Geologia e Ambiental

19 de junho de 2013

Por que os órgãos ambientais estão monitorando a região?

O Eco afirma que "Em maio, o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon  detectou 84 quilômetros quadrados de alerta de desmatamento do tipo corte raso na Amazônia Legal. Leia-se por corte raso, supressão total da floresta. Isso representou um aumento de 97% em relação a maio de 2012 quando o desmatamento somou 42,5 quilômetros quadrados.
“Mais um mês de ocorrência de aumento, com destaque para o Pará e norte do Mato Grosso e para região da BR-163, local que já vem sendo alvo de várias ações do Ibama”, explica Heron Martins, pesquisador do Imazon. Em Itaituba e Trairão, municípios da região da BR 163, foram desmatados 13,8 quilômetros quadrados e 2,8 quilômetros quadrados, respectivamente.
Mesmo com o fim do período chuvoso na Amazônia, 46% do território ainda estava coberto de nuvens em maio de 2013. No mesmo mês do ano passado, 54% do território da Amazônia Legal estava coberto.
O Mato Grosso continuou no topo do ranking de desmatamento por estado, concentrando 61% do desmatamento ocorrido neste maio. Em segundo aparece o Pará (29%), seguido de Rondônia (7%), Amazonas (2%) e Acre (1%)
."
E, por isso os agentes dos órgãos ambientais estão agindo com rigor nas fiscalizações de transporte de combustível, alimentos e veículos na região mais atingida: de Moraes Almeida a Novo Progresso.

Um dos integrantes das fiscalizações afirmou que "a presença de autoridades municipais nos locais onde foram instaladas as barreiras já era esperado, mas que suas súplicas não iriam afetar a continuidade dos trabalhos, pois é uma ação federal e necessária para diminuir a devastação".

Postar um comentário