12 de novembro de 2010

Esgotos 'sujam' imagem de Alter do Chão

Ainda anda a fila sobre o post Alter do Chão.

Agora é o vídeo produzido por Emanuel Júlio, que também tomou as dores sobre o descaso que está sendo cometido na Vila.
Veja abaixo:





Comentário do Blogger:
A discussão não deve ser se houve um locutor e um operador de camera ou dois, ou dez. Ou se é uma equipe ou um único produtor (ou seja lá o que se denomine para tal fim).
Estamos discutindo um problema geral, que afeta e interage com cada um dos que frequentam a Vila.
Se um lança um papel de balinha ou mija nas águas do lago Verde, todos nos transformamos em número da degradação.
A culpa é só do poder público? Em grande parte sim, porque entendo que deveria (e tem o poder legal) de minimizar o problema. Mas também somos parte do problema porque todos, repito todos, colaboramos com a degradação. Seja através de ação ou de omissão.
Quantas vezes olhamos o colega "riquinho" fazer gracinhas com degradação ambiental? Ou social? Quantas vezes olhamos o colega "pobrezinho" agir como se a casa dele fosse uma imensa lixeira?
No vídeo exibido, o amigo e pesquisador Cristovam Sena diminui a questão porque é Alter do Chão. Acho que a questão maior é porque é Alter do Chão.
O caso é que lá é a nossa maior indústria sustentável: o turismo, que não tem chaminés, não tem consumismo, não tem exageros individualistas e pode ser usado como um convite para uma participação consciente na proteção do meio ambiente não apenas durante as férias, mas também no cotidiano e no local de residência permanente.
Se a Vila de Alter do Chão se tornou referencia de local de atração turistica internacional todos deveremos cuidar para que ela continue sendo uma fonte de renda a todos. Ou será que esperam que seja sempre uma bela mulher que nunca envelhecerá e não se tornará enrugada rapidamente? Mas se não ela se cuidar com os retoques que a ciencia possibilita parecerá sempre bela e desejável.
O que nós todos queremos.
Para sempre.
Amém.
Postar um comentário