Geologia e Ambiental

30 de novembro de 2005

PROBLEMAS INSOLÚVEIS DA NET.

Juro que não fui eu!!!
De repente o blog virou uma maluquice total.
Postei de uma forma (acho) e quando fui republicar para ver as alterações 'tava tudo de cabeça pra baixo.
'Tá bom, se quer assim, assim vai ficar.
Não vou brigar com a minha extrema paciencia na net pra voltar ao que era antes.
Aliás, sumiu até as indicações de blogs interessantes, de sites legais.
Vamos ver se a net ajuda por si própria, por que por mim ...

28 de novembro de 2005

COMEÇO RUIM?

Eco.net informa:
28.11.2005
A reunião da ONU esta semana em Montreal, no Canadá, onde será discutido um novo acordo entre países para redução da emissão de poluentes na atmosfera, corre o risco de dar em nada. O governo anfitrião, a cargo do qual estava a missão de liderar as conversas, está em crise e pode cair nesta segunda-feira. O primeiro-ministro canadense, Paul Martin, vai passar por um voto de desconfiança no Parlamento. E nem sua ministra do Meio Ambiente, Stephane Dion, acredita que ele sobreviva. A reportagem do The New York Times explica que o encontro vai começar a definir as metas de produção de gases que provocam o efeito estufa a partir de 2012, quando termina o acordo feito em torno do Protocolo de Kyoto.

SABOR AGRIDOCE DO PRÊMIO

Ao receber, nesta sexta-feira, 25, o Prêmio Ford de Conservação Ambiental, Miriam Prochnow poderia sentir um sabor meio doce meio amargo. A premiação coincide com a elevação das águas no reservatório da usina hidrelétrica de Barra Grande.
Ela lutou muito para que não se implantasse a Usina, mas perdeu a luta ambiental e ganhou o Prêmio Ford de Conservação Ambiental.

WORKSHOP DO CAMPUS FLUTUANTE

28/11/2005

Iniciou hoje às 9:00 horas o I Workshop do Campus Flutuante, que discute os aspectos históricos e geo-bio-culturais da Ilha de Marajó. Mais uma promoção da Universidade Federal do Pará (UFPa) através do Núcleo de Meio Ambiente (NUMA), que pretende discutir e colocar em prática os estudos regionais nas áreas geográficas, biológicas e culturais do Marajó.
Vale a pena assistir e participar.

27 de novembro de 2005

NOVOS LINKS

Sempre procurando dar maiores opções de conhecimento específico em áreas de nosso interesse, estou disponibilizando no blog os acessos a informações do INPE. Os links estão à disposição dos blogueiros e sao os seguintes:
  1. Clima
  2. Previsão de Tempo
  3. Imagens de Satélite
  4. Energia

Como Você Enfrenta os Bloqueios às suas Idéias?

Mais uma colaboração do colega Paulo Kley (gestoramazon_1@yahoo.com.br), especializando em Gestão Ambiental e Administrador de Empresas:

Já morou em outros países, trabalhou em empresas muito importantes, quase sempre multinacionais, o que lhe deu uma experiência muito vasta apesar de seus poucos 29 anos.
Pedro é muito criativo. Pensa diferente. Por onde passou deixou grandes idéias e resultados positivos. Sempre consegue vislumbrar alternativas que poucos ou nenhum parceiro ou chefe conseguem enxergar.
Pedro atualmente está trabalhando numa empresa que, apesar de ser medianamente lucrativa, tem grandes oportunidades de crescer mas não o faz porque está sendo gerida por executivos acomodados adeptos da teoria de que em time que está ganhando não se mexe.
Apesar de lucrativa, esta empresa vem recebendo constantes ataques da concorrência, cada vez mais agressiva.
Em uma reunião de Diretoria, Pedro apresentou uma idéia para bloquear o avanço de dois concorrentes agressivos e aumentar a participação de mercado. Era uma idéia nova.
Durante a apresentação, Pedro via a sua frente um dos Diretores, sem dizer uma só palavra, fazer movimentos negativos com a cabeça, quase que ininterruptamente.
Um outro, durante a apresentação balbuciava em tom baixo, mas suficiente para que todos ouvissem: "Nunca fizemos isto antes(*). Isto não vai dar certo(*)". Ao que um outro retrucou: "Já fizemos algo similar no passado, mas não funcionou(*)".
Em determinado momento, Pedro foi interrompido: "Alguém já fez isto antes?(*)", foi questionado.
"Não. Por isso mesmo temos o privilégio de sermos os pioneiros e tomar esta vantagem", respondeu Pedro.
"Mas nós sempre tivemos bons resultados e nunca precisamos disto(*)", foi a réplica.
Ao finalizar a apresentação, o diretor Financeiro interveio: "Isto não está no budget(*). Além do mais não temos condições materiais(*), de pessoal(*) e de tempo(*) para gastarmos nesta idéia".
Dos que não disseram nada Pedro captava mensagens não verbais como: "Que idéia ridícula!(*) Isto é uma tolice!(*)".
Essa gente desconhece que muitas idéias, tolas aparentemente, transformaram-se em vencedoras. É o caso do Dr. Raymond Damadian que, em 1971, visualizou uma maneira de produzir imagens mais nítidas do que o Raio-X proporcionava. Foi chamado de louco. Os cientistas diziam que sua teoria da ressonância magnética não tinha sentido e era coisa de visionário.
Voltando a Pedro e a sua proposta, o Presidente, conciliador e político, mas igualmente inseguro quanto às idéias novas, criou uma saída honrosa para Pedro:
"Sua idéia pode ser interessante(*), mas nosso negócio é diferente(*). Nós não pensamos tão grande(*) e no momento não estamos preparados para isso.(*). Além disso seria muito difícil conseguirmos uma aprovação da Matriz(*). Acho que devemos dar um tempo(*). Voltaremos a este assunto mais a frente(*). Obrigado".

Leitor, antes de continuar a leitura deste artigo, retorne à historinha acima e conte quantos asteriscos estão no texto.
Viu quantos bloqueios à criatividade foram colocados sobre uma idéia? Dezenove.
Imagine se Santos Dumont tivesse acreditado em todos os que lhe diziam que nada que é mais pesado do que o ar poderia voar. Ainda estaríamos levando semanas para chegar a Europa.
Esta situação pela qual Pedro passou poderia bloquear sua criatividade para sempre. Ele poderia desenvolver inconscientemente um receio de pensar diferente do que as pessoas imaginam. Poderia ficar com medo de expôr-se a uma dura batalha para defender uma idéia. Medo de passar ridículo. Ansiedade e insegurança. Consequentemente, seu potencial para pensar diferente estaria bloqueado e sua imaginação reprimida para garantir uma situação mais confortável e tranqüila.
Pedro correria o risco de ficar como as pessoas sem criatividade. Acomodadas e conformadas com a repressão do não ao novo, aceitando os motivos pelos quais não podem fazer algo. Aceitando também todas as razões porque alguma coisa poderá não dar certo. Mas Pedro é o exemplo da pessoa criativa, consciente, que não permite que estes receios o bloqueiem. Ele destrói as barreiras mentais do passado.
As pessoas criativas estão conscientes de que as rejeições acontecem basicamente por dois motivos: os outros não reconhecem o valor da idéia ou realmente estão erradas.
O erro, a frustração, a rejeição às suas idéias fazem parte do jogo. Para administrar este lado negativo da produção de idéias pense no que de pior poderá acontecer se sua idéia for rejeitada: V. será condenado à cadeira elétrica?
O pior que poderá ocorrer é você ouvir um NÃO! A palavra NÃO não é uma sentença de morte. Ao ouvirmos um NÃO poderemos estar estimulados a buscar mais informações, a redirecionar nossos pensamentos. Só não podemos permitir que um NÃO nos paralise.
Quem sabe pensar diferente agüenta, suporta suas ansiedades, é seguro, forte, confiante. Sabe que se tiver medo de errar não terá oportunidades. Sabe que necessita de liberdade para estudar, treinar, explorar, descobrir, perguntar, expressar-se. Sabe também que nada é mais perigoso do que uma idéia quando ela é a única idéia que se tem.
Quem pensa diferente não permite que as rejeições às suas idéias bloqueiem seu comportamento criativo. Quando se está produtivo pensa-se diferente, inova nos negócios, na família, na comunidade, no País. Cria novas oportunidades para todos. E vence!
O talento para pensar diferente é o que faz a diferença entre o sucesso e o fracasso.
Pense Diferente!

