16 de outubro de 2010

500 Milhões

A geração térmica para suprir a demanda de energia elétrica durante o período de estiagem de chuvas terá um custo adicional de R$ 500 milhões até novembro, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O diretor-geral do órgão, Hermes Chipp, alertou que se a hidrologia não se estabilizar até novembro, este custo poderá ser ainda maior. “O valor de geração térmica só vai aumentar se o período úmido atrasar muito, aí pode ser que precise um pouco mais depois de novembro para repor esse estoque. Até agora, não se espera que isso aconteça”, afirmou Chipp.
Segundo ele, de maio a outubro deste ano foram acionados 7 mil megawatts (MW) em média por mês em geração termelétrica, volume superior ao produzido no ano passado. O diretor ressaltou que em 2009, o encargo com térmicas foi de R$ 130 milhões, o equivalente a menos de 2 mil MW ao mês, levando em consideração também que o consumo do ano passado foi mais baixo devido à crise financeira. Apesar da baixa nos reservatórios, o ONS garante que os níveis estão dentro da meta fixada pelo órgão. No entanto, o Operador espera que o volume de chuvas volte a aumentar na Região Norte do país nos próximos meses. De acordo com Chipp, a meteorologia explica que este ano o fenômeno La Niña acabou postergando o período de chuvas.
Se a transição do período seco para o período úmido passar de novembro, vamos continuar com a geração térmica a gás, para não correr o risco de nos arrependermos no futuro e termos que acabar gerando energia elétrica a partir de térmicas a óleo”, disse Chipp, sem descartar totalmente essa hipótese se houver necessidade.
Fonte: Setorial News
Postar um comentário