Geologia e Ambiental

17 de fevereiro de 2015

IHGTap deve iniciar catalogação de acervo da Casa Memória após o carnaval

O acervo bibliográfico da Casa Memória do Oeste do Pará (CMOP), inaugurada no início do mês de fevereiro (05/02), deve começar a ser catalogado somente após o carnaval, segundo o secretário do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós (IHGTap), jornalista Jota Ninos, responsável pelo funcionamento do local. “Estamos aguardando a definição de pessoas que darão expediente no local, para que o processo de catalogação e armazenamento dos livros e outros objetos históricos, seja iniciado e concluído e o espaço possa ser aberto ao público”, afirma.
 No momento, dois membros do IHGTap vinculados à Semed e à Seduc, aguardam a liberação destes órgãos para atuar na sede, como parte de um convênio de colaboração interinstitucional. A intenção é que até o final de março, ou no mais tardar no início de abril, a CMOP possa começar a receber visitações.
“A diretoria do IHGTap ainda vai definir, também, as regras dessas visitas – afiança Ninos –, mas a intenção é facilitar o acesso ao acervo principalmente a jovens estudantes e pesquisadores da região, bem como a pessoas interessadas em conhecer um pouco da história regional, num espaço de localização privilegiada em frente ao rio Tapajós”, referindo-se ao prédio histórico localizado na avenida Adriano Pimentel, 80, em frente à praça Manoel Moraes. 

Reforma - A casa foi morada, no século passado de Ruy Guilherme Paranatinga Barata (nascido aqui em 25/06/1920 e faleceu em São Paulo em 23/04/1990). Durante sua vida, Ruy Barata desempenhou várias funções, como advogado, escritor, cartorário, jornalista, poeta, professor e político. Agora será sede do IHGTap, instituição fundada em 2012. O espaço foi alugado e reformado pela Prefeitura de Santarém, através da Secretaria Municipal de Cultura (SEMC), no compromisso firmado pelo prefeito Alexandre Von, que é presidente de honra do instituto. “O governo municipal entregou o prédio à instituição, que passa a existir de fato e de direito, através deste espaço, onde haverá produção de conhecimento pautado na prática científica, que vai conservar, recontar e resgatar, o que Santarém tem de mais precioso, sua historicidade” destacou o secretário de Cultura, Nato Aguiar, no dia da inauguração. 

Acervos - “No momento, a sede continua recebendo doações de livros de autores locais e de instituições, bem como acervos bibliográficos particulares”, diz Ninos. O maior dos acervos é do próprio presidente da entidade, padre Sidney Canto, que doou cerca de 500 livros de sua biblioteca particular para a CMOP. O Instituto Cultural Boanerges Sena (ICBS), através de seu diretor e pesquisador Cristóvam Sena (que é membro do IHGTap), também doou uma quantidade expressiva de livros e mapas antigos. Além disso, há as revistas e livros já produzidos pelo IHGTap nestes três anos de atividades.

Outras doações vieram do Instituto Histórico e Geográfico do Brasil (IHGB) e da Biblioteca Nacional. Grande parte de todo o acervo tem o foco na temática de História e Geografia, mas há livros com outros temas, principalmente de literatura, como romances, contos e poesias. “Quem ainda quiser doar livros de coleções particulares ou de autoria própria, pode entregá-los no local assim que começar o trabalho interno, após o carnaval”, finalizou o secretário.
O IHGTap, além da biblioteca, terá em breve um site com obras e fotografias digitalizadas, para a consulta de todos.
Postar um comentário