Antonio Carlos Teixeira da Silva
Diretor da Pense Diferente

26 de novembro de 2005

O QUE EU TENHO A VER COM ISSO?

Sabe como se some com exemplares inteiros de uma revista nacional? Sabe porque? Pense em algo podre.? Pensou? Acha que é aonde? Dica: em algum lugar do Brasil onde um dos representantes legislativos calça 36. Sacou? Pois é, na Bahia tem de tudo e tem principalemnte muita sujeira com a familia que manda no Estado.
Os baianos não mereciam isto ou mereciam? Quer saber mais sobre a imundície do ACM e sua tropa então vá ao link: http://www.cartacapital.com.br/index.php?funcao=exibirMateria&id_materia=3346.
Dá nojo saber como se trata este País: com mentiras e promoções pessoais.
Vade retro, satanás!

PANGEA

Acima um esquema de como seria o PANGEA. Com certeza alguns (principalmente os leitores do blog do Jeso (http://jesocarneiro.blogspot.com) irão se lembrar de um artigo escrito que tocava no assunto sobre a formação da terra e sua contínua evolução. Este desenho esquemático acima mostra como funciona a teoria de placas tectônicas. Abaixo como ocorre os movimentos tectônicos.


SEMINÁRIO PAISAGENS GEOQUÍMICAS E AMBIENTAIS DO VALE DO RIBEIRA

24/11/2005
Agência FAPESP


O seminário Paisagens Geoquímicas e Ambientais do Vale do Ribeira será realizado no dia 1º de dezembro de 2005, às 14 horas, na sede da FAPESP, com o objetivo de apresentar os resultados alcançados no projeto Paisagens geoquímicas e ambientais do Vale do Ribeira - avaliação e prevenção de riscos para o meio físico e saúde humana relacionados à exposição ao arsênio e metais pesados, que tem apoio da Fundação.

Na oportunidade, serão entregues aos grupos de pesquisa e instituições interessados os produtos principais resultantes do projeto: “Atlas Geoquímico do Vale do Ribeira”, “Atlas Geoambiental” e “Relatórios sobre os Níveis de Exposição Humana ao Chumbo e Arsênio da População Residente no Alto e Médio Vale do Ribeira”.

Data e local: 1/12/2005, às 14h, na FAPESP - Sala do Conselho Superior Rua Pio XI, 1500 – 1º andar - Alto da Lapa – São Paulo

Mais informações: (11) 3838-4216 / 3838-4006 ou pelos e-mails meletti@fapesp.br e marina@fapesp.br.

QUASE NO FINAL

O Curso de Especialização em Gestão Ambiental - PROFIMA XXI - está chegando ao final!
As aulas teóricas estão finalizando e tivemos poucas oportunidades práticas para descobrir qual será o melhor caminho. Ainda existem oportunidades para conhecer como funcionam as empresas mais "fechadas ambientalmente". E outras que querem ser bem conhecidas através de um Sistema de Gestão Ambiental apropriado. Qual será o melhor caminho?
Controladoria ambiental? Auditoria Ambiental? Geologia de Engenharia ambiental? Produção mais Limpa? Engenharia ambiental? Educação ambiental? Que tal a Cooperativa Ambiental?
São muitos os caminhos para que possamos ser bem sucedidos. Resta escolher. Qual será a sua praia, especializando?
Dúvidas? Consulte seu orientador.

UnB lança portal sobre a fauna da Amazônia

A Universidade de Brasília (Unb) lançou ontem um portal que tende a beneficiar todos os interessados em estudos dos assuntos relacionados à Amazônia. Os internautas já podem acessar gratuitamente as informações contidas no trabalho inédito sobre a flora brasileira e sua utilização sustentável pelo endereço eletrônico www.fepad.org.br/floraamazonica.

25 de novembro de 2005

LEI DE BIOSSEGURANÇA

No dia 23 foi publicado no Diario Oficial da União a Lei da Biossegurança, que trata dos produtos geneticamente modificados, células embrionárias e outros temas ligados ao assunto. Para ler mais vá ao link http://www.envolverde.com.br/##

24 de novembro de 2005

QUEM ACREDITA EM PAPAI NOEL?

Se você acredita em Papai Noel, saiba que o Ministro das Cidades, Marcio Fortes anunciou que o Programa de Crédito Solidário, que financia moradia popular sem juros para familias organizadas em cooperativas tem 350 milhões a juro zero para o próximo ano.
Quer saber mais sobre este presente de Natal antecipado vá ao link http://www.envolverde.com.br/?materia=11360

23 de novembro de 2005

CARTA AO AMIGO CARDIOPATA

Em virtude do meu amigo Juvêncio Arruda estar "descansando" por obrigação e recomendação médica estou fazendo solicitação para que os bons (e os maus) locais de bebida e comida nesta Santa Maria do Grão Pará façam um sacrifício momentâneo no serviço de goluseimas.

Prezado Editor,
Em virtude de uma parada (graças a Deus, não cardíaca) do editor do blog Quinta Emenda recomendada, preventivamente, por especialistas na área de saúde estou me dirigindo a você para que interceda junto aos donos de bares (inclusive o Quem São Eles), restaurantes e padarias (especialmente ao dono da que está localizada no térreo do edifício onde mora), além de barraqueiros que servem goludices em geral que coloquem uma plaquinha confirmando o NÃO ATENDIMENTO AO JUVÊNCIO" para que possamos tê-lo entre nós por uns longuissimos anos.
Afinal, a amizade deve ser muito duradoura (no meu ponto de vista) nesta terra. Lá (em cima ou embaixo da terra) pode ser que tenha muita gente e não tenha espaço pra se encontrar, não tenha internet nem celular, nem locais com endereço fixo para que possamos nos encontrar. Também não sabemos se existem uns botecos que sirvam uma costela assada na brasa ou uma brahma bem gelada (hummmmm!). Nem sabemos se vai ter um círio pra gente se conhecer e, secundariamente, saborear uma maniçoba ou pato no tucupi ou uma picanha bem suculenta (sem essa de quebrar o jejum).
Então, senhor editor, favor mandar o Juca continuar com chás e bolachas sem gosto (argh!) até que passe esta fase.
Prometemos (todos) que não iremos convidá-lo (neste momento) pra tomar uma cerveja (hic!) nem provar um cheeseburguer no pão francês com bastante maionese (Hummm!!!) até que todas as bolachinas sem graça e chás sem gosto tenham acabado na cidade. Claro que o convite (de abstemia) pode ser estendido aos outros cardiopatas do ramo, para que no fim do ano todos os pecados da gula sejam cometidos.
Grande abraço,
Amigo.

MBA INTERNACIONAL EM AUDITORIA AMBIENTAL

Para aqueles que querem trilhar a carreira da Auditoria Ambiental, sugerimos começar a se programar. Uma boa idéia é cursar este MBA Internacional. Caro e necessário morar em São Paulo.
O MBA Internacional em Gestão Ambiental é um curso de Pós-Graduação "Lato-Sensu", multidisciplinar e com orientação eminentemente prática, voltado para a capacitação de profissionais na tomada de decisão em questões ambientais e no gerenciamento de trabalhos ambientais.
Sua concepção é única na temática, no tratamento do temas e na capacitação em atender as expectativas do setor ambiental quanto a formação de gestores.

