída orla não estão disponíveis para uso. Tem que ir no restaurante em frente e ficar à vontade. Aliás, hoje tinha um tatuzão esvaziando a fossa.
  • As praias estã relativamente limpas e os catraieiros coçando pela falta de público. Também pelo preço que cobram, a maioria prefere encarar um exercício de natação.
  • Os preços estão "de matar". Não tem futuro desta maneira. Os praianos tem que levar sua bebida e só ir prá praia depois de "encher o bucho" em casa.

E depois, quando se quer voltar prá casa enfreta-se filas imensas para os ônibus.

Mas que vale a pena, vale. E muito!

7 de janeiro de 2007

CRUELDADE ANIMAL

Neste sábado, na Cidade Nova, dois cães da raça pitbull massacraram um burro em plena avenida.
Os animais-assassinos se soltaram do seu "tratador" e avançaram em direção ao burro destroçando-o em poucos segundo. Depois fugiram. A população, ensandecida invadiu a residência do dono e matou um dos cães.
Também, no mesmo dia, assaltantes invadiram uma residência no PAAR assaltaram e aterrorizaram os moradores. Todos os vizinhos, às 13:00 horas, ainda mantinham suas casas fechadas e avisavam que os meliantes estavam por perto.
Isto é a segurança atual.
O rei está morto; a rainha foi posta!
O estado continua paralisado.

Ah! O Interior...

Começou, de novo, o ano novo.
Blog a passos de tartaruga.
Viagens pela mata.
Natureza à vista.
Meio ambiente a beira da destruição.
Dívidas aumentando.
Cabelos diminuindo.
Ouro? Quem sabe...
Vida? Melhorando...

CONCURSOS PÚBLICOS MUNICIPAIS

Ano passado foram realizados pelas prefeituras de Aveiro e Jacareacanga os concursos públicos para cumprimento da legislação trabalhista.
Este ano a de Itaituba vai realizar também.
Um porém: o preenchimento de vagas para o nível superior não será alcançada. Médicos (em primeiro plano), engenheiros, agrônomos, geólogos nem se inscreveram. E o motivo é simples: salário baixo.
Dos aprovados em Jacareacanga, o bioquimico já foi embora. A assistente social também. E assim por diante. Melhor para o prefeito, Carlinhos da Cerpa e sua troupe, pois não precisarão contratar ninguém que tenha mais instrução e conhecimento que eles.

RESTOS ...

O novo governo estadual vai tornar-se refém das operações tucanas de restos a pagar.
Se empurrar com a barriga os pagamentos para fazê-las no decorrer do ano poderá ser alcunhada de caloteira.
Se pagar vai concordar com este nefasto modo de fazer obras no estado e "legalizar" o calote governamental daqui prá diante.
Ô dúvida!

6 de janeiro de 2007

ITAITUBA

A briga por indicações a cargos na Cidade Pepita tá deixando em polvorosa os dirigentes locais do PT e do PMDB. É tanta gente que é vermelho desde criancinha e jaderista por convicção que não vai sobrar vaga prá ninguém.
A tal da "porteira fechada" por indicações não dá trégua aos auto-indicados e aos indicantes.
Enquanto isso, o prefeito Roselito vai ter que arrumar vagas pros "cúmplices" do Almir ou suas pretensões políticas locais vão desaguar no leito do PMDB e do PT.

RODADA

Informa-me fonte petista que tem "nego" do partido desesperado com a situação atual: uns não conseguem emplacar suas indicações, outros sequer são ouvidos pela turma do comando do Governo e outros ainda desesperam-se em ver adversários partidários subindo a escadaria e eles ficando parados.
Uns foram pra Brasília reclamar ao poder central. Outros estão reunindo por aqui e planejando contra-ataques vermelhos.
Tá ficando vermelha a situação!

5 de janeiro de 2007

Música para a Amazônia

A música clássica de João Carlos Martins se juntará aos esforços pela preservação da floresta amazônica, no próximo sábado (6), quando o pianista e maestro se apresentará no Carnegie Hall, em Nova York, com a Orquestra Bachiana de Câmara, dando início ao projeto Amazon Forever (Amazônia para Sempre).
O concerto tem como finalidade mobilizar os norte-americanos para a questão amazônica e reunir potenciais doadores e financiadores para o Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

4 de janeiro de 2007

CRATERAS ...

O Paraná ganhou um novo destino turístico, ao lado das Cataratas do Iguaçu, do Parque de Vila Velha e da Unidade de Conservação da Ilha do Mel: uma cratera de quase 10 quilômetros, formada pelo impacto de um meteoro há até 120 milhões de anos. (O Estadão)

O Pará ganhou uma cratera produzida por anos e anos do tucanato. Estima-se que o rombo causado atinja os 110 milhões de reais. Em menos tempo que o meteoro e, muito, mas muito maior que a cratera produzida pelo mesmo.

