8 de dezembro de 2014

O despertar da insignificância

Longe vai o dia em que a SEPLAN/PARÁ veio a Itaituba promover a discussão doorçamento e planejamento do estado do Pará (2011).
Naquela ocasião, após um levantamento no sítio eletrônico do órgão, constatei que o municipio de Itaituba correspondia com 1,1% da receita do estado, mas só tinha de volta em obras e investimentos cerca de 0,2% do total, enquanto a RMB (Região Metropolitana de Belém) tinha na época cerca de 48% de investimentos. Reclamei na ocasião, mas o umbigo falou mais alto.

Hoje o Parsifal Pontes publica estudo semelhante e constata que o Tapajós teve em 2014, o equivalente a 1,42% de distribuição orçamentária, mas em 2015 vai baixar para 0,66%:


As regiões interioranas do Pará votaram maciçamente no PMDB e nós ficaremos de castigo?

Postar um comentário