29 de novembro de 2013

Itaituba não tem atividades agrossilvipastoris?

Está sendo realizado em Belém, pela SEMA, um curso de curso de capacitação em Licenciamento Ambiental Rural, promovido pelo Programa Municípios Verdes (PMV), que busca qualificar os municípios paraenses na realização do licenciamento ambiental de atividades rurais, com ênfase agrossilvipastoril.
Estranhamente não foi incluido o nosso municipio entre os convidados. Vejam a nota:
O curso se destina a secretários municipais de meio ambiente, técnicos ambientais municipais (da área de licenciamento e geoprocessamento) e assessores jurídicos das secretarias municipais. Os municípios Novo Progresso, Novo Repartimento, Santarém, Altamira, Marabá, Brasil Novo, Paragominas, Dom Eliseu, Tailândia, São Félix do Xingu e Santana do Araguaia têm prioridade porque já participam dos projetos Climate and Land Use Alliance (CLUA), Programa Municípios Verdes (PMV) e Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Participam como convidados os municípios de Rondon do Pará, Monte Alegre, Pacajá, Ulianópolis e Cachoeira do Arari.
A programação do curso está dividida em três módulos: introdução ao Licenciamento Ambiental Rural (LAR) e à legislação pertinente, bases para elaboração de parecer jurídico, análise de Cadastro Ambiental Rural (CAR), para fins de adequação ambiental do imóvel rural; análise técnica das atividades e elaboração de parecer técnico e emissão de LAR.
Participam do evento, palestrantes da Sema e do PMV,  a engenheira florestal, Ana Lucia Muniz; o biólogo, André da Silva; os engenheiros agrônomos, Emmanuell  Sobrinho e  Julianne Marta e a advogada Estela Albuquerque.
 Estamos tão mal na foto assim?

Postar um comentário