Conclusão: O Pará do tucanato sabe produzir meteoros melhor que o espaço! Vamos esperar que o Governo do PT saiba explorar este "acontecimento".

Para os que Acreditam...


A Sugestão do dia (ou da noite) vai para aqueles que se guiam pelo horóscopo.
O site Cigano.net disponibiliza os mais diversos tipos de crendices para seus simpatizantes.

Para o pessoal que acabou de entrar (ou ainda pretende uma vaguinha) no Governo atual recomento Horóspoco Oficina da Alma, pelo trabalhão que vão ter prá consertar as "cagadas" do Simão e sua troupe.

Para quem pretende um grande amor na equipe governamental a recomendação é o Horóscopo da Lua. Quem sabe ela não cai na sua cabeça. Ou você não sobe de uma vez.

E por aí afora. Vá tentando que se consegue.

É Ouro!

A BrazMin anunciou encorajamento nos resultados da análise do ouro de um próximo 4 furos de sondagem de diamante no projeto São Jorge, localizado no estado do Pará, Brasil.
Os destaques recentes do resultados da perfuração inclui:
  • 10.12 m classificando 4.18 g/t Au (de 114.77m) em um furo SJD-027-05;
  • 17.64 m classificando 4.32 g/t Au (de 255.20 m) em um furo SJD-028-05;
  • e 8.00 m classificando 2.49 g/t Au (de 29.00 m) em um furo SJD-021-05.

Essas perfurações são parte de uma recente programa de perfuração – fase 1 de um total de 48 perfurações totalizando 10.104 metros.

A análise dos resultados dependem de várias perfurações.

Integração Técnica e Tecnológica

O Museu Paraense Emílio Goeldi (Mpeg) e o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) deram um passo importante para o monitoramento e a preservação da biodiversidade na Amazônia. As duas instituições, vinculadas ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), integraram suas bases de dados científicos sobre o bioma que ocupa quase a metade do território nacional.
O novo ambiente on-line interliga os sistemas computacionais da Rede CT Petro Amazônia e do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio-Amazônia), realizados em parceria pelas duas instituições. Todo o material gerado pelos dois projetos está disponível para consulta pública pela internet. Novas informações poderão ser inseridas em tempo real a partir de agora.
“Criamos uma política para gerenciar todos os mecanismos de acesso e armazenamento das informações, de maneira a garantir a perenidade do conteúdo disponível nos dois bancos de dados”, disse Laurindo Campos, responsável pela implementação da plataforma, à Agência FAPESP. Campos é chefe do Núcleo de Biogeoinformática do PPBio-Amazônia, no Inpa, e membro da Comissão Mista de Informática da Rede CT Petro.
Segundo Campos, essa política tem como base o enriquecimento dos dados a partir da coleta, tratamento e classificação das informações para o gerenciamento on-line dos resultados de pesquisas científicas. “A intenção é permitir que o conhecimento gerado pelos dados tratados chegue rapidamente aos mais variados níveis de consumo público, dos jovens estudantes aos especialistas”, afirma.
A estrutura da plataforma é composta de áreas públicas abertas a todos os interessados nas pesquisas e áreas fechadas restritas aos servidores dos dois projetos.
A Rede CT Petro Amazônia reúne instituições de ensino superior e de pesquisa da Amazônia e tem o objetivo de desenvolver tecnologias voltadas para a recuperação de áreas degradadas na floresta resultantes da exploração de recursos minerais, como o petróleo e o gás natural.
O PPBio Amazônia desenvolve ações de pesquisa voltadas para políticas de conservação e uso sustentável da biodiversidade na região, por meio da manutenção de acervos e coleções biológicas e inventário de espécies vegetais e animais. Segurança e redução de custos
Laurindo Campos conta que o trabalho de integração dos bancos de dados resultou na implantação de um ambiente computacional flexível e seguro. No caso de falhas de comunicação, uma das instituições parceiras assume o controle dos sistemas para que não ocorra perda de informações. Os dados são automaticamente sincronizados após o restabelecimento da conexão.
“Com a replicação automática dos dados produzidos, os pesquisadores terão acesso integral às informações, sem que os demais usuários saibam que o sistema esteve fora do ar”, explica.
Além do aumento da capacidade técnica dos dois projetos, com a união dos esforços em termos de recursos humanos em informática, a redução de custos também é uma das vantagens do projeto de integração. “A partir de agora, os recursos para a execução de novas soluções tecnológicas para a base de dados serão divididos entre as instituições parceiras”, prevê Campos.
Segundo o chefe do Núcleo de Biogeoinformática do PPBio Amazônia, a base de dados evitará a duplicação de trabalho, uma vez que os cientistas poderão consultar resultados de outras pesquisas em suas áreas antes de iniciar novos experimentos.
Projetos similares de outras instituições de ensino e pesquisa da Amazônia que produzam dados sobre a região também poderão participar da iniciativa. Nesse caso, os técnicos do Inpa e do Mpeg ficarão responsáveis pela instalação de toda a infra-estrutura computacional e treinamento dos técnicos, enquanto as instituições assumem a gestão dos dados inseridos.
“Como já definimos um sistema padrão, outras entidades poderão fazer parte. Desse modo, poderemos criar uma malha de dados única que não se perca com o tempo por estar disponível em servidores de diferentes instituições da Amazônia”, disse Campos. “A próxima instituição parceira deverá ser o Iepa [Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá].”
Mais informações: http://ppbio.inpa.gov.br ou http://projetos.inpa.gov.br/ctpetro.

