17 de maio de 2013

Quem acredita em Itaituba?

O homem não é a soma do que tem, mas a totalidade do que ainda não tem, do que poderia ter.


Imagem copiada de www.skyscrapercity.com. Autor desconhecido.

Escolhi morar, trabalhar e ter lazer em Itaituba há 16 anos. Poderia ter ficado em minha cidade natal que me oferecia as mesmas vantagens que tive aqui, mas resolvi, por opção pessoal, vir pra cá.
Aqui melhorei e ampliei minha experiência profissional.
Criei um círculo de amigos e companheiros que não serão dispersados.
Tenho um montão de desafetos, que cultivo com ardor.
Constitui família e tenho uma filha nativa.
E não pretendo ir embora.
Isto nada poderia significar, se eu não apostasse nas oportunidades que ocorrem e irão aparecer aqui.


Mas quero uma Itaituba digna de se morar.
Que tenha abastecimento de água digno; que tenha uma disposição e manejo de resíduos sólidos e líquidos mais compatíveis ainda; que não tenha suas ruas, principalmente na cidade baixa, invadida pelas águas do rio Tapajós constantemente; que tenha um trânsito humanizado; que tenha suas ruas pavimentadas; que os serviços públicos sejam de muitos e não de uns; enfim, que possamos ir melhorando cada vez mais e quando olharmos para trás possamos nos sentir escolhidos para e por ter vivido nesta terra.

Continuaremos a ter políticos e politiqueiros na vida pública. Uns irão aprender e outros irão se espelhar na ação de outros políticos ultrapassados. Alguns irão saber que ter benesses governamentais e aceitar os erros como acertos será sua bandeira. Outros irão permanecer "neutros" para não desagradar o povo ou o poder. Uns poucos irão aprender que a voz de seus eleitores é a mais importante, agradando ou não a si próprio.

Teremos também, aqueles que conseguem com um motivo comum, mudar o foco dos problemas e deixar que àqueles que poderiam se tornar uma pedra no sapato desta administração ficar de lado, como se estivesse arquivado numa gaveta, trancada com chave que fica pendurada no pescoço do tigre.

Sinto, atualmente, que a nossa gestora está em maus lençóis, refém dos seus co-administradores (secretários e diretores) que pouco fazem para colaborar na eficiência da máquina pública. Ou pouco fazem ou inventam "demônios" para descarregar sua frustante vida profissional (tiveram?) elaborando regras ou tentando decretar a morte dos profissionais que serviram ao governo anterior (notem que coloquei a palavra serviram), através da malidicencia e do mau-caratismo. Alguns já anunciam em alto e bom tom, que suas demandas andariam com mais rapidez se fossem contratados determinada empresa ou tal profissional. E as ações judiciais vão se acumular até que os senhores do direito se cansem e promovam um basta.
A gestora, refém destes elementos em virtude de compromissos eleitorais, vai ter que decidir se fica ao lado do povo ou se permanece sem comandar em seu governo. 

Assim, finalmente, é de bom tom dizer que continuarei criticando, quando achar que o dinheiro público está sendo malbaratado e, por isso, pessoas poderão levar as críticas para o lado pessoal ou achar que é perseguição política. E estarei elogiando, se me apresentarem ações que beneficiem muito mais a população que pessoas.

Já andei demais tempo em administração pública para saber muito sobre isso e não pretendo mais servir a nenhum "senhor gestor" e poder ser livre para dizer o que penso e/ou o que quero.

Assim, eu acredito em Itaituba!
Postar um comentário