Geologia e Ambiental

17 de outubro de 2013

Pra que a festa?

De repente, não mais que de repente a prefeitura resolveu dar as caras e colocar ordem na infraestrutura.


Primeiro, como diz o deputado federal Dudimar Paxiúba é "inaceitável que se faça caridade com o chapéu alheio". Então, se os recursos são federais porque a prefeitura resolveu - depois de se recusar terminantemente a trabalhar no trecho - bancar a restauração parcial da BR-230 como obra sua?

Depois, não há porque fazer festa com a obrigação de recapear as ruas intransitáveis da cidade, quando milhares de veículos de todos os tipos e marcas, além de pessoas, já sofreram as consequências deste desgoverno infraestrutural.

Além disso, se estão fazendo as obras em todo o município e está sendo exigida a licença ambiental até de restauração de prédios (e com razão) por que a prefeitura não tem a obrigação de ter a licença ambiental para suas obras, previsto em lei?

Fazer cobranças dos empresários e não agir de forma correta dentro de sua competência poderá ser mais um divisor de águas desta administração e os seus eleitores.

Postar um comentário