Melhores informações através do link: http://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?base=./agenda/index.php3&conteudo=./agenda/proenco_mba.html

22 de novembro de 2005

INDIGNAÇÃO!!!! BASTA DE PERSEGUIÇÃO!


21/11/2005
Lúcio Flávio Pinto: premiado e ameaçado


Foto: CPJ - Committee to Protect Journalists
O jornalista paraense LÚCIO FLÁVIO PINTO, editor do Jornal Pessoal, necessita do apoio incondicional da opinião pública brasileira por ser vítima permanente de perseguições e injustiças em represália à sua determinação de buscar a verdade no cumprimento dos preceitos universais do jornalismo. Entre os que querem calar Lúcio Flávio encontram-se os dirigentes do grupo de comunicação Organizações Rômulo Maiorana (ORM) e representantes da Justiça do Pará.
A indignação se estende a entidades como a Associação Nacional dos Jornais (ANJ), Organizações Globo e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção do Pará, pela omissão acerca das agressões, inclusive físicas, praticadas por integrantes do Grupo de Comunicação Organizações Rômulo Maiorana (ORM), que tem tentado de diversas formas calar a voz do jornalista LÚCIO FLÁVIO PINTO em defesa da terra e do povo da Amazônia. O Grupo ORM detém os direitos de retransmissão da Rede Globo no Pará.
LÚCIO FLÁVIO PINTO é um ícone da profissão no Brasil e no Pará, tendo recebido diversos prêmios, entre eles o Esso, o mais prestigiado da imprensa nacional. Este ano, ele foi um dos escolhidos para receber, em Nova York, o Prêmio Internacional da Liberdade de Imprensa, concedido pela organização Comitê para a Proteção de Jornalistas (CPJ - Committee to Protect Journalists). O CPJ é uma organização dedicada à defesa liberdade de imprensa.
Por causa dos processos, LÚCIO FLÁVIO PINTO tem sido impedido de se ausentar do Pará. Na entrega do prêmio da CPJ, está sendo representado por sua filha, Juliana da Cunha Pinto. O jornalista responde a 19 processos na Justiça do Pará, decorrentes de informações publicadas no Jornal Pessoal, uma publicação quinzenal editada por ele há mais de dez anos. Se ele deixar a cidade de Belém, pode perder o prazo para algum recurso ou sofrer uma condenação, que, eventualmente, pode levá-lo a pagar uma multa ou, pior, à prisão.
A maioria desses processos é movida por integrantes da família Maiorana, da Rede ORM, que edita o jornal O Liberal (o maior do Pará) e dona da TV Liberal, afiliada da Rede Globo. Em janeiro, em um restaurante de Belém, LÚCIO FLÁVIO PINTO foi brutalmente espancado por Ronaldo Maiorana, com o auxílio de dois guarda-costas. Mesmo com queixa na delegacia e exame de corpo delito, Maiorana abriu mais um processo contra Lúcio, dizendo ter sido o jornalista o agressor. Em outro processo, Maiorana quer impedir o jornalista de publicar qualquer informação acerca da família Maiorana, num ato de censura prévia.
LÚCIO FLÁVIO PINTO é o único jornalista brasileiro vítima da perseguição implacável de uma empresa jornalística, o grupo ORM, que é um dos financiadores do portal Liberdade de Imprensa, criado em parceria da Unesco e Associação Nacional de Jornais(ANJ). O diretor do grupo, Ronaldo Maiorana, que espancou o jornalista, preside a Comissão em Defesa da Liberdade de Imprensa da Ordem dos Advogados do Brasil - Pará.


SE QUISER PARTICIPAR DA INDIGNAÇÃO ACESSE O LINK E MANDE SUA MENSAGEM DE APOIO: http://www.riosvivos.org.br/canal.php?canal=canal&mat_id=8231

PARA OLHAR A AMAZONIA E O BRASIL

O diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Flávio Montiel, informou ontem que o Ibama contará, em breve, com imagens de satélite de todos os biomas do Brasil - não só da Amazônia, como hoje. Um contrato, a ser assinado pelo Ibama com empresas da Índia e da Inglaterra, dará acesso a imagens da Mata Atlântica, Pantanal, Cerrado. Com o novo recurso tecnológico, o órgão amplia e aprimora o trabalho de fiscalização das florestas e matas brasileiras.
Quer ler mais? Então vá ao link http://www.ambientebrasil.com.br/noticias/index.php3?action=ler&id=21817

21 de novembro de 2005

FÁBRICA DE REVISTAS

Um projeto finlandês ajuda estudantes a publicarem revistas online. A ferramenta está disponível em inglês, alemão e nas línguas da Escandinávia. Saiba mais em www.edu.fi/magazinefactory.

COMENTÁRIO DE AGONIA:
Enquanto no Brasil lança-se o computador popular (sem ser popular) em outros países ajuda-se a melhorar a qualidade tecnológica. Enquanto estivermos dando o peixe, ninguem vai aprender a pescar.

MAIS UMA DO GOVERNO

Maurício Moraes e Silva escreve sobre o tal PC Conectado que finalmente começou a chegar às lojas, mas as famílias que comprarem o aparelho não terão acesso mais barato à internet. Os micros oferecidos pelo projeto – rebatizado com o nome de Cidadão Conectado - Computador para Todos – estão sendo vendidos sem o pacote especial de conexão à rede prometido pelo governo federal, um dos pontos essenciais do programa para garantir a inclusão digital. A idéia, que ainda não saiu do papel, está em oferecer 15 horas mensais de internet a um custo de R$ 7,50. Ninguem fala a mesma lingua neste governo.
Informe-se http://www.link.estadao.com.br/index.cfm?id_conteudo=5603

HABITARE

Interessantíssimo!
Este portal traz informações valiosas para o desenvolvimento da habitação popular. O editorial diz o seguinte:

"Caro Leitor:
A idéia de Habitação Saudável está presente nesta edição.
De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde, o conceito é amplo: se aplica ao desenho da moradia, ao território geográfico e social da habitação, aos materiais usados, à qualidade dos acabamentos, ao contexto global do entorno (comunicações, energia, vizinhança) e ainda à educação dos moradores".
Que tal ir para o Portal http://habitare.infohab.org.br/index.aspx e colher maiores informações?

CISA PROMOVE CONFERENCIA AMBIENTAL

O tema principal do “2º Congresso Internacional de Ecologia Humana na Amazônia”, que acontece de 22 a 24 de novembro, no Hilton Hotel em Belém será a água.
O evento é promovido pelo Congresso Internacional Israelita de Socieosfera na Amazônia (Cisa), organização não-governamental que há cinco anos atua na promoção e defesa da região amazônica.
O Congresso trará a Belém autoridades e especialistas nacionais e internacionais.
No segundo dia de evento, o geólogo Aldo Rebouças, pesquisador do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA-USP), vai proferir a conferência “Água: Abundância e Desperdício”, durante a qual vai ressaltar que a falta d’água na região amazônica é fruto do desflorestamento.
Espera-se amplas discussões sobre o assunto.
Agora, alguém pode me explicar porque SOCIESFERA NA AMAZÔNIA?

20 de novembro de 2005

QUEM QUER SER O MICO?

As organizaçoes governamentais e as não governamentais estão brigando para promover se continuamente em relação aos micos.Uns querem que a Marina caia fora do Governo, enquanto o Governo quer segurar a Marina. Até o Zeca (que é do PT) chamou a ministra de "pessoa sem conhecimento".
P'ra que continuar? Entrega o cargo p'ro Greenpeace logo e sai daí. Rapidinho! Não está valendo a pena continuar nesta "batalha de Pirro"!

