10 de dezembro de 2013

O negócio tá preto: nunguém acredita em brigar por seus direitos...

Ao tentar efetuar um depósito em uma loteria fui procurar a fila dos prioritários.
Estava lotada de "novinhos".
Reclamei, mas o que ouvi de pessoas que achavam que não valia a pena brigar por seus direitos foi frustante:

"Aqui é assim. Se reclamar ninguém atende!"
"O último que reclamou foi preso!"
"A politicagem não deixa reclamar!"
"Esta Itaituba é uma terra sem direitos!"

Estas frases nos leva a pensar que não vale a pena dar voto a quem não luta por seus direitos primordiais, ou seja, tornar o voto dispensável, facultativo, desnecessário para a situação atual do Brasil.
Mas, e se esta faculdade nos fizer voltar a um regime totalitário de direita ou (como agora) de esquerda?

Então tenhamos cuidado ao aceitar como cordeirinhos os desmandos e as vontades do poder, que certamente não são ou serão vontade do povo.
Eu vou continuar sendo um "chato" que vai brigar por seus direitos individuais e coletivos o tempo todo, com ou sem a concordância popular.

Postar um comentário