31 de dezembro de 2005

Para o Juca Arruda

Eu não tinha nada que continuar tomando mais uma nesta madrugada.
Nem sou fumante mais, que tem que dar a última tragada pra ir dormir. Só sou um fumante passivo, pois na minha casa fumam minha mulher e minha sogra. E, às vezes vem a minha cunhada dar a sua "contribuição" tabagista. Como sou minoria em casa, de revolta tomo minhas cervejas e fico com o bafo pior que o delas.
Então fui ler a chamada diária de No Mínimo e deparei com este artigo do Pedro Dória e resolvi dedicar a este amigo recente: Juca Arruda, por sua tentativa de se tornar um ex-fumante. Tenho certeza que ele se revolta, também, com esta onda de anti-tabagismo.
Agora é sério: Feliz Ano Novo, cara!

Um comentário:

Juvencio de Arruda disse...

Ahahahah...podes crer...é confinamento brabo aos fumantes.Bem consegui reduzir a 20% o consumo.Vou continuar insistindo.Bora vê no que dá.