Geologia e Ambiental

21 de março de 2015

Próstata

Um tumor na próstata sempre assustou os homens. Alguns tem pavor de fazer o exame retal. Outros optam pela avaliação do sangue.
Quando há desconfiança de que ocorre um tumor é realizado a biopsia do tecido.
Um novo método de avaliação está sendo apresentado.
Leia abaixo:
Um novo sistema para classificar a agressividade dos tumores de próstata e orientar os médicos na escolha do tratamento foi apresentado na 18ª Jornada de Patologia promovida pelo A.C. Camargo Cancer Center no início de março.
Desenvolvido pelo grupo do patologista Jonathan Epstein, na The Johns Hopkins University (Estados Unidos), o novo método – ainda sem nome oficial – poderá substituir o chamado Escore de Gleason, usado desde os anos 1960 e considerado em todo o mundo a principal ferramenta de avaliação do prognóstico de homens com tumores na próstata.
“O sistema que propomos é mais simples, com graus que variam de 1 a 5. Sendo tumores de grau 1 os mais indolentes, que requerem apenas vigilância ativa. Os de grau 5 são os mais agressivos, que necessitam de tratamento imediato e radical, como prostatectomia (retirada do órgão) e radioterapia”, explicou Epstein à Agência FAPESP.
Leia mais aqui.

Postar um comentário