21 de setembro de 2014

Eleições 2014 – O que dizem os planos de governo sobre a mineração?

Este artigo, publicado pelo Instituto Minere, nos mostra o que estes candidatos à presidência da República Federativa do Brasil propõem sobre a atividade  que é responsável por 10% do PIB nacional e 16% das exportações brasileiras:


Plano de governo da Presidente Dilma Rousseff
A proposta de governo para o quadriênio 2015-2018 da presidente candidata à reeleição, tem 42 páginas no total. Vinte e cinco páginas são atribuídas à mera e velha propaganda política como dizer que “nenhum país do mundo conseguiu tirar um número tão expressivo de pessoas da miséria em tão pouco tempo” – repete como um mantra... Bem, ok, muito bom tirar pessoas da miséria, mas isso é uma política de governo obrigatória, não uma bondade.
No mais, num texto claramente e tecnicamente preparado para o marketing, cheio de palavras-chave como desburocratizar, incentivar, promover, criar, estabelecer, e outras, somente para ficar bem no google, porque explicar o que vai fazer para solucionar e promover melhorias que é o que interessa, nada!
De fato, não há propostas concretas e nem projetos para os problemas básicos do país, muito menos nos setores produtivos, o que se dirá para a Mineração. Nem mesmo o famigerado Marco Regulatório da Mineração foi citado na tal “proposta”. Ignorância total em relação ao assunto.

Plano de governo do candidato Aécio Neves
Sua proposta de governo possui 76 páginas. Texto enfadonho, com muitas palavras e clichês repetitivos. Não contextualiza a atual conjuntura nacional – seja ela qual for.
Aécio cita a Mineração, como um item de canto de página. Igualmente como se faz a respeito de todas as políticas sugeridas. Mas, a grande questão é que ele “promete” aprovar imediatamente o Marco Regulatório da Mineração. É de se dilatar a pupila – Aprovar como está? Não sabemos se é para ficarmos felizes ou mais tristes ainda...
Recentemente, em entrevista à Reuters, Aécio diz que país precisa de marco regulatório para ferrovias e mineração. Disse também que criará, caso eleito, o Ministério da Infraestrutura para dar mais agilidade aos investimentos nesse setor. No entanto, isso não está registrado em seu plano de governo divulgado.

Plano de governo da candidata Marina Silva
No plano de 60 páginas herdado de Eduardo Campos, Marina Silva apresenta suas propostas de uma maneira diferente, divididas em “eixos estruturantes” – seja lá o que significa isso. Parece ser uma manobra que permite uma vestimenta de novidade. Mas, ao estudar a fundo tais “eixos”, percebe-se que nada é tão novo assim.
Como não deveria deixar de ser, infelizmente, essa coligação partidária também não prevê nenhuma política, nem sequer propostas, para o setor mineral. Não diz se apoia o Marco Regulatório, ou se vão adotar outro mecanismo que poderia recriar as regras do jogo. O destaque em sustentabilidade é notável, talvez uma contribuição do perfil da ex-ministra.

Você está preparado? Ainda podemos acreditar no Brasil?

A mineração está na raiz da economia, na base de todas as indústrias e na composição de todos os bens industriais. A mineração contribui com 10% de participação no PIB nacional, mais de 16% de toda a exportação do país contanto somente os bens primários - sem considerar os produtos industrializados dela derivados, e gera 2.450.000 (Dois milhões, quatrocentos e cinquenta mil) empregos diretos e indiretos.
Dito isso, só resta uma pergunta para fazermos aos candidatos: - É desinteresse ou pura ignorância mesmo?
Fato é que entre esses candidatos, nenhum tem o real interesse em discutir essa pauta de interesse nacional por despreparo, desinformação. Podemos dizer, falta total de visão de negócio, de planejamento econômico.
Diante desse cenário, é preciso refletir bastante, e um pouco mais, no modelo de Nação e em qual a importância que será dada ao Setor Mineral que se deseja não só para o futuro, mas para agora. Que em outubro os eleitores possam exercer seu direito obrigado da melhor forma possível.

Leonardo Lopes Souza
Eng. Geólogo – CLGeo Soluções em Geologia e Mineração

Gustavo Cruz
MBA MKT – Instituto Minere
Postar um comentário