PELE DE JOELHO

PAPÃO?
Coitado, mal administrado, mal treinado, mal o resto que quiserem vai descer uma escadaria de 1.000.000 de degraus. P'ra subir vai ter que ralar. E se não mudar, desde a diretoria (incompetente até a alma) vai parar mais embaixo ainda.
LEÃOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!
É gua do time de sorte. Vejam os craques: Landu, Capitão (merecia ser rebaixado a soldado raso) e carlinho (apesar de zagueiro lembra o Alcino na altura, o resto...). Tá bom, em 2006 não tem mais estádio, sede, time, só torcida ....

UM HOMEM COM 1,5 MILHÃO DE HERDEIROS

Isso mesmo!!
Estamos falando de um homem que amava as mulheres e que pode ter deixado cerca de 1,5 milhão de descendentes homens na China e na Mongólia.
Trata-se de uma pesquisa realizada na análise do cromossoma Y, exclusivo dos homens. Este ser impressionante chamava-se Giocangga e viveu em meados do século 16 e seu neto fundou a dinastia Qing, que reinou na China de 1644 a 1912.
Maiores detalhes desta pesquisa no site http://revistapesquisa.fapesp.br.

19 de novembro de 2005

AMAZÕNIA COBERTA DE GELO

Segundo repostagem publicada na Revista Pesquisa, editada pela FAPESP há 630 milhões de anos a Amazônia deve ter sido uma imensa planície coberta por uma camada de gelo de até 1.000 metros de espessura, pasmem!
Este é o resultado preliminar de trabalho de pesquisa do Projeto "Estratigrafia de sequências do grupo Alto Paraguai, Neoproterozóico Cambriano da faixa Paraguai, Mato Grosso" que está sendo desenvolvido por pesquisadores do Instituto de Geociências e do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP e de universidades federais de Pernambuco (UFPE) e do Pará (UFPA).
As descobertas sobre este fato reforçam a idéia sobre o snowball Earth.
Quem quiser saber mais sobre o assunto é só acessar o site da revista http://revistapesquisa.fapesp.br.

18 de novembro de 2005

CONFERENCIA METROPOLITANA DE MEIO AMBIENTE

Amanhã (19/11/2005) discute-se em Conferencia Metropolitana de Meio Ambiente os assuntos em voga tais como Zoneamento Econômico Ecológico, Sonorização, Desflorestamento de Áreas verdes e outros temas ambientais. Compareça e participe.

BLOGUEIROS

Recente postagem efetuado no Blog do Jeso de um blogueiro denominado Virgulino Guevara (mistura de cangaceiro com terrorista urbano) está causando um frisson entre os marqueteiros. Troca de farpas agudíssimas estão ocorrendo.

Ministério Público: Independente mesmo?

Por Lúcio Flávio Pinto em 17/11/2005
Fonte: Jornal Pessoal

Recentemente o Diário do Pará publicou matérias sobre a atuação do Ministério Público do Estado. Se o chefe do MP, procurador Francisco Barbosa, referido em dois dos episódios relatados, respondeu às matérias, sua carta não foi publicada no jornal. Se não respondeu ou seu direito de resposta não foi acatado, já devia ter providenciado uma outra forma de esclarecimento público. A gravidade das questões suscitadas o exigiria. Tanto as que o jornal publicou quanto as que ainda estão restritas aos bastidores.
O jornal publicou que o Procurador Geral de Justiça realizou uma reunião com todos os promotores da capital, na sede do MP, no dia 13 do mês passado. Seu propósito era tentar explicar as razões que o levaram a pedir o arquivamento do processo instaurado a pedido de um promotor do interior, Acenildo Pontes, para apurar o favorecimento fiscal e tributário dado pelo governo do Estado à Cerpasa (Cervejaria Paraense). Argumentou que se nunca questionara a independência funcional dos promotores no desempenho de suas atribuições, por que haveria de ser questionado pelos promotores sobre sua própria independência funcional, que o autorizava a tomar a decisão que adotou?
O procurador-chefe também abordou outra notícia do jornal, sobre sua interferência - considerada indébita legalmente - num processo em primeira instância, cujos autos nem sequer haviam sido remetidos ao MP (mas que caberiam a um promotor e não a um procurador, ainda mais sendo ele o procurador geral). Era uma ação popular, proposta pelo defensor público Climério Mendonça, questionando ato do governador do Estado de nomear a defensora pública Anelyse Freitas como chefe da Defensoria Pública do Estado. O parecer do procurador foi favorável a Simão Jatene. Barbosa sustentou que a notícia era equivocada e que se limitou a cumprir determinação do juiz do processo, para o arquivamento da ação.
O procurador geral, segundo alguns participantes da reunião, visivelmente aborrecido, admitiu que a dependência financeira do executivo estadual afetava a ação do Ministério Público. Se "batesse de frente" com o governo, estaria arriscado a ficar sem dinheiro para pagar o aumento reivindicado pelos promotores. Eles deviam considerar essa situação. E também o fato de que no dia seguinte ao arquivamento da representação contra o governador no caso Cerpasa, o Ministério Público conseguiu que fossem devolvidos os descontos indevidos de procuradores e promotores em favor do Ipasep.
O governo se recusava a efetuar a devolução reiteradamente pleiteada pelo MP.

15 de novembro de 2005

DINOSSAURO DA ADMINISTRAÇÃO

Do blogueiro e economista e outras definições que ele não divulga nem sob tortura, Juvêncio Arruda, recebi esta réplica sobre o texto A ERA DO ADMINISTRADOR:

Jubalambiental, seu colega especializando Paulo Kley foi educadíssimo ao sugerir o texto de Sthephan Charles Kanitz à reflexão, sem muita disposição para acolhe-lo 'in totum'. Salvou sua pele com essa prudencia. O texto lacrimejante exposto á discussão aqui no blog é uma cabal manifestação do ocaso da carreira do Kanitz e , de resto, das técnicas da administração, ainda classificada como ciência pela tolerância que marca a academia. Isto não vai durar muito!Kanitz por pouco não pediu um lugar para a Administração nos reinos dos céus. Mas quase pegou as chaves das mãos de São Pedro.
Ainda bem que Kley está tendo contato com outra realidade e outra bibliografia aí na pós. E se ele for tão bem humorado quanto é educado, até desconfio que convidou ao debate para testar a aderência das teses do dinossauro Kanitz.
Paulo,essa tese não cola. Corra dela!
Jubal,abraços a todas as pequeninas,espertas e lindas.

GRANDE FESTA


Hoje, 15 de novembro festeja-se no Brasil.
Festeja-se a proclamação da República.
Festeja-se um feriado.
Festeja-se um dia livre.
Festeja-se mais um dia (o último) do Festival de Carimbó em Marapanim.
Eu festejo uma data muito especial para mim: o niver da Rafa!
Filha, companheira, briguenta, atrapalhada no seu rumo profissional por esta greve idiota e preguiçosa dos servidores federais da Universidade.
Já nasceu berrando. Toda enrrugada. Feia como o sobrenome (Feio).
Depois foi paulatinamente se transformando e, hoje, é uma bela mulher. Se eu não fosse o pai, dava uma paquerada.
MAS NÃO PENSEM QUE VOU PERMITIR QUE OS OUTROS FAÇAM ISSO SEM SE HAVER COM MEU TRABUCO! ENTÃO ATENÇÃO MOÇADA: RESPEITO É BOM E EU GOSTO!

Meu amor, felicidades neste dia. Preciso dizer mais? Amo você e continue sendo mais dos meus orgulhos diários.

