10 de novembro de 2005

SEMINÁRIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS

Excelente a palestra de abertura do Seminário promovido pelo NUMA. O Professor Dr. Gilberto Rocha trouxe o polivalente geógrafo Cláudio Antonio de Mauro, consultor, professor e ex-prefeito de Rio Claro - SP, que nos sapecou um monte de novidades sobre "como olhar" o meio ambiente amazonico. No final ele nos disse, mais ou menos assim: "Quando você estiver indo da branco para a cor negra, ao chegar no cinza, o seu referencial sobre onde você está fica perdido!" E agora: continuar movimentando a roda da fortuna ou promover a sustentabilidade ? Acho que tem muito nego por aí se sentindo assim: não sabe se é negro, branco ou cinza.
Logo em seguida uma Mesa Redonda (redondinha por sinal) discutiu o Perfil dos Municípios Paraenses e a Gestão Ambiental. Cerca de 25% dos 143 municipios, com toda a boa vontade dos pesquisadores, consegue aproveitar alguns dos subsídios necessários para promover a Gestão Ambiental. Se fosse uma sala de aula, a reprovação seria em massa.
À tarde discutiu-se a Agenda 21 como Indutora da Elaboração dos Planos Diretores Municipais. Apesar da "corda no pescoço dos prefeitos" com a visão da perda do mandato, ainda assim muitos deles prefere acreditar que não vai acontecer nada. Apenas módicos 45% dos municipios paraenses tem o seu Plano Diretor pronto para ser votado até outubro de 2005.
As Linhas de Cooperação para a Gestão Ambiental Municipal mostrou que existem verbas para financiar programas relativos ao meio ambiente, mas os administradores não possuem pessoal adequadamente treinado para desenvolver os múltiplos itens elancados nos editais e, assim, perdem, algo em torno de R$ 500.000,00 por ano para aplicação no meio ambiente.
Amanhã, continua.

Um comentário:

Juvencio de Arruda disse...

Há que se preparar urgente uma agenda de cobranças aos municípios que não se enquadrarem nas exigencias dos Planos Ambientais.Que tal pedir ao Reitor que se dirija aos prefeitos,governador,deputados e judiciário cobrando o imediato enquadramento na Lei?