Geologia e Ambiental

6 de setembro de 2010

Com a Bufunfa no Bolso

Do Setorial News:
A oferta pública da ações da Petrobras, que irá emitir no mercado 2.174.073.900 novas ações ordinárias e 1.585.867.998 papéis preferenciais poderá ser a maior arrecadação em oferta de ações da história. 
A petrolífera deve reforçar seu caixa, com esta operação, com aproximadamente US$ 63 bilhões. O contrato da cessão onerosa deve ser assinado nesta semana. O valor desta oferta pública irá ultrapassar as operações de mercado da Nippon Telegraph and Telephone e o Agricultural Bank of China que arrecadaram US$ 36,8 bilhões e US$ 22,1 bilhões, respectivamente. 
Na semana passada, foram aprovados os termos e condições da minuta do contrato de cessão onerosa que permitirá a capitalização da empresa, de forma a dar a ela condições de explorar os campos do pré-sal. Pelo contrato, a Petrobras pagará ao Governo Federal R$ 74,808 bilhões para ter acesso aos 5 bilhões de barris de óleo previstos no processo. O preço médio do barril será de US$ 8,51. Este valor do barril dá aos acionistas minoritários o temor de ver diluir sua participação no capital da companhia. Isso porque, como o Governo - principal acionista - irá aportar aproximdamente R$ 50 milhões, muitos pequenos investidores não terão como acompanhar o aumento da participação. 
Todos os termos da minuta do Contrato de Cessão Onerosa também foram aprovados pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). O Valor Inicial do contrato foi determinado através de negociação entre a Petrobras e a União Federal, baseado em laudos técnicos elaborados por entidades certificadoras independentes.
Segundo a Petrobras, o comitê de minoritários já aprovou os termos do contrato de cessão onerosa, inclusive quanto ao preço médio ponderado do barril de óleo equivalente. O Barclays capital atuou como assessor financeiro ao Comitê e emitiu uma Fairness Opinion sobre transação.
Postar um comentário