14 de novembro de 2005

I Workshop do Programa Campus Flutuante

O I Workshop do Programa Campus Flutuante, a ser realizado nos dias 28 e 29 de novembro de 2005 apresenta duas vertentes de interesse acadêmico indiscutível.
Primeiro: a sua realização significa o momento inicial de uma proposta idealizada desde 2001, quando da estada dos pesquisadores, alunos e professores, ligados ao IFNOPAP, que participavam do V Encontro do Projeto, no arquipélago do Marajó, ouviram do Reitor da UFPA, Dr. Alex Bolonha de Fiúza de Mello, a sugestão de que o Projeto deveria ser institucionalizado, considerando a sua dimensão e distensão acadêmico-científica, interdisciplinar e interinstitucional.
Segundo, o IFNOPAP, agora com o perfil de Programa CAMPUS FLUTUANTE foca, novamente o Marajó, com uma proposta de atividades para 4 anos, com a preocupação de levantar dados, fazer diagnósticos, apoiar atividades de ensino, pesquisa e extensão ligadas aos Campi da UFPA, no arquipélago, e voltados para a comunidade, de modo geral.
O Workshop significa o primeiro momento concreto de discussão e reflexão de profissionais, de todas as áreas do conhecimento, sobre o arquipélago e sobre as possibilidades de atuação da UFPA, de maneira mais agressiva e permanente, no maior arquipélago do mundo, de riqueza natural diversa e exuberante, mas, infelizmente, com índice de desenvolvimento humano, sobremodo, desmerecido.

Objetivo
O principal objetivo do evento é divulgar a implantação e viabilização do Programa CAMPUS FLUTUANTE para a comunidade universitária, de modo geral, a fim de que professores, que tenham interesse em trabalhar no Marajó, apresentem propostas, com vistas ao desenvolvimento do arquipélago, considerando a vocação da região, as suas necessidades e potencialidades.

PRÉ-INSCRIÇÕES
Local das inscrições: NUMA/UFPA
Valor: R$20,00
Mais Informações:
Fone: 3201-7384/ 3201-7652 / Fax: 3201-7772
Vagas limitadas.
Visite o site www.ufpa.br/numa e obtenha mais informações.

13 de novembro de 2005

A ERA DO ADMINISTRADOR

Recebemos este texto do colega Paulo Kley, administrador (obviamente) e especializando em Gestão Ambiental:

Por que os Estados Unidos são o país mais bem-sucedido do mundo? Por que são um país que resolveu o problema da miséria e da estagnação econômica ao contrário do Brasil?

O segredo americano, e que você jamais encontrará em nenhum livro de economia, é que os Estados Unidos são um país bem administrado, um país administrado por profissionais.
Dezenove por cento (19%) dos graduados de universidades americanas são formados em administração. Administração é a profissão mais freqüente e, portanto a que da o tom ao resto da nação.
Infelizmente, o Brasil nunca foi bem administrado. Sempre fomos administrados por profissionais de outras áreas, desde nossas empresas até o governo. Ate recentemente, tínhamos somente quatro cursos de pós-graduação em administração, um absurdo!
De 1832 a 1964 a profissão mais freqüente no Brasil era a de advogado, e foi essa a profissão que exerceu a maior influencia no país, tanto que nos deu a maioria de nossos presidentes até 1964. A revolução de 1964 acabou com a era do advogado e a legalidade, e tivemos a era do economista, que perdura até hoje.
Nos próximos 10 anos isso lentamente mudará. O Brasil já tem 2.300 cursos de administração contra 350 em 1994. Estamos logo depois dos EUA e da Índia.
Administração já é hoje a profissão mais freqüente deste país, com 18% dos formandos. Antes nossos gênios escolhiam medicina, direito e engenharia. Agora escolhem medicina, administração e direito, nessa ordem.
Há dez anos tínhamos apenas 200.000 administradores e só 5% das empresas contavam com um profissional para tocá-las. O resto era dirigido por empresários que aprendiam administração no tapa. Por isso até hoje 50% das empresas quebram nos primeiros 2 anos e metade de nosso capital inicial vira pó.
O que o aumento da participação dos administradores na gestão das empresas significará para o Brasil? Uma nova era muito promissora. Finalmente seremos administrados por profissionais e não por amadores. Daqui para frente, 75% das empresas não quebrarão nos primeiros quatro anos de vida e nossos investimentos gerarão empregos, e não falências.
Em 2010, teremos 2 milhões de administradores formados, e se cada um empregar 20 pessoas haverá 40 milhões de empregos novos. Será o fim da exclusão social.
Administradores nunca forma ouvidos por políticos nem concorriam a cargos públicos. Em 2010, é muito provável que teremos nosso primeiro presidente da República formado em administração. Por incrível que pareça Nunca Tivemos Um Executivo No Executivo. Muitos de nossos ministros e governantes aprendiam administração no próprio cargo, errando a um custo social imenso para a nação. Foi-se o tempo em que o mundo era simples e não havia necessidade de ter um curso de administração para ser um bom administrador.
Em 2006, o candidato da oposição que demonstrar boa capacidade gerencial será um forte candidato a sucessão de Lula. João Paulo Cunha, do PT, já alertou de que, se houver um bom administrador, ele conquistará o eleitorado da periferia.
Não quero exagerar a importância dos administradores, mas somente lembrar que eles são o elo que faltava. ordem não gera progresso, estabilidade econômica não gera crescimento de forma espontânea, sempre há a necessidade de um catalisador.
Não será uma transição fácil, pois as classes dominantes não aceitam dividir o poder que têm. Há muita gente interessada em manter esta bagunça e desorganização, como vivem denunciando Luiz Nassif, Arnaldo Jabor e José Simão. Gente que é contra supervisão, eficiência e organização.
Administradores têm pouco espaço na imprensa para defender suas idéias e soluções. Em pleno século XXI, sou um dos raros administradores com uma coluna na grande imprensa brasileira, e mesmo assim mensal. Peter Drucker há quarenta anos tem uma coluna semanal em dezenas de jornais americanos, ele e mais trinta gurus da administração.
ADMINISTRADORES TÊM OUTRA FORMA DE ENCARAR O MUNDO. ELES LUTAM PARA CRIAR RIQUEZA QUE AINDA NÃO TEMOS. ECONOMISTAS E INTELECTUAIS LUTAM PARA DISCUTIR A POUCA RIQUEZA QUE CONSEGUIMOS CRIAR, O QUE TÊM GERADO MAIS IMPOSTOS E POBREZA.
Se esses 2 milhões de jovens administradores que vem por aí ocuparem o espaço político que merecem, seremos finalmente um país bem administrado, com 500 anos de atraso. Desejo a todos coragem e boa sorte.


KANITZ, Stephen. A era do administrador. Veja, Rio de Janeiro, ano 38, n. 1, p. 21, jan. 2005.

COMENTÁRIO DO ADMINISTRADOR PAULO KLEY:
Kanitz é administrador por Harvard (e brasileiro), e comenta sobre a administração de nosso país, obviamente que devemos fazer considerações, mas que deixo para cada leitor conduzir sua própria reflexão. Talvez pudéssemos aproveitar o espaço para um debate construtivo.
Bem eu, apenas chego a momentânea conclusão de que não há uma realidade/verdade estática mas uma realidade momentânea alterada por suas inter-relações entre seus elementos e atores. Enfim vamos refletir e nos propor desafios sair do meio comum penso que a sociedade espera isso de nós.
Boa leitura e reflexão!

