17 de setembro de 2014

Governo Federal refugou: O Leilão da UHE São Luiz do Tapajós foi adiada!

Dizem as más línguas que a presidente Dilma ordenou que o MME revogasse a portaria que marcava o leilão da UHE São Luiz do Tapajós para 15 de dezembro.
Outros tantos linguarudos dizem que foi por causa da carta que os Munduruku publicaram recentemente.

Sabe-se, com certeza, foi que "esqueceram" de trabalhar o componente indígena do licenciamento e que de este seria analisado pela FUNAI e não pelo IBAMA.

O secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura comentou com os jornalistas que: "A usina de São Luiz do Tapajós, que era a intenção licitar neste ano, vai ficar para o próximo ano", além de afirmar que o adiamento dará tempo para preparar todos os licenciamentos necessários. 
Supõe-se que nestes licenciamentos estejam inclusos àqueles que são de competências municipais e aí deveremos saber usar este trunfo (no jogo de cartas a gente chama de "melé").


Então, caro Carlos Sena, nesta nota demonstra-se que os indígenas não só não "Desistiram de pescar e caçar? Agora compram peixe em supermercado? Ou alguém paga para eles? Virou um bando de desocupados bajulando padrecos?", mas que continuam com muito mais moral que os ambientalistas internacionais no Brasil.

Ainda não damos a devida atenção aos valores difusos, mas eles existem.
 
Postar um comentário