6 de novembro de 2015

A Fraude do Ouro

A reportagem de Flávio Ilha para o Portal UOL trouxe à baila a certeza que já expusemos diversas ocasiões: a fraude na compra de ouro em Itaituba e região:
A estimativa da Anoro (Associação Nacional do Ouro) é de que em um mês saem de Itaituba entre 500 quilos e 600 quilos de ouro, mas apenas 20% desse montante é extraído de áreas legalizadas e declarado à Receita Federal, o que provoca perda de receita para o município. 
"Existe muita compra clandestina. Quem compra dessa forma pode pagar um ágio de até 10% sobre a cotação que ainda vai lucrar muito. O garimpeiro, sendo legal ou ilegal, vai para o lado de quem paga mais", afirma o presidente da Anoro, Dirceu Frederico, sócio da DTVM D'Gold. 
Apesar do repórter ter se limitado a escrever sobre Itaituba - falta de verba do Portal para despesas, como alegou - sabe-se que as demais localidades onde há compra de ouro tem o mesmo perfil. Exemplo: Jacareacanga, que tem diversas outorgas de PLG no município, mas o recolhimento do CFEM é ridículo.
O incrível é que que todo mundo sabe, tudo é demonstrado claramente, todos enricam com prazer e ócio, mas os órgãos fiscalizadores não sabem ou não querem tomar conhecimento de nada.
Isto nos leva a imaginar que alguém está "se dando bem" e deve haver uma "carrada" de dinheiro (da turma) não declarado no exterior.

Postar um comentário