12 de novembro de 2005

Mensata:

DA HIPOCRISIA AOS SEMINÁRIOS

Durante o Seminário promovido pelo Núcleo de Meio Ambiente (NUMA) da Universidade Federal do Pará, neste último fim de semana (dias 10 e 11/11/05), estivemos recolhendo informações preciosas sobre o procedimento geral dos municípios paraenses em relação ao tema Meio Ambiente.
Diversos expositores estiveram presentes e colocaram suas idéias, os procedimentos usuais e inovadores em relação ao que se denomina pomposamente DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Muitos dos que estiveram expondo e outros tantos que estiveram ouvindo e tomando notas, talvez não se dêem conta do que isto significa e como torná-lo um procedimento usual. Não se tem o costume de planejar as ações e, a partir destes planejamentos, evitar que os acontecimentos catastróficos que são ou estão aparentes sejam minimizados continuamente.
Mas não é este o tema que quero abordar.
Quero, na verdade, abordar a ação dos conferencistas que não se envolvem no problema. Vão lá, dão o seu recado e... até logo que já fiz a minha parte. Vem outro e faz a mesma coisa. Vai cuidar de seus afazeres particulares ou públicos. Quem ficar na conferencia... bom, não tem muita importância.
Quando o Seminário avança percebemos que as palestras são ou estão desencontradas e que os autores daquelas exposições não se encontram mais no local para incrementar a discussão ou mesmo para discutir as suas colocações. Parece que basta informar sobre os Projetos que estão realizando e sumir como se estivessem com medo de alguém venha a descobrir que não é verdade o que afirmaram. Esta é a única suposição que posso tomar após estas reações. Ou então são tão superiores aos que estão na platéia que não querem dar o prazer de discutir com eles. E é sempre assim.
De que me adianta ouvir um monte de conferencistas famosos e, ao final, quando as informações estão melhor dispostas no tabuleiro cerebral não conseguimos encontrá-los para fazer colocações que envolvam não só uma, mas várias afirmativas e que aparentemente não tem uma conexão plausível? Melhor enviar um escrito sobre o caso e ficar no seu mundo particular.
Neste Seminário vi conferencistas chegando na última hora e fazendo afirmações que envergonhariam qualquer criança do ensino fundamental sobre o Meio Ambiente. E sem passar óleo de peroba na cara!
E vamos continuar participando de seminários, conferencias, mesas redondas e demais formas de reunião que não levam a nada?
Bom, desculpem, mas leva sim: ficamos com o curriculo recheado delas e continuamos sem saber resolver nada.
E agora? Até a próxima reunião, conferencia ou seminário ou qualquer outra coisinha que reuna uns gatos pingados e promova a individualidade dos conferencistas, pessoal!

Projeto Juruti: MP entra com recurso para reverter sentença favorável à Alcoa - 11/11/2005

Local: Belém - PA
Fonte: Procuradoria Geral da República do Pará Link:
http://www.prpa.mpf.gov.br/

MP entra com recurso para reverter sentença e obrigar licenciamento federal do Projeto Juruti


O Ministério Público Federal e o Ministério Público do Estado do Pará ajuizaram recurso junto ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, para reverter uma decisão do juiz Fabiano Verli, da Justiça Federal de Santarém, que manteve as licenças ambientais do Projeto Juruti e ainda determinou a competência estadual para julgar o caso.
O despacho agora questionado foi registrado na Ação Civil Pública movida em conjunto por MPF e MPE. Foram apontados vários vícios no processo de licenciamento, conduzido pela Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectam) e solicitado o cancelamento das Licenças Prévia e de Instalação já concedidas ao Projeto, assim como a transferência do licenciamento para o Ibama.
Mas a Justiça, em decisão que pode ser reformada, preferiu acolher os argumentos da Omnia Minérios, empresa do Grupo Alcoa, em favor da instalação de uma mina de bauxita em Juruti, no oeste paraense. Em seu despacho, concluiu que a causa não era de competência federal e sim estadual, remetendo o processo para a Justiça do Pará.
Para o Ministério Público a Justiça não poderia definir a competência do licenciamento em decisão tão apressada, desconsiderando os erros cometidos no Estudo de Impacto Ambiental. O despacho judicial questionado também ignorou todos os questionamentos feitos pelo MP ao longo do processo e a manifestação do Ibama, que reconheceu os problemas do EIA e solicitou sua inclusão como pólo ativo da Ação, ou seja, declarou que o licenciamento é mesmo de competência federal.
Um dos principais argumentos em favor do licenciamento na esfera federal é que a área da influência do Projeto Juruti foi definida ignorando os possíveis impactos no Estado do Amazonas. Na verdade, o MP descobriu que a área delimitada pelo EIA, apenas para garantir o licenciamento na esfera estadual, termina exatamente no meio do rio Amazonas, onde está a divisa artificial entre os dois Estados. "É isso mesmo o que se afirma: o dano ambiental, tão educado, tão promissor, sabe exatamente que a divisa entre os Estados do Pará e o Amazonas está no meio do rio", ironiza o recurso.
Mato - Em um dos pontos mais polêmicos da decisão, Fabiano Verli refuta os argumentos do procurador da República Renato Rezende Gomes e do promotor de Justiça Nadilson Portilho Gomes de que há dano regional advindo do Projeto Juruti. "Onde este impacto interestadual se daria?
Presumo que em Partintins/AM - a única cidade amazonense de algum porte próxima à fronteira com o Pará. Mas ela fica a muitos e muitos quilômetros de Juruti. Não há entre elas qualquer trafegabilidade terrestre. As pessoas e cargas só podem chegar a Parintins, vindo de Juruti, ou de barco ou de avião. Entre as duas cidades há basicamente mato", destila o despacho.
Em resposta, no recurso ao TRF, os Mps classificam de inconsistentes as conclusões da Justiça no caso. "A esta argumentação, poder-se-ia contrapor a poesia, legitimamente paraense, de que 'este rio é minha rua', mas há menos poesia do que tristeza em constatar que o que a decisão judicial chama de 'mato' é, em verdade, a deliberação sobre o futuro de comunidades tradicionais, talvez invisíveis ao olhar menos atento, mas existentes há séculos e merecedoras de especial atenção da ordem constitucional".
MPF e MPE pedem em conjunto que sejam proibidas quaiquer atividades de instalação do empreendimento da Alcoa em Juruti e que seja reformada a decisão da Subseção Judiciária Federal de Santarém, reconhecendo-se a competência do Ibama para licenciar e do MPF para processar o caso.
Agora, a decisão sobre a suspensão das atividades da Alcoa em Juruti está nas mãos do próprio juiz Fabiano Verli. Em tese, ele pode reformar seu despacho anterior, caso se sinta convencido pela nova argumentação do MP. Se isso não acontecer, o recurso será julgado mesmo pelos desembargadores do TRF.
Porque MPF e MPE consideram que o Ibama deveria licenciar o Projeto Juruti:
"De fato, como se vê, diversos são os elementos que demonstram a necessidade de que o licenciamento se dê no âmbito federal:
1 - a área na qual estão localizadas as minas de bauxita pertence à União, tendo sido objeto de arrecadação administrativa e, hoje, encontra-se em processo de regularização fundiária, tendente a permitir a fixação dos clientes da reforma agrária;
2 - todas as atividades para a obtenção da bauxita (escavações e deposição de rejeitos nas cavas) ocorrerão sobre o aqüífero Alter-do-Chão, importante reserva de água doce que atravessa dois Estados (Pará e Amazonas);
3 - o porto está localizado às margens do rio Amazonas, rio internacional, sem que tal impacto tenha sido nem mesmo corretamente mensurado ou nem sequer estudado;
4 - todo o Projeto Juruti está contido na bacia hidrográfica do Amazonas, sob jurisdição federal;
5 - há o registro de 73 ocorrências de sítios arqueológicos na Área de Influência Direta (AID), até esta fase;
6 - na AID existem espécies vegetais (castanheiras, pau-cravo, pau rosa) protegidas pela legislação ambiental;
7 - na AID existem os ecossistemas de várzeas;
8 - existem áreas de preservação permanente, como várzeas, nascentes e mata ciliar na AID;
8 - há necessidade de autorização de desmatamento emitida pelo IBAMA, de acordo com a resolução 009/90 do Conselho Nacional do Meio Ambiente."