É Caso de Polícia ou de Política?

Agressões a cidadãos, às instituições, aos médicos plantonistas.
Convênios fraudulentos, ilícitos e ilegais.
Polícia à disposição de cidadão delituoso.
Este é um breve resumo das atividades do Grupo ORM.

E agora, Governadora?
Vai acordar ou deixar o sonho continuar por mais algum tempo?
Não pode fazer como o Presidente Lula, que se tornou refém das eleições do Congresso Nacional para decidir sobre as ações do Executivo e quem vai comandar o que.

Receita Prá Mais Um Dia Qualquer ...

Esta resposta recebi via email.

RECEITA DE ANO NOVO

(Carlos Drummond de Andrade)

Para você ganhar belíssimo Ano Novo...
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na Gaveta.
Não precisa chorar de arrependimento
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de Janeiro
as coisas mudem
e seja claridade,
recompensa, justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e
gosto de pão matinal, direitos respeitados,
começando pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano-novo

que mereça este nome,
você, meu caro,
tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo.

Eu sei que não é fácil
mas tente,
experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Comentário pós:
Bem feito prá mim. Quem mandou me meter com os leitores de poesia do Drummond!

3 de janeiro de 2007

Como você se vê?

Com o ano começando, a revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas) escolheu um tema que vem a calhar: prever o futuro.
Os autores do estudo empregaram técnicas de imagem para identificar regiões no cérebro envolvidas com a capacidade de planejar eventos futuros. Segundo eles, diversas pesquisas foram feitas a respeito dessa atividade, mas poucos dados existem a respeito das áreas cerebrais ligadas ao processo.
Os pesquisadores mediram as atividades cerebrais de voluntários enquanto realizavam vários tipos de exercícios mentais, como lembrar episódios passados ou imaginar acontecimentos futuros envolvendo o próprio participante ou algum familiar (por exemplo, o que poderá ocorrer no próximo aniversário).

Ficou interessado? Então, o artigo Neural substrates of envisioning the future, de Karl Szpunar, Jason Watson e Kathleen McDermott, pode ser lido por assinantes no site da Pnas, em www.pnas.org.

Sobre fadas e duendes ...

O Diário Oficial da União traz publicada, nesta terça-feira (02), resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) que define limites máximos para a emissão de poluentes por equipamentos, instalações ou processos de produção fixados em lugar específico, chamados fontes fixas.
A resolução estabelece uma base de referência nacional nas emissões de poluentes atmosféricos, como óxidos de nitrogênio, óxidos de enxofre, monóxido de carbono e material particulado.
Além disso, instrumentaliza os órgãos ambientais para aprimorar o controle desse tipo de poluição. A proposta permite compatibilizar desenvolvimento econômico-social com preservação do meio ambiente, do equilíbrio ecológico e da saúde humana.

Mais detalhes no site Envolverde.

2 de janeiro de 2007

Sobre os Compromissos da Governadora...

É claro que esperar que tudo isto aconteça imediatamente é irreal.
A Governadora vai ter que contar, para que médicos permaneçam nos municípios distantes e de acesso difícil com pagamentos diretamente aos mesmos. Hoje, nestes municípios (tipo atual Jacareacanga) o atrazo salarial ao funcionalismo supera os 90 dias fácil, fácil.
O ensino é um problema seríssimo. Inicialmente deveria provocar os prefeitos para que eles paguem aos professores um salário compatível. Exemplo (do atual Jacareacanga, claro): o coveiro ganha mais que um professor com 100 horas! Quem vai aprender alguma coisa neste município?
Hoje, numa fila na farmácia ouvi de um cliente que "este governo quer dar uma de Robin Hood, tipo tirar dos pobres ricos para dar aos mais pobres". A réplica foi ime0diata: "Que tal deixar acontecer? Neste novo governo ainda não se sabe muito, mas do que saiu sim pois tiravam dos pobres para dar aos ricos". Então é melhor esperar para criticar.
Combater a criminalidade. Só não pensem no "sistema Santino", pelamordedeus! O que vier para preservar a segurança do pobre mortal (literalmente) É LUCRO.

