26 de junho de 2010

Atualização via Jota Parente

Um grupo de cerca de 40 pessoas uniformizadas fez um protesto, em princípio, totalmente pacífico e civilizado. Mais tarde, nem tanto.

Os manifestantes vestiam camisas pró-Sílvio Macedo, estendendo algumas faixas com palavras de ordem do tipo: Por quê, só para nós não saiu liminar?

O objetivo era chamar atenção da governadora Ana Júlia.

Tudo ia muito bem até o instante em que o prefeito Valmir Clímaco começou a se pronunciar. Nesse momento, um coro orquestrado iniciou uma vaia que durou até que o prefeito terminasse seu discurso.

Ficou claro para todos os presentes, que se tratou de uma vaia ensaiada. Não foi algo que nasceu de uma insatisfação popular, se não, de um grupo político que foi apeado do poder pela Justiça Eleitoral e que, com todo direito, ainda luta para voltar, pelo mesmo caminho.

A manifestação é livre e faz parte do processo democrático. Mas, nesse caso, é certo que o protesto silencioso, ilustrado pelas faixas teria sido mais produtivo.

Valmir reagiu bem, não dirigindo nenhuma palavra que pudesse exaltar ainda mais os ânimos dos manifestantes, indo até o final de seu discurso.

As vaias foram, como se diz na linguagem dos músicos, A BUMBADA NA PAUSA. Não precisava.
Fonte: Jota Parente
Postar um comentário