Geologia e Ambiental

2 de fevereiro de 2015

Santarenzinho: Fraude ou Má fé?

Uma grande polêmica se formou ao redor da localidade conhecida como Santarenzinho, quando o interesse de construção de portos se voltou para aquele lugar.
E a explicação se tornaria simples se não fosse complicada.

Em 14 de outubro de 1986, por iniciativa do então deputado Nicias Ribeiro, foi dado início ao desmembramento do distrito Rurópolis Presidente Médici do município de Aveiro, através de Projeto de Lei no. 77/1986 e a sua elevação à categoria de município.


Em 1988, a criação do município de Rurópolis foi aprovada e seus limites definidos.
A publicação em Diário Oficial ocorreu em 17 de novembro de 1988.

O INCRA fez o mapa fundiário na ocasião e o encaminhou a quem de direito (ITERPA) para que o IBGE tomasse conhecimento e o usasse nos dados oficiais da União.

Mas, nem tudo seguiu o previsto no enredo desta novela.
Um "diretor" desavisado alterou o escrito e a porção "Santarenzinho" foi incorporada ao município de Rurópolis.

E, assim se passaram tantos anos sem ninguém mexer na "fossa".

Com a vinda dos portos (Estações de Transbordo de Cargas) para aquela localidade, o governo municipal procurou saber das informações corretas.
Assim foi fuçado o arquivo da ALEPA - Assembleia Legislativa do Pará - e lá descoberto o processo original, que tornou-se a peça chave para que se iniciasse um terrível caminho que está incomodando os governos federal, estadual e os municipais de Itaituba e Rurópolis.

Uma equipe de campo constatou que os limites do municipio de Rurópolis passam longe dos pontos elencados no documento fraudado.

Agora, vislumbra-se uma longa batalha judicial e os empresários não querem ficar parados esperando que a Justiça decida esta avença.
 
Postar um comentário