27 de maio de 2010

Investimentos no Mato Grosso

Laís Costa Marques
Especial para A Gazeta

Mato Grosso vai receber investimentos de R$ 224 milhões de uma empresa canadense na exploração de novas jazidas de ouro nas cidades de Porto Esperidião e Pontes e Lacerda, na região Oeste do Estado. A Serra da Borda Mineração e Metalurgia S/A, pertencente ao grupo canadense Yamana Gold, assinou nesta terça-feira (25) a carta de intenções do aporte e entregou ao governado Silval Barbosa. O grupo foi atraído pela política de incentivos fiscais.
Até o início da exploração, daqui 2 anos, o grupo vai empregar 1 mil pessoas direta e indiretamente na fase de construção. Passado esse período, as 2 cidades terão 200 empregos diretos e mais 500 que devem ser gerados indiretamente. Quando o grupo estiver em plena atividade devem ser explorados cerca de 3,1 toneladas de ouro por ano. O secretário de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), Pedro Nadaf, afirma que há 5 meses o grupo vinha indicando a pretensão de investir em Mato Grosso, visto que tinha descoberto este novo potencial mineral da região.
"Apesar de já terem investimentos na localidade, nenhum deles é desta envergadura. Após um tempo de conversa, eles aceitaram os incentivos do governo e confirmaram a instalação", explica Nadaf. O grupo vai receber descontos sobre os impostos utilizados na construção da estrutura e na exploração das minas. Segundo Nadaf, o Estado não vai deixar de arrecadar com a produção, até porque a exportação de minérios são tributadas pelo governo federal. "Foram concedidos descontos na alíquota dos equipamentos que serão importados. O ouro a ser exportado é tarifado pelo governo federal. Assim, Mato Grosso não está abrindo mão de grandes arrecadações", ressalta Pedro Nadaf.
O presidente da Companhia Mato-Grossense de Mineração (Metamat), João Justino Paes Barros, complementa que o Estado atrai o investimento deste porte devido ao potencial mineral que está sendo descoberto. "Este grupo está instalado na região e decidiu pesquisar o solo. Ao descobrir as jazidas, partiram em busca de alianças para concretizar a exploração."
O presidente da Metamat argumenta que Mato Grosso não tem levantado sua capacidade de produção mineral, mas que ele tem se mostrado crescente ano após ano. "Estamos produzindo uma média de 7 toneladas de ouro, este número chama a atenção para novos investimentos e revela potenciais. O mercado de ouro em geral tem atraído novos investidores por conta da valorização do metal. O ouro está valendo cerca de US$ 1 mil a onça", conta João Justino. Onça é unidade de medida utilizada no comércio internacional de ouro e cada unidade equivale a 0,028 kg.
Postar um comentário