2 de setembro de 2013

Mimetismo

Proveniente do termo grego "mimetés" que significa imitação. Era originalmente usado para descrever pessoas, só foi aplicado em biologia a partir do início do século XIX.
Mimetismo é o caso em que uma espécie possui características que evoluíram especificamente para se assemelhar com as de outra espécie, um exemplo de evolução convergente.
Essa semelhança confere vantagens, tais como proteção contra predação para um ou ambos os organismos, através de algum fluxo de informação entre os organismos miméticos e mimetizados, e o agente que recebe os sinais miméticos (agente de seleção). O agente de seleção (predador, simbionte, ou hospedeiro de parasita, dependendo do tipo de mimetismo encontrado) interage diretamente com os organismos aparentemente similares e é iludido por sua similaridade.
Este tipo de seleção distingue o mimetismo de outros tipos de semelhança convergente, resultantes de outras forças seletivas, como a camuflagem, que se refere ao padrão de coloração e textura, que torna um organismo semelhante ao seu entorno, dificultando a sua detecção.

Há longo tempo não se via um caso de mimetismo tão explicito como o que está ocorrendo no Executivo e Legislativo Municipal.
Com alguns parlamentares é perfeitamente compreensível tal acontecimento, visto os mesmos não terem competencia para outro fim, mas com outros o caso torna-se motivo de mais um estudo a ser desenvolvido pelos cientistas naturais.
Vejamos exemplos de mimetismo: vereadores que "entregam obra" junto com a prefeita; eleitores que "enxergam obras" da prefeita; técnicos que "se tornam" especialistas nos assuntos que não lhes dizem respeito; servidores que dão razão aos eleitores, mas que não trabalham pra melhorar a vida comum...
Em outros tempos, esse "mimetismo" chamava-se puxa-saquismo.


Postar um comentário