11 de outubro de 2012

Alter


Em 2010 levantamos uma questão ambiental regional: o saneamento na Vila de Alter do Chão, em Santarém/Pará.
Com a ajuda do mais lido blog da região, Blog do Jeso, do Emanuel Júlio Leite, Santarém em Conexão e o do professor-doutor Manuel Dutra a questão foi levantada e discutida exaustivamente.

Dias depois o Ministério Público (que não vive sem os holofotes) fez a seguinte recomendação à SEMA (estadual) e a SEMMA (municipal):

“O Ministério Público do Estado, por meio da Promotoria de Justiça de Meio Ambiente, emitiu recomendação às Secretarias de Meio Ambiente do Estado e do município para que desenvolvam um programa de uso e controle ambiental para toda vila balneária de Alter do Chão, com definições claras de estratégias e metas para serviços de saneamento necessários para uso das águas por moradores e banhistas.
Também recomenda o monitoramento contínuo da balneabilidade das águas da vila, divulgando nos meios de comunicação local os índices, semanalmente. A fiscalização e adequação deve ser feita no prazo de 30 dias, e em caso de não atendimento, os responsáveis devem ser notificados pela emissão de águas servidas na área urbana da vila.A recomendação considera a “evidente e assustadora degradação das águas urbanas do rio Tapajós , especialmente o visível lançamento de águas de esgoto no Lago Verde”. No prazo de 30 dias, as providências adotadas devem ser enviadas ao Ministério Público”.
E agora ficam as perguntas:

  • Qual providencia foi tomada pelas secretarias ambientais e pela população?
  • Qual foi o debate político realizado para resolver a situação?
Levanto a bola para o Jeso Carneiro, Emanuel Júlio e para o professor-doutor Manuel Dutra distribuirem aos interessados.


Postar um comentário