Geologia e Ambiental

6 de fevereiro de 2015

As ETC no Santarenzinho: uma no cravo outra na ferradura

A implantação das ETC's do Santarenzinho, que foram motivo de audiência pública no Distrito de Campo Verde na última quarta-feira, causaram surpresas para os técnicos envolvidos pela "inocência" demonstrada pela empresa responsável pelos EIA/RIMA.
Várias questões podem ser formuladas para que as empresas nos respondam. Por exemplo:
  1. Afirmam que trarão desenvolvimento e progresso para a região. Poderíamos perguntar se os benefícios trazidos suplantarão os malefícios, tais como a prostituição acelerada, a violência doméstica, a falta de alimentos para os locais e forasteiros ou a aceleração da falta de educação, saúde e bem estar social.
  2. Afirmam que não haverá erosão acelerada nas áreas a serem construídas. Todos estamos vendo o que acontece nas BR's. Precisa comentar?
  3. Um problema que estão tentando esconder refere-se aos requerimentos de pesquisa e de licenciamento mineral que ainda não foram estudados pelo DNPM. E aí é mais um erro de avaliação mal feito pela empresa responsável pelos EIA/RIMA.
Enfim, ainda tem bastante água pra rolar...

Postar um comentário