7 de março de 2013

Lá, como aqui...

Poucos sabem que em Macapá existe um bairro entupido de itaitubenses: o Novo Horizonte. Descobri isso quando morei lá e tinha contato contínuo com este pessoal.
Lá, como aqui o garimpo tem forte presença nas atividades profissionais.
Mas lá, e não como aqui, existe uma organização generalizada para quem trabalha em garimpos.
Mesmo assim a Alcinéia Cavalcante avisa que:

A Polícia Federal desencadeou na manhã de hoje em Macapá a Operação Azougue.

Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão,  expedidos pela Justiça Federal no Estado do Amapá, que culminaram na apreensão de 25  quilos de mercúrio e um quilo  de ouro.
A investigação teve início em 2011, com o objetivo de colher provas a respeito empresas que comercializam mercúrio metálico (conhecido popularmente como azougue), sem autorização do órgão ambiental, fomentando a extração de ouro nos garimpos, podendo causar poluição e problemas de saúde pela manipulação incorreta da substância. O quilo do mercúrio é vendido a R$ 600,00 aos garimpeiros.
O mercúrio é um metal líquido muito usado nos garimpos, facilitando a identificação do ouro “in natura”, em meio a outras substâncias sólidas.
No entanto, a substância pode transformar-se em vapores tóxicos e corrosivos, e, quando inalado ou ingerido, pode causar sérios danos à saúde, atacando órgãos e sistemas mais vulneráveis, tais como o sistema nervoso central, bem como o renal e o pulmonar.
Além do comércio ilegal de mercúrio, as investigações destinam-se a apurar se as empresas estariam operando irregularmente, sem autorização do Banco Central, e adquirindo ouro de áreas não autorizadas pelo DNPM (Departamento de Produção Mineral).
Os integrantes da organização são investigados pelos crimes de quadrilha,comércio e depósito ilegais de substâncias tóxicas, exploração ilegal de matéria-prima pertencente à União e funcionamento irregular de instituição financeira. Somadas as penas podem chegar a 16 anos de prisão.

(Comunicação Social da Superintendência da Polícia Federal no Amapá)
Neste caso, não seria de bom tom colocar as barbas de molho por aqui e se organizar urgentemente?

Postar um comentário