COMENTÁRIO:
Esta notícia foi, também, enviada, por Juvêncio Arruda, dada a importância desta ação. Cabem vários comentários sobre esta iniciativa que serão temas de postagens posteriores.

11 de novembro de 2005

CONFIRMADO: ESTUDO DO PPG 7 AFIRMA QUE FALTA POLÍTICA ADEQUADA PARA A AMAZONIA


São Paulo - A raiz do fracasso do modelo socioeconômico vigente hoje na Amazônia - exploratório e insustentável ambientalmente - é conseqüência da falta de políticas públicas adequadas, não de dinheiro. Essa é uma das conclusões de um time de especialistas independentes para o Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG-7), veiculado ao governo federal, mas movimentado com fundos internacionais.
"Se o governo tem US$ 1,4 bilhão para investir no Sivam/Sipam (plano de monitoramento da Amazônia), tem dinheiro para modernizar os Estados amazônicos."
O achado não é exatamente uma novidade, admite o atual presidente do grupo que fez o estudo, o cientista Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Ele afirma, porém, que o quadro pode mudar caso o governo decida investir em tecnologia e na utilização de áreas já degradadas.
"Há tentativas para conter a expansão da fronteira agrícola na Amazônia, mas parece que o País perdeu sua capacidade de planejar", disse Nobre durante o Mercado Floresta, evento que terminou hoje (8) em São Paulo. "Em Novo Progresso (MT), existem 80 km² voltados à exploração madeireira. E a indústria? Não tem lá."
O relatório detalha os principais problemas que travam o desenvolvimento de atividades sustentáveis na região. Entre eles cadeias produtivas fracas ou incompletas, falta de acesso dos pequenos investidores a financiamentos, desregularização fundiária e despreparo das populações tradicionais.
"Elas estão muito presas a um modelo assistencialista. É importante que entendam seu papel dentro do elo produtivo, que se coloquem de forma altiva e ativa."
Nobre reafirmou a urgência de mudar a forma de trabalhar na região. Ele lembra que políticas públicas demoram 15 anos para produzir retorno.

SEMINÁRIO SOBRE POLÍTICAS AMBIENTAIS MUNICIPAIS - NUMA/UFPa

Hoje tivemos uma segunda parte do Seminário que discutiu as Políticas Municipais.
Exposição de primeira entre Socorro Flores (CCJ/UFPa), Paulo Koury (IBAMA), Francisco Fonseca (MMA), Evaristo (SEMA/Belém), Ronaldo Lima (SECTAM) e Jorge Valdez-Pizarro (IESAM/UFPa) sobre "O Município: Licenciamento, Controle e Regulação Ambiental". Tema bastante extenso, com apartes calorosos dos participantes e com discussão necessitando de intervenção do mediador para que terminasse. Pena, esa a melhor parte. Se tivesse levado um lençol não daria pra enxugar todas as lágrimas dos reclamantes.
Posteriormente (com a hora avançada e o estomago remoendo) tivemos a Mesa Redonda sobre "Experiencias de Gestão Ambiental Municipal no Estado do Pará", apresentado na visão das instituições. Muito morno e com aparencia de "marketing" das instituições. Ficou devendo.
À tarde, continuação com "Experiencias de Gestão Ambiental Municipal no Estado do Pará", na visão das Associações Municipais. Escutei um rosário de "não sei", "não fiz", "para o ano vai melhorar", "as prefeituras não tem dinheiro pra bancar as Secretarias Municipais de meio Ambiente" até chegar a uma afirmação, que deve ter deixado os especialistas de cabelo em pé, quando a representante da CODESEI, uma assistente social chamada Solange nos passou a idéia de que vem dinheiro pra Educação, pra Saúde, mas não vem pro Meio Ambiente e por isso não se faz muito. Puxa, retrocesso geral, mas acho que o choque desta desculpa foi tão forte que ninguém tentou ensinar que quando se faz prevenção no abastecimento de água (meio ambiente) se gasta menos na saúde; quando se ensina a separar o lixo doméstico (educação), se gasta menos na saúde. Posteriormente, o Aprígio Silva, da AMUT, reclamou sobre o engessamento de todos os madeireiros com as proibições de exploração florestas por delimitação das Unidades de Conservação e lhe foi ensinado pelo representante do PPG-7 que, neste País só se pode evitar distorções pela via do geral. Não concordo, mas ... Enfim, a visão das Associações Municipais é míope e sofre de profundo astigmatismo ambiental.
Voltaremos a comentar este Seminário novamente.

COBRANÇA JÁ!

Do leitor constante Juvencio Arruda, um comentário sobre o Seminário sobre Políticas Municipais do NUMA:
Há que se preparar urgente uma agenda de cobranças aos municípios que não se enquadrarem nas exigencias dos Planos Ambientais. Que tal pedir ao Reitor que se dirija aos prefeitos, governador, deputados e judiciário cobrando o imediato enquadramento na Lei?

COMENTÁRIO:
Com certeza iremos fazer isto. Nada de deixar, esperar, lamentar e tentar outra vez.

10 de novembro de 2005

NOVAMENTE DOM JUCA

Sobre a foto de Santarém Antigamente:
Não conheci essa saudosa Santarém. Mas a casa da família Arruda já estava lá, altaneira, à direita da árvore, com seus tres andares. Meu tio Lourival a construiu, com ajuda dos filhos. João David bateu muita massa nessa construção..rs.

Dom Juca

Comentario de Juvencio de Arruda sobre a nota "Índios e a Vale":
Coitado dos índios.Triste Funai.Pobre Brasil.

SEMINÁRIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS

Excelente a palestra de abertura do Seminário promovido pelo NUMA. O Professor Dr. Gilberto Rocha trouxe o polivalente geógrafo Cláudio Antonio de Mauro, consultor, professor e ex-prefeito de Rio Claro - SP, que nos sapecou um monte de novidades sobre "como olhar" o meio ambiente amazonico. No final ele nos disse, mais ou menos assim: "Quando você estiver indo da branco para a cor negra, ao chegar no cinza, o seu referencial sobre onde você está fica perdido!" E agora: continuar movimentando a roda da fortuna ou promover a sustentabilidade ? Acho que tem muito nego por aí se sentindo assim: não sabe se é negro, branco ou cinza.
Logo em seguida uma Mesa Redonda (redondinha por sinal) discutiu o Perfil dos Municípios Paraenses e a Gestão Ambiental. Cerca de 25% dos 143 municipios, com toda a boa vontade dos pesquisadores, consegue aproveitar alguns dos subsídios necessários para promover a Gestão Ambiental. Se fosse uma sala de aula, a reprovação seria em massa.
À tarde discutiu-se a Agenda 21 como Indutora da Elaboração dos Planos Diretores Municipais. Apesar da "corda no pescoço dos prefeitos" com a visão da perda do mandato, ainda assim muitos deles prefere acreditar que não vai acontecer nada. Apenas módicos 45% dos municipios paraenses tem o seu Plano Diretor pronto para ser votado até outubro de 2005.
As Linhas de Cooperação para a Gestão Ambiental Municipal mostrou que existem verbas para financiar programas relativos ao meio ambiente, mas os administradores não possuem pessoal adequadamente treinado para desenvolver os múltiplos itens elancados nos editais e, assim, perdem, algo em torno de R$ 500.000,00 por ano para aplicação no meio ambiente.
Amanhã, continua.