Os outros compromissos iremos comentando durante a semana.

Para Ficar Atento...

Os 13 compromissos de Ana Júlia para fazer um governo para todos
  1. Apoiar financeiramente os municípios a garantir os médicos nas localidades; construir unidades básicas de saúde nos municípios mais carentes, construir mais três hospitais regionais e concluir os hospitais inacabados da gestão anterior, fortalecendo o Sistema Único de Saúde;
  2. Universalizar o ensino médio com qualidade, apoiar os municípios na efetivação do FUNDEB; participar das iniciativas de educação popular existentes nas áreas rurais e urbanas; e dotar a UEPA de cursos voltados aos desafios sócio-ambientais da Amazônia paraense, proporcionando apoio financeiro aos alunos e professores em diferentes áreas do conhecimento, para desenvolver trabalhos junto às comunidades carentes do interior do Estado;
  3. Distribuir a riqueza, combater a fome, a pobreza e o desemprego no Pará, atuando conjuntamente com o Governo Federal para ampliar os investimentos na constituição da rede estadual de proteção social e da rede estadual pelo trabalho e emprego, fortalecendo o Fundo Estadual de Combate à Pobreza, que garantirá complementação financeira para os programas sociais federais, como o Bolsa Família, e incentivar ações de geração de renda, inserção no mercado de trabalho e economia solidária;
  4. Combater a criminalidade com a abertura imediata de concurso público para policiais; ampliar os recursos para segurança pública; criar a política estadual dos direitos humanos; fortalecer a Defensoria Pública e combater as violências praticadas no Pará, como a violência no campo, a exploração sexual e infantil e o trabalho escravo;
  5. Criar o programa "Caminhos da Parceria", utilizando recursos da CIDE, em que o Governo do Estado apoiará os municípios na recuperação, conservação e manutenção das estradas vicinais e alimentadoras, de responsabilidade dos municípios, e garantir a universalização da energia no Estado do Pará, em parceria com o Governo Federal;
  6. Criar o programa de apoio às cidades, articulando as questões da reforma urbana, habitação popular, saneamento e transporte, auxiliando os municípios na efetivação dos seus respectivos planos diretores de desenvolvimento;
  7. Combater o desmatamento ilegal; implementar efetivamente o Zoneamento Ecológico-Econômico do Estado e investir no conhecimento e na inovação tecnológica para garantir a exploração sustentável da floresta, dos solos e dos rios do Pará;
  8. Criar os programas estaduais de apoio à agricultura familiar e às populações tradicionais como indígenas, quilombolas e ribeirinhos - reformulando a proposta do programa a ser financiado pelo Banco Mundial - e de apoio à reforma agrária, combatendo a grilagem de terras com legalização das terras públicas estaduais e apoiando os assentamentos existentes no Estado, em harmonia com Governo Federal e municípios;
  9. Defender a economia paraense contra a guerra fiscal e aplicar uma política de incentivos transparente e direcionada aos arranjos produtivos locais e ao turismo, além de garantir um sistema eficiente de sanidade animal e vegetal;
  10. Articular a integração dos pólos minerários do Estado com a economia regional, aumentando as sinergias entre os empreendimentos e fornecedores locais, e contribuindo em iniciativas de apoio ao desenvolvimento local e à parceria público-privada pela responsabilidade sócio-ambiental;
  11. Descentralizar as políticas culturais; incentivar a cultura popular e criar políticas direcionadas para as mulheres, voltadas às gerações (idosos, infância e juventude), portadores de necessidades especiais, diversidade sexual e de igualdade étnica e racial;
  12. Implantar o Orçamento Participativo estadual; valorizar os servidores estaduais na implantação das políticas públicas; descentralizar a gestão e criar as Secretarias Regionais de Governo, com o papel de coordenar as ações do governo estadual em âmbito regional e garantir o controle social e o diálogo permanente com as populações locais;
  13. Construir uma relação respeitosa e de trabalho permanente com o governo federal, poderes legislativo e judiciário estadual, municípios, movimentos sociais e setores da sociedade civil organizada; criar a “Agenda da Governança participativa e do desenvolvimento”, que garantirá o diálogo permanente da Governadora com os diferentes setores da sociedade e presente nas regiões.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do Governo do Estado

Vermelhou ...


O Pará está vermelho!
Não só porque o PT, através de Ana Júlia assume o governo estadual.
Também, vermelho de vergonha pela atitude contada por prestadores de serviço da Granja onde Almir morava, de favor!
Contaram que, na sua mudança, ele deixou o local pelado.
Alegou que tudo o que lá existia era dele. Até as cadeiras velhas levou embora.
Vergonhsa atitude de um ex-chefe de estado, ex-chefe das hostes do PSDB e patrocinador de macro-escândalos no estado.
Que saída!