27 de janeiro de 2014

Comentarista anônimo analisa atuação das dragas no Tapajós

Um comentarista anônimo envia uma análise ponderável sobre a atuação das dragas no Tapajós.
Parece ser conhecedor do assunto e atuante na área.
Assim vejamos o que diz nosso especialista (sem correção ortográfica ou gramatical):
Dizem que as Dragas de 18" em operação no tapajós produzem 2 quilos por mês.

Uma Draga de sucção de 18" de diametro, trata no máximo 70.000 m³/mês. Com a produção é de 2.000 gramas de ouro, Significa que o Teor recuperado está em torno de 30 miligramas por m³ (pouca coisa, quase nada).

O sistema convencional de tratamento em Dragas se compõe de:
Trommel;
Classificador/desagregador;
Jigagem primária;
Jigagem secundária;
Jigagem terciária;
Concentrador Knelson para apuração final.

Com o sistema "garimpeiro" de Carpete, è perder "ouro" e dinheiro. (podem redragar novamente que conseguirão a mesma produção) o que comprovará que a " eficiencia" da concentração deixa a desejar.

em uma comparação grosseira é como um sistema de alimentação, que tem apenas a boca e o "CÙ", sem o estomago e o intestino para a fazer a digestão, o processamento e melhor aproveitamento.

Assim os monstrengos que operam no madeira e no tapajós, EMBORA PAREÇAM uma obra prima da engenharia moderna, não passam de uma engenhoca bem rudimentar. A BOMBA LANÇA O MATERIAL succionado DIRETO no SLUICE, nas famosas caixas, já usadas nas corridas de ouro da australia, canada e estados unidos nos idos de 1860, de baixissimo poder de RETENÇÃO DE OURO FINO.

Como as fontes do ouro do tapajós devem ser as rochas intemperizadas e lavadas de seus tributaários, tropas, pacu, são jose, jamanxim, rato, crepori e outros, ou seja é ouro que sofreu um longo transporte, por consequencia deve ser fino, pela longa distancia que percoreu da fonte até o leito do tapajós.
Alguém do ramo  quer opinar?
O médico? O padre? O repórter? O advogado? O político? O sindicalista? Um garimpeiro? Algum pesquisador?

Postar um comentário