9 de novembro de 2005

Pôr do sol - Rio Cururu/Jacareacanga/Pará

Ah! A natureza esplendorosa ao cair da tarde, no longínquo rio Cururú. Sintam esta paisagem...

SEMINÁRIO AMBIENTAL

A partir de 10 de novembro, na UFPa, estará sendo apresentado o Seminário que vai discutir as Políticas Municipais. Estarão presentes uma gama de pesquisadores do NUMA, do MMA, da SECTAM e de diversos outros segmentos de pesquisa ambiental do Estado e de diversas outras partes do País. Espera-se uma caravana de, pelo menos, 25 pessoas do Tocantins e outro tanto do Marajó.

6 de novembro de 2005

Santarém antigamente


Santarém antigamente, originally uploaded by jubalambiental.

É sempre bom relembrar como era bela minha saudade.

INDÍOS E A VALE

"Fundação Nacional do Índio (Funai) alertou há três anos a Vale do Rio Doce para o despreparo das tribos indígenas de Carajás na administração de recursos concedidos pela mineradora. O administrador da Funai em Belém, Eimar Araújo, não nega as acusações da Vale - as associações indígenas estariam comprando carros de luxo, aviões, e outros 'pleitos estranhos'-, mas afirma que entregou pessoalmente um documento no qual alerta para a 'falta de noção financeira', de algumas tribos".

COMENTÁRIO:
A FUNAI sempre esteve despreparada para cuidar dos indígenas em todo o País. Enquanto os seus funcionários continuarem tratando os indígenas como fosse uma obrigação e o órgão como se fosse um de seus empregadores, vão continuar tendo problemas de "adaptação". Deveriam saber que só tem seus empregos enquanto existirem os indígenas e não o contrário. Erra também a direção geral em supor que os seus funcionários estão devidamente preparados para tratar com os indígenas. A reciclagem é necessária. A era da descoberta do Brasil passou e a era da comunicação não é só de tambores e fumaça.

5 de novembro de 2005

DEU NAS COLUNAS DO CLÁUDIO HUMBERTO

Está na coluna do Cláudio Humberto (www.claudiohumerto.com.br) as seguintes novidades (?):
Revolução dos bichos
Galo gripado, boi “aftoso”, morcego venenoso, carrapato assassino e “rato” político: é dos bichos a revolução no Brasil.
Cúpula dos Ts
O encontro Bush-Lula-Chávez entrará na História com a reunião dos três tês: um tonto, um tolo e um tapado, não exatamente nessa ordem.
Alô, marciano
O presidente do parlamento cubano, Ricardo Alarcón, atribuiu aos EUA a denúncia de que Cuba financiou a campanha de Lula em 2002: “Na próxima, vão acusá-lo de receber dinheiro de Marte”, disse à AP. Alarcón esqueceu que Marte é vermelho, como a estrela petista.

Como batem no PT. Coitadinho. Não fez nada pra merecer esta maldade.Rs....

ENTRE TAPAS E BEIJOS

  • Os tabus venceram mais uma vez e não aconteceu o primeiro beijo homosexual masculino nas novelas na TV. Aposto que muita gente queria ver sapinhos e troca de ternurinhas entre os protagonistas, mas ... fica pra próxima. Venceram os censores!
  • Zé Dirceu tenta se segurar como pode no cargo de deputado federal. Vai ver tem muito empréstimo e dinheiro escuso a ser liberado nos próximos dias para manter mensalão.
  • Quem deve prevalecer num embate entre desenvolvimento e preservação? A economia ou a ecologia? Guardar para nossas próximas gerações ou utilizar com moderação e sabedoria os recursos naturais necessários para a preservação da importante espécime humana?
  • Lula viajou mais uma vez. Argentina foi o seu destino. Quem sabe não fica por lá e deixa o Brasil ser governado e colocado na rota certa?

3 de novembro de 2005

INTERESSANTE

JORNAL DO MEIO AMBIENTE PUBLICOU A SEGUINTE INFORMAÇÃO AOS AMBIENTALISTAS:

O QUE FAZER DIANTE DOS DESASTRES NATURAIS E TECNOLÓGICOS.

Data: 3/11/2005

“IV Seminário Nacional de Segurança, Meio Ambiente e Saúde no Brasil: Responsabilidade Social Ambiental Público Privado”
Data: 1º de dezembro de 2005 (quinta feira)
Local: Auditório Nereu Ramos, anexo II - Câmara dos Deputados Brasília - DF, das 9h às 19h
Realização: Íntegra Brasil – Professora Clementina Moreira Alves
Apoio: Congresso Nacional e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD
Patrocínio - SEBRAE Nacional

As industrias brasileiras estão preparadas para enfrentar os desastres naturais e os desastres tecnológicos responsáveis pelos acidentes ambientais? E a população das comunidades que vivem ao redor dos pólos industriais está a salvo das conseqüências dos impactos negativos causados ao meio ambiente? Nesta sua 4ª edição o Seminário Nacional de Segurança, Meio Ambiente e Saúde no Brasil: Responsabilidade Social Ambiental Público Privado a ser realizado na Câmara dos Deputados, busca soluções para situações de riscos ambientais e tecnológicos enfrentadas nas indústrias químicas, farmacêuticas e petroquímicas, na área de segurança de equipamentos e de processos, além da capacitação, pesquisa e questões legais junto a ações integradas de políticas adequadas de manutenção e controle. O evento faz parte do Programa Ação Responsável que há sete anos realiza palestras, debates, workshops por todas as capitais do Brasil. O Seminário tem como um dos seus objetivos a sensibilização e promoção da ética ambiental sustentável, em assuntos como: Petróleo e Gás; Energia; Resíduos; Recursos Hídricos; Comunicação; Tecnologia; Biossegurança com destaque para a necessidade da parceria publico privado e sua crescente e importante participação para o desenvolvimento sustentável e responsável do Brasil. O tema Prevenção estará em destaque durante todo o evento. Entenda “Prevenção” como novas atitudes comportamentais em busca de uma nova cultura empresarial e cidadã com ações que requerem pouco ou nenhum investimento, com a vantagem de serem aplicadas em curto prazo gerando benefícios imediatos para as empresas e principalmente para a população. O Seminário mostra que a estratégia de gestão preventiva aproxima a Economia ao Meio Ambiente, tornando as empresas mais competitivas em mercados cujos padrões de exigências ambientais são cada vez mais elevados, facilitando sua internacionalização e garantindo o desenvolvimento econômico-sócio-ambiental do País.
É necessário o credenciamento prévio!
Vagas limitadas.
Inscrições Gratuitas!

Nota aos Editores:
Informações – Assessoria de Comunicação - Henrique Pio/Alencar Miranda Pelos telefones (61): 3032- 2809 entre 8:00 e 13:00 h / (61) 9671 –1688 / 9804 0638 a qualquer hora ou e-mail: seminarios@integrabrasil.com.br
Consulte: www.integrabrasil.com.br

2 de novembro de 2005

FINADOS


Existe uma correlação muito grande entre o dia em que se celebra o Dias de Finados e as ações que ocorrem em nosso lindo rincão. Então vejamos:
  1. Deputado "ladrão" é absolvido pela Comissão de Ética (sic);
  2. Deputado "fujão" é recebido com festas pela sua "turma";
  3. Senador e Deputado querem dar "porrada" no Presidente da República;
  4. Advogado petista acha que pode afirmar que orelha de livro é lida por publicitário;
  5. Avenida João XXIII (antiga 1º de Dezembro) é desviada para dentro do Parque Ambiental de Belém para não entrar na área pública cedida em comodato para o clube Assembléia Paraense;
  6. Peixes morrem em lagos da Amazonia;
  7. Indios Parakanã caçam ladrões de banco;

É infindável a correlação, mas deixo estas para reflexão.